As estreias de cinema que não pode perder no início do ano

Há já muitos e bons filmes com estreia marcada para os dois primeiros meses do próximo ano. Eis dez em que fazemos as nossas apostas
THE OLD MAN & THE GUN
Eric Zachanowich
Por Eurico de Barros |
Publicidade

A conversar é que a gente se entende. A pensar nisso, damos-lhe uma dezena de bons tópicos de conversa – em forma de estreias de cinema – para não ficar de fora das discussões cinematográficas.

Robert Redford diz adeus ao cinema em O Cavalheiro com Arma, Clint Eastwood regressa como realizador e actor em Correio de Droga, o francês Jacques Audiard traz-nos um western filmado na Europa com vedetas americanas em Os Irmãos Sisters, a Espanha é o cenário de Todos lo Saben, do oscarizado iraniano Asghar Farhadi, Christian Bale personifica o ex-Vice-Presidente dos EUA Dick Cheney em Vice, Margot Robbie e Saoirse Ronan são rainhas, primas e inimigas em Mary, Rainha dos Escoceses. Estes são apenas alguns dos filmes que vamos poder ver logo nos dois primeiros meses do próximo ano.  

Recomendado: Filmes em cartaz esta semana

As estreias de cinema que não pode perder no início do ano

1

‘O Cavalheiro com Arma’, de David Lowery

Esta comédia dramática policial baseada em factos reais, assinala o último papel de Robert Redford no cinema. O actor, que se estreou a fazer filmes em 1962, interpreta aqui Forrest Tucker, um homem que se evadiu da penitenciária de San Quentin aos 70 anos e cometeu em seguida uma série de roubos audaciosos. Também com Sissy Spacek, Casey Affleck, Keith Carradine, Danny Glover e Tom Waits. (Estreia a 10 de Janeiro)
2

‘Vox Lux’, de Brady Corbet

O percurso de Celeste, uma adolescente que se transformou em estrela pop após um massacre no seu liceu (Raffey Cassidy personifica-a na juventude e Natalie Portman na idade adulta) confunde-se, neste filme de Brady Corbet, com uma série de acontecimentos que atingiram os EUA desde o início do século XX, alguns dos quais mudaram o mundo, caso dos atentados terroristas do 11 de Setembro. (Estreia a 10 de Janeiro)
Publicidade
3

‘Mary, Rainha dos Escoceses’, de Josie Rourke

Margot Robbie interpreta a rainha Isabel I de Inglaterra, e Saoirse Ronan é a sua prima e inimiga Mary Stuart da Escócia, neste drama histórico passado no século XVI, feito de intriga política, conspirações e rebeliões. E que se conclui com a execução de uma das principais protagonistas, depois de ter passado um longo período de encarceramento. A realização é assinada pela estreante Josie Rourke. (Estreia a 17 de Janeiro)
4

‘A Pereira Brava’, de Nuri Bilge Ceylan

O novo filme de Bilge Ceylan, o maior realizador turco de hoje, e um dos mais destacados nomes do cinema contemporâneo, segue Sinan, um jovem escritor em ascensão, que regressa à sua aldeia natal e tem que se confrontar com as dívidas de jogo do pai, e a situação precária e desesperada da mãe e da irmã. A palavra e a natureza, mais uma vez filmada de maneira sumptuosa por Ceylan, têm aqui uma enorme importância. (Estreia a 24 de Janeiro)
Publicidade
5

‘Green Book-Um Livro para a Vida’, de Peter Farrelly

Realizado por um dos irmãos Farrelly, especializados em comédias provocatórias, este filme é umas das surpresas deste fim de ano nos EUA, e trabalha sobre acontecimentos reais. Estamos na década de 60. Viggo Mortensen é Tony Lip, um italo-americano que é contratado para ser o motorista de um pianista negro, Don Shirley (Mahershala Ali), durante uma digressão deste pelo Sul dos EUA. (Estreia a 24 de Janeiro)
6

‘Correio de Droga’, de Clint Eastwood

Um policial dramático realizado e interpretado por Clint Eastwood, no papel de um nonagenário, veterano da II Guerra Mundial e horticultor, que é apanhado a transportar três milhões de dólares de droga de um cartel mexicano através do Michigan. É mais um filme que se inspira em factos e personagens reais. Eastwood é acompanhado no elenco por Bradley Cooper, Dianne Wiest, Andy Garcia e Laurence Fishburne. (Estreia a 31 de Janeiro)
Publicidade
7

