Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Cinema alternativo em Lisboa esta semana

Cinema alternativo em Lisboa esta semana

Há bom cinema na cidade para quem odeia centros comerciais e aprecia ciclos temáticos, fitas antigas e cinema alternativo

treblinka
Treblinka, de SérgioTréfaut
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Se é daqueles que não deixa passar uma estreia, pode espreitar os filmes em cartaz esta semana. Mas, se é um verdadeiro cinéfilo (ou um aspirante a), deve ter em mente que algumas pérolas do cinema escapam às grandes salas. São clássicos para ver e rever – ou apenas filmes fora da rota comercial e por isso fora dos grandes centros comerciais. Para não perder nada, todas as semanas damos-lhe as melhores sugestões de cinema alternativo em Lisboa, habitualmente em salas muito especiais. Não perca a oportunidade de ver (ou rever) alguns filmes obrigatórios, grandes clássicos ou filmes fora da rota comercial.

Recomendado: Filmes em cartaz esta semana

Cinema alternativo em Lisboa esta semana

Filmes

Cinema nas Ruínas

icon-location-pin Museu Arqueológico do Carmo, Chiado
icon-calendar

O Museu Arqueológico do Carmo não deixa que a sua agenda adormeça durante o mês de Agosto. Até 31 de Agosto, há cinema ao ar livre todos os dias, menos aos domingos (8€). O ciclo repete-se agora sob o tema A Grande Arte no Cinema e Clássicos do Cinema Italiano e apresenta um conjunto de filmes, entre clássicos e mais recentes – alguns deles premiados em festivais internacionais. Durante a primeira semana, o ciclo estará dedicado à Grande Arte no Cinema, com filmes que se debruçam sobre as vidas e obras dos maiores artistas do Renascimento – como Michelangelo, ou Caravaggio.

Filmes

Filmes de Bollywood

icon-location-pin Museu do Oriente, Estrela/Lapa/Santos
icon-calendar

O Museu do Oriente continua a apresentar este ciclo de cinema nos domingos de Agosto, esta semana com Prem Ratan Dhan Payo (2015), que em português se traduz para “Encontrei um tesouro chamado amor”. Um típico romance bollywoodesco – cheio de cor, dança e cantoria – que começa com uma tentativa de assassinato feita pelo meio-irmão do príncipe de Pritampur, antes da sua coroação. O príncipe, em coma, é substituído por um homem praticamente igual, que assume o posto.

Publicidade
Treblinka
©DR
Coisas para fazer

Espaços que não têm lugar

icon-location-pin Casa da Achada - Centro Mário Dionísio, Castelo de São Jorge
icon-calendar

O habitual ciclo de cinema ao ar livre da Casa da Achada está de regresso e prolonga-se até ao final de Agosto, sempre à segunda-feira. Espaços Que Não Têm Lugar convida à reflexão sobre os conceitos de espaço e lugar a partir dos filmes apresentados, num total de nove películas, incluindo Treblinka (2016), de Sérgio Tréfaut, que será exibido já na próxima segunda-feira, 19 de Agosto, às 21.30.

o lobo de wall street
©DR
Filmes

Cine Society

icon-location-pin Topo Chiado, Chiado
icon-calendar

Chris Wood e Phil Ilic, ambos ingleses, conheceram-se a fazer escalada na Arrábida. Conversa puxa conversa e lá se aperceberam que são dois cinéfilos com vontade de proporcionar experiências cinematográficas à população lisboeta. Aquilo que começou como sessões de cinema para amigos em casa de Phil tornou-se o Cine Society, o cinema ao ar livre que invadiu Lisboa no Verão de 2017 e que promete mais noites quentes para 2019. Os auscultadores são individuais e permitem a qualquer pessoa ir, por exemplo, buscar um cocktail sem perder o fio à meada no enredo. Esta semana, por exemplo, passa O Lobo de Wall Street no Topo Chiado.

