A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

As Ladras estão em Santa Apolónia a fazer pratos simples e do mundo

Por
Ines Garcia
Publicidade

Maria João e Filipa foram roubar influências de comidas de várias partes do mundo para o pequeno bistrô que abriram a meio caminho entre Santa Apolónia e o Campo de Santa Clara, por isso autodenominaram-se, sem pudores, As Ladras.

Nenhuma tem formação em cozinha embora Filipa tenha estado a trabalhar com grupos de restauração durante algum tempo, na área administrativa. Mas a insegurança acaba por se tornar numa maneira mais leve de encarar a comida e dá-lhe “liberdade”, reconhece, para criar os pratos deste restaurante que tem uma parte tradicional portuguesa misturada com pozinhos asiáticos ou sul-americanos.

Salada de polvo
Fotografia: Manuel Manso

Na ementa, que não é nada fixa – em três semanas de abertura já trocaram quatro pratos e acrescentaram outros tantos – está um ceviche do dia, aqui de carapau, servido com puré de batata doce em cama de maionese japonesa (8,50€), um caril de frango com crème fraîche (7,50€) ou a mais portuguesa salada de polvo (8,75€). Há ainda espetadinhas de frango com teriaky ou picante (6,50€), um bife do pojadouro (8€) e uma opção vegetariana.

Ceviche de carapau
Fotografia: Manuel Manso

A maioria dos pratos são preparados com produtos frescos, com atenção àqueles que são muitas vezes desaproveitados ou desvalorizados, e as referências de vinhos são de pequenos a médios produtores. Aos poucos, querem ir acrescentando – e testando – mais pratos, trazer mais bebidas.

Caril de frango
Fotografia: Manuel Manso

Antes de serem As Ladras, iam para um nome mais anglo-saxónico que envolvia cocktails, fish e guts. Foram para o português porque não querem ficar presas apenas a um tipo de comida, mas nem por isso desistiram da ideia dos cocktails. Nos planos estão três sazonais com bebidas portuguesas como base – amêndoa amarga, vinho do Porto, moscatel ou o lourinhac, a aguardente da Lourinhã, uma das três regiões demarcadas de aguardente vínica no mundo, a par das francesas Cognac e Armagnac.

Calçada dos Cesteiros, 7 (Santa Apolónia). Ter-Sáb 13.00-22.00.

Últimas de comer e beber na cidade:

+ Valdo Gatti: o novo italiano do Bairro Alto com pizzas biológicas

+ O novo Bohemio da Ribeira é um dois em um no Cais do Sodré: serve jantar e cocktails

Últimas notícias

    Publicidade