‘Os Irmãos Sisters’, de Jacques Audiard

E aqui temos um western baseado no livro de um escritor canadiano, rodado por um cineasta francês em Espanha e na Roménia, que passam pelos EUA do tempo do Oeste selvagem, e que apresenta um elenco de actores americanos e europeus. Joaquin Phoenix e John C. Reilly são os irmãos Sisters do título, dois pistoleiros que trabalham para quem lhes pagar melhor. Mas um deles está farto e quer mudar de vida. (Estreia a 31 de Janeiro)
8

‘Bucha & Estica’, de Jon S.Baird

Uma produção anglo-canadiana-americana que conta a história da exigentíssima e penosa digressão por Inglaterra e pela Irlanda feita por Stan Laurel e Oliver Hardy, os lendários Bucha e Estica, após a II Guerra Mundial, quando o duo tentava reactivar a sua carreira no cinema, o que não viria a conseguir. Steve Coogan interpreta o Estica e John C. Reilly personifica o Bucha, e a realização é do escocês Jon S. Baird. (Estreia a 7 de Fevereiro)

Publicidade
9

‘Todos lo Saben’, de Asghar Farhadi

O oscarizado cineasta iraniano Asghar Farhadi (Uma Separação, O Passado), instalou-se em Espanha para rodar este drama familiar interpretado por Javier Bardem, Penélope Cruz e pelo argentino Ricardo Darín. É a história de uma espanhola que vive em Buenos Aires e regressa ao seu país com os dois filhos, para assistir ao casamento da irmã, deparando-se então com acontecimentos e revelações que vão perturbar a cerimónia. (Estreia a 14 de Fevereiro)
10

‘Vice’, de Adam McKay

Uma biografia do neocon Dick Cheney, o vice-presidente de George W. Bush, que foi um dos homens mais poderosos dos EUA e influenciou, decisiva e dramaticamente, a política externa do país, sobretudo no que diz respeito ao Médio Oriente. Adam McKay, o realizador de A Queda de Wall Street, deu o papel de Cheney a Christian Bale. Vice está nomeado para seis Globos de Ouro (lidera a respectiva lista) e é já considerado um muito forte candidato aos Óscares. (Estreia a 14 de Fevereiro)

Tanto cinema

filipa gregório e mauro gonçalves serviram de modelos
Fotografia: Manuel Manso e Rui Pita
Filmes

As melhores salas de cinema de Lisboa

O cinema é, em grande medida, uma experiência íntima. Por mais que sejamos solidários, pessoas com mente aberta, gente disponível para aventuras destemidas, há coisas que só fazem sentido da nossa maneira. Ou seja, se para uns um filme vai bem com uma avalanche de pipocas (e aquele mascar é por certa agradável banda sonora), para outros há poucas coisas piores no mundo do que ir ao cinema e ter que levar com o barulho da mão a ir ao fundo do balde (e o sugar do refrigerante na palhinha? Ui…). A lista que se segue é uma tentativa de prós e contras sem animosidade, para agradar a gregos e troianos, pois claro.

Filmes

14 filmes originais Netflix que tem de ver

Para lá das séries, há muito cinema para ver na Netflix, que tem apostado cada vez mais em filmes. Começou com os documentários, depois com os filmes de autor e, mais recentemente, entrou no campeonato de Hollywood e dos grandes festivais de cinema. Seja com Roma, que conquistou o Leão de Ouro em Veneza, ou Aniquilação, do escritor e realizador Alex Garland (Ex Machina), que acabou abandonado pela Paramount antes da estreia – felizmente, a Netfix não deixou escapar e acabou a produzir o filme de ficção científica que tem Natalie Portman à cabeça. Contas feitas, os filmes com a chancela da Netflix já são muitos. Na ficção, estes são os que não pode perder. 

Publicidade
Filmes

Filmes que ganharam o Óscar de Melhor Filme e que pode ver na Netflix

Nunca é tarde para se pôr a par dos filmes que no passado foram eleitos os melhores do ano pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. Todos os títulos desta lista ganharam o Óscar de Melhor Filme. Estão na Netflix e são bons à primeira, à segunda e à terceira. Mas não se esqueça que o catálogo do serviço de streaming vai sofrendo alterações e por isso alguns filmes desaparecem ao fim de algum tempo. Ou seja, não se deixe dormir e ponha o cinema em dia. Aproveite para rever agora estes filmes vencedores do Óscar. 

Publicidade