A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Chefs on Fire
©Luis Niza

Chefs on Fire anuncia cartaz para Setembro e restaurante temporário

Dino D'Santiago, Manel Cruz ou os Clã são alguns dos artistas que vão cantar enquanto os melhores chefs portugueses cozinham, nos dias 18 e 19 de Setembro, em Cascais.

Escrito por
Luís Filipe Rodrigues
Publicidade

A pandemia impediu o Chefs on Fire de se realizar mais cedo, mas o regresso está marcado para 18 e 19 de Setembro. Segundo a organização, a terceira edição do festival gastronómico e cultural quer ser uma homenagem à superação da saudade e ao desejo de reencontrar na comida, nos amigos, no bom vinho e cerveja, um lugar de celebração do melhor do nosso país (e das nossas vidas).

A principal novidade desta edição, que volta a realizar-se no espaço FIARTIL, em Cascais, é o Pop Up Chefs on Fire, que vai abrir portas antes do início do festival e funcionar como um restaurante ao ar livre entre os dias 9 e 16 de Setembro, também na FIARTIL. Todos os dias vai haver dois chefs e uma banda diferente, e a lotação máxima é de 300 pessoas. O alinhamento vai ser anunciado em breve.

Por agora, conhece-se apenas o cartaz do festival propriamente dito, que este ano junta 14 chefs e dez artistas portugueses. “Fazia sentido que nos focássemos em ajudar os nossos e o melhor do nosso país, especialmente numa altura em que todos, sem excepção, estamos a sobreviver a um contexto totalmente anormal e muito difícil nas nossas áreas. Esta escolha é o nosso tributo a essa luta, um incentivo à perseverança”, justifica o fundador e produtor executivo Gonçalo Castel-Branco.

À volta da fogueira, a cozinhar, vão estar os chefs Diogo Noronha (Foodriders), Gil Fernandes (Fortaleza do Guincho), Hugo Candeias (Ofício), Marlene Vieira (Zunzum), Miguel Laffan (Hotel Torre de Palma), Rodrigo Castelo (Taberna Ó Balcão) e Telmo Moutinho (Padaria da Esquina). No sábado, 18, Dino D'Santiago, The Legendary Tigerman, Benjamim, Noiserv e Miramar juntam-se a eles.

No segundo dia, os nomes são outros. Há concertos de Clã, Manel Cruz, Samuel Úria, Rita Redshoes e Cais Sodré Funk Connection, enquanto os chefs Alexandre Silva (Loco, Fogo), António Galapito (Prado), Carlos Afonso (O Frade), Diogo Lopes (Cura), Luís Gaspar (Sala de Corte), Michele Marques (Gadanha) e Vítor Adão (Plano) brincam com o fogo, para gáudio dos comensais festivaleiros.

Para a música e a comida escorregarem melhor, haverá cervejas Super Bock Selecção 1927 e vinho Trinca Bolotas. Os bilhetes diários, à venda na Ticketline, dão direito a cinco copos e dez doses de comida, e por agora custam 75€. A partir de 15 de Agosto, sobem para 95€. Há também passes de dois dias, à venda por 130€ (160€ daqui a dez dias), e bilhetes diários para crianças, no valor de 25€.

+ FUSO 2021: festival de videoarte regressa a Lisboa no final de Agosto

+ Primeiro Soundflower Fest traz Hercules and Love Affair a Portugal

Últimas notícias

    Publicidade