Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Está a chegar a primeira edição do Open Conventos
Notícias / Vida urbana

Está a chegar a primeira edição do Open Conventos

Mosteiro de Santo Alberto
© CML | DMC | DPC | José Vicente Mosteiro de Santo Alberto, hoje o Museu Nacional de Arte Antiga

Imagine um Open House, mas com conventos. De 23 a 25 de Maio está convidado a conhecer bem de perto os mais relevantes mosteiros e conventos da cidade, uma iniciativa gratuita e inédita em Lisboa.

Conversas, itinerários e visitas guiadas por especialistas e também visitas livres que podem ser feitas com a ajuda de uma aplicação. O programa do primeiro Open Conventos está desenhado e junta a Câmara Municipal de Lisboa, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML), o Patriarcado de Lisboa e a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova. O Objectivo é convidar os lisboetas e visitantes a conhecer espaços habitualmente fechados ao público. E antes ou depois da visita a um convento ou mosteiro, aproveite para conhecer ou redescobrir algumas das igrejas mais bonitas da cidade.

A primeira edição do Open Conventos acontece entre 23 e 25 de Maio e dá a conhecer não só tesouros escondidos, como outros bem visíveis que podem ser vistos quando o visitante quiser. Chamar a atenção para este património religioso, artístico e arquitectónico é a principal missão do Open Conventos que também lhe irá abrir os olhos para antigos conventos que têm hoje uma utilização bem menos espiritual, como é o caso da Assembleia da República e do Museu Nacional de Arte Antiga.

Com a extinção das ordens religiosas em 1834, mosteiros e conventos de todo o país foram esvaziados e acolheram escolas, hospitais, museus ou forças militares. Espaços que continuaram habitados e que, por isso mesmo, não definharam com o tempo. Mesmo assim, a organização deste Open Conventos quer ver mais visitantes nos conventos da cidade para que sejam valorizados, apreciados, vividos e mantidos.

 

Capela dos Lencastres – Convento de São Pedro de Alcântara
©SCML/DICM

 

O primeiro momento do programa é conversa, mas não é fiada. A abertura está marcada para 23 de maio, quinta-feira, na Igreja de São Vicente de Fora com um concerto de órgão por Sérgio Silva (18.00), ao qual se segue a conversa “O que fazer com os Conventos de Lisboa?” que levará para cima da mesa questões como os critérios éticos na utilização de antigos espaços conventuais. O painel, moderado por José Pedro Frazão, jornalista da Rádio Renascença, estará bem recheado e conta com personalidades como Catarina Vaz Pinto, vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, o padre António Pedro Boto, da Direcção Cultural do Patriarcado de Lisboa, Margarida Montenegro, directora da Cultura da SCML, ou João Carlos Santos, subdirector-geral da Direcção-Geral do Património Cultural. O público que se inscrever nesta iniciativa (a entrada é gratuita mediante marcação prévia) poderá interpelar o painel com perguntas. Este é um dos espaços que consta no programa e a visita guiada pelo padre Bruno Machado ao Mosteiro de São Vicente de Fora acontece sábado de manhã (10.00), uma gota no oceano do que há para descobrir neste Open.

Lisboa tem mais de 50 casas religiosas (e 119 igrejas), metade parcialmente ocupada e outra metade a aguardar novos usos, mas este evento tem como principal objectivo dar a conhecer as grandes casas religiosas que tiveram ou têm um maior impacto social em Lisboa. São elas o Convento de Nossa Senhora do Bom Sucesso, o Convento de São Francisco de Paula, o Convento de São João de Deus, o Convento de Santo Alberto (Museu Nacional de Arte Antiga), o Convento de Nossa Senhora dos Remédios, o Convento de Nossa Senhora da Soledade, o Mosteiro de Nossa Senhora da Nazaré de Lisboa, o Convento de Santa Brígida, o Mosteiro de São Bento da Saúde (Assembleia da República), o Convento de Nossa Senhora de Jesus, o Mosteiro do Santíssimo Sacramento de Lisboa e o Convento de Nossa Senhora da Conceição dos Cardaes.

O programa é totalmente gratuito, mas tanto as visitas guiadas como os itinerários pedem inscrição. Se preferir andar à solta pode sempre fazer uma visita livre, entre as 10.00 e as 18.00, com o auxílio da aplicação Quo Vadis, uma versão para telemóveis que emula o site oficial Quo Vadis, a plataforma turística do Patriarcado de Lisboa, onde está disponível todo o programa do Open Conventos.

+ Igrejas em Lisboa que todos os lisboetas deviam conhecer

+ Nova plataforma do Patriarcado: o turismo religioso de Lisboa está todo modernaço

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments