Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Cidadãos à escuta: qual é o impacto social da prostituição?
Notícias / Vida urbana

Cidadãos à escuta: qual é o impacto social da prostituição?

avenidas novas, ciclovia
Fotografia: Arlindo Camacho

Ouvi na Freguesia é o nome da iniciativa criada por um grupo de cidadãos das Avenidas Novas, que vai promover a participação cívica em Lisboa através de conferências.

A ideia foi criada por três fregueses – Catarina Dornelas Pinheiro, Luiza Cadaval de Sousa e Pedro Félix – que vindos de diferentes áreas profissionais querem "promover conferências, de interesse geral, para que todos tenham a oportunidade de ouvir e participar sobre temas prementes da comunidade que os envolve".

Já tem uma página no Facebook, outra no Instagram, um sítio oficial e um tema para a primeira conferência. O novo movimento de cidadãos alfacinhas quer que os lisboetas em geral e os conterrâneos de freguesia em particular se juntem para debater assuntos que precisam de uma atenção especial.

É o caso do primeiro tema que será debatido já esta terça-feira, 13 de Novembro: "Prostituição – Impacto Social", que estará em cima da mesa das 20.30 às 23.30 na Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho (Rua Rodrigo da Fonseca 115), localizada numa zona frequentada por profissionais do sexo.

Na lista de oradores convidados contam-se Margarida Teixeira, da Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres, e Dália Rodrigues, da instituição O Ninho, que acolhe e ajuda mulheres ligadas à prostituição.

+ Se quer ajudar os bombeiros, alugue um pinheiro de Natal

+ Carta aberta ao cavalheiro estacionado em segunda fila

Publicidade
Publicidade