A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Monstra
©DRWolfwalkers (Monstra - Festival de Cinema de Animação)

A Monstra este ano homenageia a Bélgica e ainda olha para o Japão

A Monstra vai mostrar 480 filmes de animação entre 21 de Julho e 1 de Agosto, e tem a Bélgica como país convidado. Percorremos a programação do festival.

Por
Eurico de Barros
Publicidade

Não é por mero acaso que a Monstra – Festival de Animação de Lisboa começa a sua 20.ª edição no dia 21 de Julho. O certame, que vai até 1 de Agosto e exibe 480 filmes, convida e homenageia este ano a Bélgica e o seu cinema de animação, e 21 de Julho é o Dia Nacional deste país. A Monstra incluirá assim uma série de sessões de curtas e longas-metragens de animação belgas, numa programação em parceria com o Festival Anima, de Bruxelas, que faz 40 anos.

Entre os muitos filmes a exibir estão Harpya, do consagrado Raoul Servais, incluído num programa que lhe é dedicado, Bigfoot em Família, de Ben Stassen e Jeremy Degruson, em antestreia nacional, e ainda uma retrospectiva de filmes animados feitos a partir das aventuras de personagens clássicas de banda desenhada belga, como Tintin ou Lucky Luke. Mas a sessão de abertura do festival faz-se com um filme português, A Mulher do Médico, de Bruno Simões, que também escreve o argumento, em colaboração com o humorista e ilustrador Hugo van der Ding, tendo em complemento Criação, de José Xavier.

Na Competição Internacional há cinco filmes, com destaque para Wolfwalkers, de Tomm Moore e Ross Stewart, que concorreu ao Óscar da categoria e está inédito em Portugal; para Aya e a Feiticeira, de Gorô Miyazaki, filho do mestre Hayao Miyazaki; ou para Josep, a primeira longa-metragem animada do ilustrador francês Aurel. Quanto à Competição Nacional, é composta por 11 curtas-metragens, onde surgem títulos como A Menina Parada, de Joana Toste, Mesa, de João Fazenda, Wanna Be Basquiat, de João Pombeiro, Lote B, de Pedro Serrazina, ou Seja como For, de Catarina Romano.

O Japão tem uma retrospectiva, onde poderemos rever filmes como A Viagem de Chihiro, de Hayao Miyazaki, ou Memórias de Ontem, de Isaho Takahata. Na secção Históricos, serão exibidas as versões originais e os remakes recentes de dois clássicos de Walt Disney que em 2021 fazem 80 e 70 anos, respectivamente Dumbo e Alice no País das Maravilhas. Bem como, entre outros, Acordar para a Vida, de Richard Linklater, ou Quando o Vento Sopra, de Jimmy Murakami.

Na ClipAnim, mostram-se videoclipes animados de bandas internacionais e portuguesas. A DokAnim, dedicada ao cinema de animação documental, exibe uma sessão de curtas documentais nacionais e três longas-metragens, com destaque para Raoul Servais, Memórias de um Artesão, de Bastien Marin. Na TerrorAnim há três filmes de terror e suspense, como Papá Sou uma Zombie, dos espanhóis Ricardo Rámon e Joan Espinach. E regressa a Triple X, com um clássico da animação para adultos, Tarzoon, a Vergonha da Selva, de Picha e Boris Szulzinger (1975), estreado em Portugal logo após o 25 de Abril e que foi um sucesso de bilheteira. E não esqueçamos a secção Experimental, com 18 filmezinhos, assim como a Monstrinha, para os mais pequenos e as famílias, e o Baby Monstrinha, apontado às crianças até 3 anos e com entrada gratuita.

No Museu da Marioneta, está já patente a exposição de material do filme O Crime Peculiar do Estranho Sr. Jacinto, de Bruno Caetano, que foi premiado com uma Menção Honrosa na Monstra 2020. As sessões decorrem no Cinema São Jorge, Cinema City Alvalade, Cinema Ideal, Cinemateca, Cinemateca Júnior. Todos os detalhes da programação podem ser consultados aqui.

+ Cinema alternativo em Lisboa esta semana

+ As estreias de cinema que não pode perder nos próximos meses

+ Leia, grátis, a Time Out Portugal desta semana

Últimas notícias

    Publicidade