A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
46 Lisboa
Mariana Valle Lima

46 Lisboa: é na Praça das Flores mas podia ser em Soho

O 46 Lisboa tem apenas cerca de vinte lugares sentados no interior, mas neste espaço pequeno tudo pode acontecer. Além de restaurante e bar, a casa acolhe músicos e artistas das mais variadas áreas.

Escrito por
Teresa David
Publicidade

O 46 Lisboa mora na Praça das Flores, mas encaixar-se-ia bem no bairro de Soho, em Nova Iorque. O espaço cosmopolita e intimista tinha planos para inaugurar em Março do ano passado, mas a pandemia trocou-lhe as voltas. Depois de algumas incertezas e muito abre e fecha, reaparece neste pós-Verão com uma carta recheada e muitos projectos dinâmicos, como residências artísticas com a duração de apenas um dia. Os responsáveis são Catarina Romano e Miguel Silva, que ousaram sonhar com uma experiência sensorial num espaço multifacetado. "Não somos nem um bar, nem um restaurante. Somos um espaço para estar", diz Catarina. "Quero que seja um sítio muito confortável e onde apeteça ficar", sublinha. 

46 Lisboa
Mariana Valle Lima

Quem ali trabalha tem uma pintura estilo indígena na cara e a decoração interior tem apontamentos modernos, com uma alcatifa em tons claros a revestir o chão e as paredes, um espelho que amplia a área e uma zona mais privada separada por cortinas. Além de servir comida e bebidas, inclui um sector para venda de roupa e uma tela dinâmica para expor arte. Mas um dos aspectos mais diferenciadores do 46 Lisboa é que quem escolhe ficar na esplanada junto ao jardim pode ter uma experiência semelhante à de quem está lá dentro — são disponibilizados phones para levar para a rua e que passam a música que toca no interior. 

46 Lisboa
Mariana Valle Lima

"Tudo pode acontecer neste espaço pequenino", garante a responsável. Mas comecemos pela gastronomia. De um carta descontraída e casual, que será renovada em breve para sabores mais invernosos e que irá acolher mais vinhos biológicos, destacam-se os favoritos: as ostras (10€/4 unidades), a burrata trufada (12€), os dumplings (12€), o hot dog 46 (10€) e a panacota de maracujá (8€). "Na comida nós dizemos que damos margem para o erro. Não temos um chef, somos nós, inspirados por chefs. Mas eu acho que está tudo óptimo", remata. 

46 Lisboa
Mariana Valle Lima

E se a gastronomia convida a ficar, as várias iniciativas pedem uma visita. "46 x Takeovers" recebe artistas durante um dia para decorarem o espaço como quiserem; o "46 x Social Club" dá palco a músicos; e o "46 x Social Creators", convida a produzir obras para serem expostas no bar. Já o "46 x Social Food" chama amantes da cozinha para serem chefs por um dia. "O nosso primeiro convidado foi o Rui Pregal da Cunha, dos Heróis do Mar", conta Catarina. 

O "46 x Green Club" é o mais recente projecto do 46 Lisboa. Aos sábados de manhã são servidas refeições vegetarianas, preparadas por uma chef, e há música ao vivo a cargo de Dj's convidados. 

A par de tudo isto, o 46 Lisboa aluga o espaço para eventos privados. O convite para participar nestes projectos é feito pelos donos e as iniciativas são partilhadas nas redes sociais do espaço. A ideia original é de Catarina Romano e Miguel Silva, mas para conseguirem tudo isto têm uma equipa a ajudá-los. Miguel Belo está a cargo da música; Nuno Faria, do 100 Maneiras, é responsável para carta de vinhos; e Antónia Rosa faz a curadoria de maquilhagem.  

Praça das Flores 46. Seg-Sex das 18.00 às 23.00 e Sáb. das 11.00 e as 23.00. Vários preços.  

+ Belcanto, de Avillez, mantém-se entre os 50 melhores restaurantes do mundo

+ No Hen.tai da Amadora, só a comida é pornográfica

Últimas notícias

    Publicidade