Publicidade
The Nun - A Freira Maldita (2018)
©DR
Coisas para fazer, Eventos cinematográficos

Cine NOS

icon-location-pin Marina de Oeiras, Oeiras
icon-calendar

As sessões de cinema ao ar livre da NOS regressam este Verão a Oeiras e Tróia. O programa das festas inclui música, um copo ao pôr-do-sol e muitos filmes. Todas as quintas e sextas-feiras na Marina de Oeiras; e sextas e sábados, no Jardim da Alameda Pinheiro Manso, em Tróia. A animação começa às 20.00 e os filmes rolam na tela a partir das 21.30. Esta semana, na Marina de Oeiras, pode contar com os títulos The Nun – A Freira Maldita, na quinta-feira, e Bumblebee, na sexta-feira.

ccb, jardim das oliveiras
©Marta Azevedo/CCB
Coisas para fazer, Centros culturais

CCB de Verão

icon-location-pin Centro Cultural de Belém, Belém
icon-calendar

O CCB, enquanto grande estrutura cultural da cidade, não podia deixar de animar o Verão dos lisboetas. O menu é variado: há concertos e cinema ao ar livre para todos os gostos. O CCB de Verão está de volta para mais uma rodada e estende-se ao Sol (ou no lusco-fusco), sempre de entrada livre. Os concertos acontecem no Jardim das Oliveiras e os filmes vão ser projectados na Praça Central, sempre com muitos clássicos à mistura. Este sábado, 17, às 21.30, vai ser exibido My Father The Genius, de Lucia Small.

Publicidade
Cai na Real, Corgi (2019)
©DR
Coisas para fazer

Cinema ao ar livre - Oeiras

icon-location-pin Fábrica da Pólvora de Barcarena, Oeiras
icon-calendar

Finalmente uma boa desculpa para ir a Barcarena – a Fábrica da Pólvora acolhe mais um ciclo de cinema ao ar livre até ao final de Agosto. Aos sábados à noite (22.00) são os filmes para crescidos, aos domingos de manhã (10.30) é a vez dos garotos. A entrada é livre mas limitada aos lugares existentes. A iniciativa é da Câmara Municipal de Oeiras que quer juntar as família e tornar as noites de Verão (e as manhãs, vá) mais animadas com obras cinematográficas que vão da comédia à animação. No sábado, 17, poderá ver Monstros Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald, de David Yates; e no domingo, 18, há sessão para os miúdos: Cai na Real, Corgi, de Ben Stassen.

Espaços com programação regular

Alvalade CineClube
©Alvalade CineClube
Coisas para fazer

Alvalade CineClube

icon-location-pin Grande Lisboa

Para já tem como morada principal o Centro Cívico Edmundo Pedro, localizado na sede da Junta de Freguesia de Alvalade que tem apoiado os primeiros passos deste cineclube. Foi inaugurado em Abril de 2019 por um grupo de entusiastas residentes (ou ex-residentes) no bairro que já respirou cinema, graças a salas como o Quarteto ou o King, entretanto encerradas e o objectivo é criar um espaço de convívio, reflexão, memória e descoberta. Cada ciclo de cinema é composto por quatro filmes, sendo exibido um ciclo por mês, e as sessões são de entrada livre.

Página oficial: www.facebook.com/AlvaladeCineClube

cine padaria
©Cine Padaria
Noite

Cine Padaria

icon-location-pin Lisboa

A cooperativa A Padaria do Povo foi criada em 1904 para fabricar pão mais barato para os habitantes da zona. E hoje é a grande sala de convívio de Campo de Ourique: tem xadrez, matraquilhos, dardos e bebidas a preços convidativos e é também a casa do Cine Padaria, organizado por um grupo de cidadãos que, em regime de voluntariado, organiza sessões gratuitas no âmbito do campOvivo, um movimento mais alargado de cidadãos de Campo de Ourique. “O que nos move  é levar a cabo um trabalho abrangente de celebração do cinema enquanto arte e abertura ao  mundo, trabalho esse que simultaneamente possibilite o reforço do sentido de pertença a uma comunidade”, explicam à Time Out.

