Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right As estreias de cinema que não pode perder até ao final do ano
Wonder Woman 1984
DR Wonder Woman 1984

As estreias de cinema que não pode perder até ao final do ano

Uma selecção de uma dúzia de filmes a não perder, que se vão estrear até ao final do ano.

Por Eurico de Barros e Tiago Neto
Publicidade

A pandemia levou a que várias superproduções americanas e o novo James Bond fossem adiados para 2021, ou enviados para o streaming, mas isso não quer dizer que não se continuem a estrear filmes de interesse todas as semanas. Por isso, fizemos uma escolha de títulos que vão chegar aos cinemas até ao final do ano. Dela constam duas produções portuguesas: Listen, de Ana Rocha de Sousa, que recebeu uma série de prémios no Festival de Veneza, e Bem Bom, de Patrícia Sequeira, que conta a história das Doce. Bem como Miss, de Ruben Alves, autor de A Gaiola Dourada.

Recomendado: Os filmes originais Netflix que tem de ver

As estreias de cinema que não pode perder até ao final do ano

Listen’, de Ana Rocha de Sousa

A primeira realização de Ana Rocha de Sousa, radicada em Inglaterra, centra-se num casal português com três filhos que faz pela vida nos arredores de Londres. Mas um mal-entendido na escola com a filha do meio, que é surda, atira toda a família para um calvário na Segurança Social. Com Lúcia Moniz e Ruben Garcia. (Estreia dia 22 de Outubro)

‘As Bruxas de Roald Dahl’, de Robert Zemeckis

Nova versão do imortal livro infantil de Roald Dahl, já adaptado ao cinema em 1990 por Nicolas Roeg. Um rapazinho órfão de sete ano vai viver com a avó e acaba por se envolver com um grupo de bruxas que participam numa convenção. Com Anne Hathaway, Octavia Spencer e Stanley Tucci. (Estreia dia 29 de Outubro)
Publicidade

‘Aznavour por Charles’, de Charles Aznavour e Marco di Domenico

Durante mais de 30 anos, Charles Aznavour, usando uma máquina de filmar que lhe foi dada por Edith Piaf em 1948, registou os mais variados aspectos da sua vida: viagens, concertos, momentos íntimos com familiares e amigos, etc. Este documentário é composto por uma selecção desses momentos. (Estreia dia 29 de Outubro)

‘Miss’, de Ruben Alves

O realizador de A Gaiola Dourada está de regresso com esta longa-metragem sobre Alex (Alex Wetter), um rapaz que não se sente bem na sua pele masculina e vai tentar realizar o seu sonho de menino: ser Miss França. Mas para isso, terá que enganar muita gente, e vai ser ajudado pelos seus amigos e amigas mais próximos. (Estreia dia 5 de Novembro)
Publicidade

‘Pinóquio’, de Matteo Garrone

Uma nova versão do clássico infantil de Carlo Collodi, em que Matteo Garrone escolheu usar só efeitos especiais tradicionais, bem como seguir à risca o enredo do livro. Roberto Benigni, que já interpretou Pinóquio numa adaptação de 2002 que também realizou, personifica agora Gepeto, enquanto que o papel do título vai para o pequeno Federico Ielapi. (Estreia dia 5 de Novembro)

‘Blackbird – A Despedida’, de Roger Michell

Susan Sarandon, Sam Neill, Kate Winslet e Mia Wasikowska são os principais intérpretes deste melodrama familiar. Um casal, Lily (Sarandon) e Paul (Neill), ela com uma doença terminal, convocam os filhos adultos para a casa de praia da família, para lhes comunicarem uma decisão que tomaram. (Estreia dia 5 de Novembro)

Publicidade

‘Vivarium’, de Lorcan Finnegan

Um jovem casal (Jesse Eisenberg e Imogen Poots) em busca de uma casa num bom bairro instala-se num novo empreendimento, chamado Yonder. O casal começa a reparar que há algo de estranho com o sítio onde escolheram viver, descobrindo que estão presos num labirinto feito de casas idênticas. (Estreia dia 5 de Novembro)

‘Bem Bom’, de Patrícia Sequeira

A história das Doce, que nos anos 70 e 80 entraram em grande estilo, cénica e musicalmente, num panorama musical português em mudança, mas ainda dominado pela música revolucionária, transformando-se num fenómeno artístico, comercial e de popularidade. Com Bárbara Branco, Lia Carvalho, Ana Marta Ferreira e Carolina Carvalho. (Estreia dia 26 de Novembro)
Publicidade

‘Monster Hunter’, de Paul W.S. Anderson

Esta adaptação ao cinema do jogo de vídeo homónimo tem Milla Jovovich no papel da tenente Artemis, uma militar que se vê transportada, juntamente com a sua unidade, e durante uma tempestade de areia, para um mundo novo e hostil, povoado por monstros. E estes são imunes às suas armas. (Estreia dia 3 de Dezembro)

‘O Bando de Ned Kelly’, de Justin Kurzell

Russell Crowe lidera o elenco desta fita de aventuras baseada no romance do escritor Peter Carey sobre o célebre fora-da-lei australiano Ned Kelly e o seu bando, que deram água pela barba às autoridades durante a década de 70 do século XIX. Também com Nicholas Hoult, Charlie Hunnam e Essie Davis. (Estreia dia 10 de Dezembro)
Publicidade

‘Morte no Nilo’, de Kenneth Branagh

Depois do mal recebido Um Crime no Expresso no Oriente (2017), Kenneth Branagh volta a interpretar o detective Hercule Poirot de Agatha Christie, bem como a assegurar a realização desta nova versão de Morte no Nilo. Gal Gadot, Annette Bening, Dawn French e Armie Hammer surgem também no elenco. (Estreia dia 10 de Dezembro)

‘Mulher Maravilha 1984’, de Patty Jenkins

Segundo filme da Mulher Maravilha com Gal Gadot de novo no papel principal. Diana avançou várias décadas no tempo e está agora em 1984. Trabalha como arqueóloga no Smithsonian Museum e vai enfrentar dois novos inimigos: o poderoso homem de negócios Max Lord (Pedro Pascal) e a misteriosa Cheetah (Kristen Wiig). (Estreia dia 23 de Dezembro)

Mais para ver

Leaving Neverland
©IMDB

Oito documentários para ver na HBO

Filmes

Para já, há alguns títulos que devem fazer parte da lista de obrigatórios; histórias de crime, de fraude, histórias de impérios que se perdem e voltam a erguer-se, histórias de coragem contra sociedades e governos e mentalidades. Estes oito documentários na HBO são alguns dos melhores que se encontram pelo vasto mundo do streaming, e só tem de se sentar e vê-los.

Publicidade
Call Me By Your Name
©IMDB

Os melhores filmes gay

Filmes

Não é que a posição da indústria em relação ao assunto seja unânime, mas há cada vez mais espaço para grandes histórias que, numa outra altura, teriam ficado arquivadas na gaveta. Ainda bem que assim o é, caso contrário, títulos como Felizes Juntos; Os Rapazes Não Choram ou Moonlight, nunca teriam chegado à tela. Na lista abaixo estão 13 filmes gay essenciais a qualquer cinéfilo. Arranje tempo e não lhes tire os olhos de cima. 

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade