A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Stop Zemlia - Se não arriscares, nunca saberás
Oleksandr Roshchyn | Stop Zemlia - Se não arriscares, nunca saberás

A juventude ucraniana chega a Lisboa em forma de cinema

‘Stop Zemlia – Se Não Arriscares, Nunca Saberás’ é um filme da ucraniana Kateryna Gornostai sobre a adolescência em Kiev, que vai ser exibido em Lisboa e Cascais entre 5 e 28 de Maio. Falámos com a realizadora e com uma das produtoras.

Margarida Coutinho
Escrito por
Margarida Coutinho
Publicidade

Na adolescência todas as emoções parecem maiores. O amor, o medo, a alegria, a solidão – tudo é vivido numa intensidade que se vai dissipando com a idade. Masha, uma jovem ucraniana de 16 anos, enfrenta os dilemas da passagem do tempo com uma timidez que só é realmente ultrapassada junto dos amigos de infância, Yana e Senia. Os três jovens unem-se para atenuar as dificuldades da adolescência, sem nunca se negarem aos sentimentos que ela exige. Stop Zemlia – Se Não Arriscares, Nunca Saberás, a primeira longa-metragem da ucraniana Kateryna Gornostai, explora as emoções típicas da juventude com uma simplicidade tocante. O filme tem cinco sessões marcadas entre Lisboa e Cascais. A primeira acontece esta quinta-feira, 5 de Maio, no Auditório Carlos Paredes, em Benfica.

“A mensagem principal [do filme] é sobre o tempo. Durante os anos de adolescência, estamos sempre à espera de alguma coisa, de chegarmos à vida adulta, de irmos para a universidade, de nos apaixonarmos por alguém que se apaixone de volta, e enquanto fazemos isso não estamos a aproveitar o momento presente, que é o que temos de mais precioso”, partilha com a Time Out Kateryna Gornostai, a realizadora de 33 anos que continua a viver em Kiev, apesar da guerra. Stop Zemlia - Se Não Arriscares, Nunca Saberás foi exibido pela primeira vez no Festival Internacional de Cinema de Berlim, em Maio de 2021, onde recebeu o Urso de Cristal de Melhor Filme na competição Generation 14plus. Um ano depois, o filme chega a Portugal pelas mãos da Zero em Comportamento, que o vai exibir no Auditório Carlos Paredes, em Benfica, a 5 de Maio, no Auditório da Biblioteca Orlando Ribeiro, em Telheiras, a 18, no Cinema da Villa, em Cascais, a 21, na Biblioteca de Marvila, a 27, e na Biblioteca de Alcântara, a 28.

Stop Zemlia - Se não arriscares, nunca saberás
Oleksandr Roshchyn | Stop Zemlia - Se não arriscares, nunca saberásMasha (Maria Fedorchenko), Yana (Yana Isaienko) e Senia (Arsenii Markov), os três melhores amigos que protagonizam o filme de Kateryna Gornostai

Stop Zemlia – Se Não Arriscares, Nunca Saberás é uma obra de ficção baseada na realidade da juventude ucraniana. Durante o filme, a acção é interrompida por momentos de entrevista com os protagonistas, numa espécie de falso documentário. “Essas cenas não tinham nenhum guião. Deixei os actores responderem a algumas perguntas livremente, tendo em conta as características e a história das suas personagens”, partilha a realizadora. O elenco é, maioritariamente, composto por jovens sem experiência prévia em cinema, incluindo Maria Fedorchenko, que interpreta a protagonista. “Apenas dois dos jovens já tinham participado em curtas-metragens ou noutros pequenos formatos”.

O filme, que conta com o apoio da Agência Estatal do Cinema Ucraniano, do Ministério da Cultura e Informação Política da Ucrânia e da Ukrainian Cultural Foundation, começa com um dia na escola secundária de Masha (Maria Fedorchenko). Aqui estão todos os seus amigos, dos mais próximos aos mais casuais, incluindo a sua crush, Sasha (Oleksandr Ivanov). Além das típicas festas em que não falta álcool, a obra explora as relações familiares entre pais e filhos, a descoberta da sexualidade ou a importância da amizade na passagem para a vida adulta. “É verdade que há algumas particularidades da realidade ucraniana, como as aulas de preparação militar na escola secundária, mas a atmosfera que o filme cria é universal”, diz Natalia Libet, uma das produtoras do filme.

“Não acredito que a arte esteja à margem da política”

O filme, escolhido como Filme do Mês de Maio pela Zero em Comportamento, começou a ser pensado em 2017 e a rodagem arrancou no início de 2020. Apesar de as datas não coincidirem com o início da guerra na Ucrânia, a obra de Kateryna Gornostai já incluía alguma da história bélica do país. “O Senia [um dos melhores amigos de Masha] é um refugiado de Donbass, que foi obrigado a fugir para Kiev com a família quando a guerra com os separatistas russos começou”, começa por explicar a realizadora. “Queria muito incluir este personagem e os traumas que ficaram com ele, porque é uma realidade das escolas de Kiev e da história política da Ucrânia”. Stop Zemlia – Se Não Arriscares, Nunca Saberás explora a juventude a partir de um grupo de jovens de Kiev, partilhando com o espectador alguma da cultura do país. “Não acredito que a arte esteja à margem da política. Se estás a realizar um filme ucraniano, na língua ucraniana, só com música ucraniana, fazes parte de uma atmosfera política. Escolher não incluir russo num país onde existem quase duas línguas, e onde grande parte dos jovens falam russo, é uma escolha política”.

Kateryna Gornostai está neste momento a viver em Kiev, onde trabalha como voluntária desde o início da invasão russa. “Este filme não deve ser percepcionado como algo que se perdeu com a guerra. Quero muito que as pessoas o vejam como algo do futuro, que vai voltar a existir quando a guerra tiver acabado e nós a tivermos ganho”.

Stop Zemlia – Se Não Arriscares, Nunca Saberás tem a primeira sessão marcada para esta quinta-feira, 5 de Maio, no Auditório Carlos Paredes, em Benfica (é necessário reservar até às 15.00 através do email servicoeducativo@zeroemcomportamento.org). Depois segue para o Auditório da Biblioteca Orlando Ribeiro, em Telheiras, no dia 18, às 21.00. No sábado seguinte, dia 21, estará em exibição no Cinema da Villa, em Cascais, às 19.30. Dia 27, há sessão marcada na Biblioteca de Marvila, às 21.00, que será seguida de debate com Maria Cordoeiro, psicóloga. A última exibição acontece dia 28, às 18.00, na Biblioteca de Alcântara. Para as cinco sessões os valores dos bilhetes variam entre os três e os quatro euros.

+ IndieLisboa e mais cinema alternativo em Lisboa

+ Protesto-performance denuncia “cinismo” na competição dos festivais de cinema

Últimas notícias

    Publicidade