Página oficial: www.facebook.com/cinepadaria

Publicidade
centro mário dionisio
Fotografia: Ana Luzia
Coisas para fazer

Casa da Achada - Centro Mário Dionísio

icon-location-pin Castelo de São Jorge

Foi fundada em Setembro de 2008 e aberta ao público um ano mais tarde. Partindo do espólio, interesses e obra de Mário Dionísio, a Casa da Achada, sede do Centro Mário Dionísio, funciona como pólo cultural de Lisboa, cidade em que o escritor, pintor e professor nasceu (1916), viveu e morreu (1993). A programação é variada, sempre de entrada livre, e inclui ciclos de cinema trimestrais, subordinados aos mais diversos temas.

Página oficial: www.centromariodionisio.org

Filmes

Cinemateca

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Tem por principal missão a divulgação e salvaguarda do património cinematográfico português e tem sessões diárias desde 1980 numa antiga moradia na Rua Barata Salgueiro. O edifício foi restaurado na viragem do século e hoje é possível assistir confortavelmente aos clássicos do cinema nacional e internacional em três salas: na sala Dr. Félix Ribeiro, a principal com 227 lugares, na Luís de Pina, com 47, e no terraço onde acontecem projecções quando a meteorologia o permite. No Palácio Foz, a primeira casa e onde hoje funciona a Cinemateca Júnior, está em permanência uma exposição sobre a génese do cinema, um percurso que começa nos espectáculos de sombras.

Página oficial: www.cinemateca.pt

Publicidade
VHS Nights
©VHS Nights
Noite, Bares abertos de madrugada

VHS Nights

icon-location-pin São Vicente 

Um dos momentos altos dos fins-de-semana da juventude dos anos 80 e 90 era escolher as melhores fitas no videoclube do bairro. As novas tecnologias sentenciaram a morte destes verdadeiros pontos de encontro cinéfilos das cidades, mas é possível matar saudades da fita magnética nestas sessões que acontecem no Damas, de quando a quando. Só tem de gostar dos géneros terror, ficção científica, acção, thriller, as coqueluches das VHS Nights.

Página oficial: www.facebook.com/VHSnights

Cinepop
©DR
Cinemas

Cinepop

icon-location-pin Areeiro/Alameda

Há quem ainda lhe chame Cinema Roma, uma sala que passou para as mãos da autarquia em 1997 para passar a ser a sede da Assembleia Municipal de Lisboa. Mas este auditório de 700 lugares também está aberto a actividades cívicas, culturais ou sociais como é o caso do Cinepop, um ciclo de filmes de culto dos anos 1970 a 1990 programado por Nuno Markl sem cadência fixa.

Página oficial: www.facebook.com/CinePopLx

Publicidade
Cinema Ideal
©DR
Filmes

Cinema Ideal

icon-location-pin Bairro Alto

Por aqui já passou o Salão Ideal, o Cinema Ideal (versão 1.0), o Cine Camões e o picante Cine Paraíso. O actual Cinema Ideal, embora numa versão moderna inaugurada em 2014, acaba por ser o mais antigo cinema de Lisboa em funcionamento e a programação tem um especial carinho por produções europeias.

Página oficial: www.cinemaideal.pt

Mais cinema

Filmes

Clássicos de cinema para totós

Farto de não fazer ideia do que falam os cinéfilos à volta? Cansado de se perder em referências desconhecidas quando se fala de cinema? O “cinema para totós” quer resolver esse problema no melhor espírito de serviço público. Ora atente em cada uma destas 10 lições cheias de clássicos de cinema.

Filmes, Terror

Clássicos de cinema para totós: especial Terror

Do início do século XX até aos dias que correm, muitos foram os realizadores que dedicaram a assustar os espectadores com monstros maquiavélicos, espíritos misteriosos e sangrias desenfreadas. Cinéfilo que se preze já viu todos os clássicos de cinema de terror: os melhores do género na história do cinema.  

Publicidade
Filmes

Clássicos de cinema para totós: as melhores comédias de sempre

A lista de melhores comédias de sempre é discutível (qual não é?), que isto do humor varia muito de pessoa para pessoa. No entanto é garantido serem estes 20 filmes, senão os melhores de sempre, garantidamente uma contínua fonte de gargalhadas, ou sorrisinhos sarcásticos, tanto faz, perante a imaginação cómica ou o puro disparate transformado em arte de fazer rir em qualquer época. 

Publicidade