Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Cinema alternativo em Lisboa esta semana
Estive em Lisboa e Lembrei de Você
©José Barahona Estive em Lisboa e Lembrei de Você (2015), de José Barahona

Cinema alternativo em Lisboa esta semana

Há bom cinema em Lisboa para quem odeia centros comerciais e aprecia ciclos temáticos, fitas antigas e cinema alternativo

Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Se é daqueles que não deixa passar uma estreia, pode espreitar os filmes em cartaz esta semana. Mas, se é um verdadeiro cinéfilo (ou um aspirante a), deve ter em mente que algumas pérolas do cinema escapam às grandes salas. São clássicos para ver e rever – ou apenas filmes fora da rota comercial e por isso fora dos grandes centros comerciais. Para não perder nada, todas as semanas damos-lhe as melhores sugestões de cinema alternativo em Lisboa, habitualmente em salas muito especiais. Não perca a oportunidade de ver (ou rever) alguns filmes obrigatórios, grandes clássicos ou filmes fora da rota comercial.

Recomendado: Filmes em cartaz esta semana

Espaços com programação regular

Alvalade CineClube
Alvalade CineClube
©Alvalade CineClube

Alvalade CineClube

Coisas para fazer Grande Lisboa

Para já tem como morada principal o Centro Cívico Edmundo Pedro, localizado na sede da Junta de Freguesia de Alvalade que tem apoiado os primeiros passos deste cineclube. Foi inaugurado em Abril de 2019 por um grupo de entusiastas residentes (ou ex-residentes) no bairro que já respirou cinema, graças a salas como o Quarteto ou o King, entretanto encerradas e o objectivo é criar um espaço de convívio, reflexão, memória e descoberta. Cada ciclo de cinema é composto por quatro filmes, sendo exibido um ciclo por mês, e as sessões são de entrada livre.

Página oficial: www.facebook.com/AlvaladeCineClube

cine padaria
cine padaria
©Cine Padaria

Cine Padaria

Noite Lisboa

A cooperativa A Padaria do Povo foi criada em 1904 para fabricar pão mais barato para os habitantes da zona. E hoje é a grande sala de convívio de Campo de Ourique: tem xadrez, matraquilhos, dardos e bebidas a preços convidativos e é também a casa do Cine Padaria, organizado por um grupo de cidadãos que, em regime de voluntariado, organiza sessões gratuitas no âmbito do campOvivo, um movimento mais alargado de cidadãos de Campo de Ourique. “O que nos move  é levar a cabo um trabalho abrangente de celebração do cinema enquanto arte e abertura ao  mundo, trabalho esse que simultaneamente possibilite o reforço do sentido de pertença a uma comunidade”, explicam à Time Out.

Página oficial: www.facebook.com/cinepadaria

Publicidade
centro mário dionisio
centro mário dionisio
Fotografia: Ana Luzia

Casa da Achada - Centro Mário Dionísio

Coisas para fazer Castelo de São Jorge

Foi fundada em Setembro de 2008 e aberta ao público um ano mais tarde. Partindo do espólio, interesses e obra de Mário Dionísio, a Casa da Achada, sede do Centro Mário Dionísio, funciona como pólo cultural de Lisboa, cidade em que o escritor, pintor e professor nasceu (1916), viveu e morreu (1993). A programação é variada, sempre de entrada livre, e inclui ciclos de cinema trimestrais, subordinados aos mais diversos temas.

Página oficial: www.centromariodionisio.org

Cinemateca

Filmes Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Tem por principal missão a divulgação e salvaguarda do património cinematográfico português e tem sessões diárias desde 1980 numa antiga moradia na Rua Barata Salgueiro. O edifício foi restaurado na viragem do século e hoje é possível assistir confortavelmente aos clássicos do cinema nacional e internacional em três salas: na sala Dr. Félix Ribeiro, a principal com 227 lugares, na Luís de Pina, com 47, e no terraço onde acontecem projecções quando a meteorologia o permite. No Palácio Foz, a primeira casa e onde hoje funciona a Cinemateca Júnior, está em permanência uma exposição sobre a génese do cinema, um percurso que começa nos espectáculos de sombras.

Página oficial: www.cinemateca.pt

Publicidade
VHS Nights
VHS Nights
©VHS Nights

VHS Nights

Noite Bares abertos de madrugada São Vicente 

Um dos momentos altos dos fins-de-semana da juventude dos anos 80 e 90 era escolher as melhores fitas no videoclube do bairro. As novas tecnologias sentenciaram a morte destes verdadeiros pontos de encontro cinéfilos das cidades, mas é possível matar saudades da fita magnética nestas sessões que acontecem nas Damas, de quando a quando. Só tem de gostar de géneros como o terror, ficção científica, acção ou suspense, as coqueluches das VHS Nights.

Página oficial: www.facebook.com/VHSnights

Cinepop
Cinepop
©DR

Cinepop

Cinemas Areeiro/Alameda

Há quem ainda lhe chame Cinema Roma, uma sala que passou para as mãos da autarquia em 1997 para passar a ser a sede da Assembleia Municipal de Lisboa. Mas este auditório de 700 lugares também está aberto a actividades cívicas, culturais ou sociais como é o caso do Cinepop, um ciclo de filmes de culto dos anos 1970 a 1990 programado por Nuno Markl sem cadência fixa.

Página oficial: www.facebook.com/CinePopLx

Publicidade
Cinema Ideal
Cinema Ideal
©DR

Cinema Ideal

Filmes Bairro Alto

Por aqui já passou o Salão Ideal, o Cinema Ideal (versão 1.0), o Cine Camões e o picante Cine Paraíso. O actual Cinema Ideal, embora numa versão moderna inaugurada em 2014, acaba por ser o mais antigo cinema de Lisboa em funcionamento e a programação tem um especial carinho por produções europeias.

Página oficial: www.cinemaideal.pt

Mais cinema

Os 100 melhores filmes de comédia de sempre

Filmes

Qualquer lista de melhores filmes de comédia de sempre é discutível (mas qual é que não é?), que isto do humor varia muito de pessoa para pessoa. Então como é que se escolhem os melhores? Com seriedade e abrangência. Mais concretamente, falando com peritos, desde cómicos a actores, realizadores e escritores.  

Publicidade

Os 100 melhores filmes de ficção científica de sempre

Filmes

O potencial cinematográfico (e não só) da ficção científica é quase infinito. É nestes filmes que os nossos maiores pesadelos podem tornar-se realidade e os nossos sonhos concretizar-se, ao mesmo tempo que é dito e posto em causa algo sobre o nosso presente. E o género sempre fez as delícias do público, desde o tempo dos efeitos especiais básicos e rudimentares dos filmes mudos ao excesso digital dos blockbusters contemporâneos. 

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade