A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Chefs On Fire 2021
José FernandesChefs On Fire 2021

Chefs on Fire: mais mulheres, novo formato e pop-ups ao longo do ano

O festival gastronómico dedicado à cozinha de fogo acontece nos dias 17 e 18 de Setembro. A edição deste ano traz várias novidades, do destaque a chefs emergentes a uma amostra dos melhores restaurantes do país.

Escrito por
Cláudia Lima Carvalho
Publicidade

Considerado por nós como o acontecimento de 2021, o Chefs on Fire reinventa-se para a edição deste ano. Volta a acontecer em Setembro, nos dias 17 e 18, e tem como chefs convidados nomes como os estrelados Alexandre Silva (LOCO), João Oliveira (Vista), Henrique Sá Pessoa (Alma), João Rodrigues (Feitoria) e Pedro Almeida (Midori). Há ainda um número recorde de mulheres no cartaz, da chef Louise Bourrat (BouBou’s) a Alana Mostachio (VDB Bistronomie). Na música, Carolina Deslandes e David Fonseca são os cabeças de cartaz. 

“Foi um balão de oxigénio num tempo estranho, uma bolha de amor – sim, até pode soar piroso, mas o número de abraços por metro quadrado não desmente. E antes que se apontem dedos, não entrava ninguém sem fazer teste (mesmo quem tivesse sido vacinado) e o número de infecções por Covid estava baixo. A terceira edição do festival gastronómico dedicado à cozinha de fogo aconteceu no timing perfeito. Foram dois dias de festa, com a comida no centro das atenções, pelas mãos de 14 chefs – uma vaca a rodar no fogo, um fire pit cheio de trutas e leitões, legumes ao lume e uma imensidão de possibilidades no prato – e música, com Dino D’Santiago e Clã a encabeçar o cartaz. No final, não houve fumo que atrapalhasse.”

Chefs on Fire
Luis Niza

Foi assim que, no final do ano, premiámos o festival. O local para a edição deste ano não está ainda confirmado. Tem acontecido na Fiartil, no Estoril, mas por agora sabe-se apenas que será em Cascais. E, ao contrário do que tem acontecido em que cada chef escolhe os pratos que vai fazer, este ano foi lançado um desafio, dividindo-se os chefs por quatro categorias: carne, peixe, vegetariano e sobremesa. Para dar visibilidade aos novos nomes da cozinha, a organização, liderada por Gonçalo Castel-Branco, criou ainda a categoria “rising star”. “Um esforço consciente de incluir equipas que estão em crescimento, mas já com uma qualidade técnica incrível e que merecem ver o seu talento partilhado com o público”, destaca Castel-Branco. 

Assim, no dia 17, a carne fica a cargo de Alexandre Silva, Vasco Coelho Santos (Euskalduna Studio), Rodrigo Castelo (Taberna Ó Balcão), Louise Bourrat e Pedro Forato (Prado Mercearia). Já o peixe fica nas mãos de João Oliveira, Lucas Azevedo (Praia no Parque), Kiko Carvalho (O Boteco, O Talho, A Cevicheria) e Nikita Polido (Celmar). Nuno Castro (Fava Tonka), Bruno Caseiro (Cavalariça) e Alana Mostachio ficam com os pratos vegetarianos. Nos doces, estão Márcio Baltazar (Ocean) e Jüliana Penteado (Jüliana Penteado Pastry).

No segundo dia, Henrique Sá Pessoa, Maurício Ghiglione (Belos Aires), Bruno Rocha (Bairro Alto Hotel), Hugo Brito (Boi-Cavalo) e Marcella Ghirelli (Comida Independente) tratam da carne, enquanto João Rodrigues, Noélia Jerónimo (Noélia e Jerónimo), Pedro Almeida e Tiago Penão (Kappo) ficam responsáveis pelos pratos de peixe. O menu vegetariano fica a cargo de David Jesus (Seiva), Vítor Adão (Plano) e Ana Leão (Musa) e as sobremesas são assinadas por Carlos Fernandes (Azor Hotel) e Leonor Sousa Bastos (Flagrante Delícia). 

Chefs on Fire
DR

Mas há mais novidades na comida, com uma nova secção a ganhar espaço no festival. Chama-se bites e pretende ser uma amostra “dos melhores restaurantes do país que são convidados a integrar a programação e a recriar um prato icónico do seu menu, preparado no fogo”, lê-se no comunicado. A selecção de restaurantes ainda não está fechada. 

Anunciados no ano passado, mas sem terem acontecido devido à situação pandémica, são os almoços e jantares pop up a acontecer em várias cidades do país. Para 2022, promete-se um cartaz brevemente do que se espera que seja uma “um spin-off da versão original que continua a combinar a estética de cozinhar com fogo e o regresso às origens à boa música portuguesa, agora num restaurante ao ar livre”. 

Na música, o cartaz ainda não está fechado, mas além de Deslandes e Fonseca, estão confirmados Bruno Pernadas e Luísa Sobral. 

Os bilhetes já estão à venda e os preços diários vão dos 95€ (inclui dez doses de comida, cinco bebidas e cinco concertos) aos 65€ (com cinco doses, duas bebidas e cinco concertos). Por 130€, há o passe para os dois dias, com direito a tudo o que inclui o bilhete de 95€ (a dobrar, claro).

+ Lisbon Week quer mostrar a arte que há em Marvila

+ Numa zona industrial de Sintra, esconde-se um restaurante onde não falta nada

Últimas notícias

    Publicidade