A Time Out na sua caixa de entrada

Bairro Alto

Freguesia da Misericórdia perdeu quase três mil recenseados em cinco anos

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

Este é apenas um dos dados que ajudaram um estudante universitário a concluir uma tese de mestrado que pretende ajudar a Junta de Freguesia da Misericórdia a atingir metas propostas pela Agenda 2030, das Nações Unidas (ONU). 

O projeto, apresentado esta quarta-feira no Espaço Santa Catarina, chama-se “Uma Freguesia Com Objectivos Globais +” e é ao mesmo tempo a tese de mestrado de Gabriel Londe Medeiros, estudante no ISEG – Instituto Superior de Economia e Gestão, instituição vizinha da Freguesia da Misericórdia. As duas entidades uniram forças para cumprir objectivos globais a nível local.

Gabriel ajudou a desenhar um plano de acção para a próxima década, sustentado nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – que inclui 169 metas – das Nações Unidas, que passam por temas emergentes como a erradicação da pobreza e da fome, a acção climática, as cidades e comunidades sustentáveis, o trabalho digno e crescimento económico, a igualdade de género ou a redução das desigualdades. Tudo a nível mundial e com um grande objectivo no horizonte: mudar o mundo.

Na freguesia, Gabriel identificou alguns dos dados alarmantes: todos os dias são produzidas 35 toneladas de lixo, “um número absurdamente alto”; entre 2013 e 2019, a freguesia perdeu 2771 recenseados, ficando apenas com cerca de dez mil; e os alojamentos locais são hoje 2942, quando em 2011 havia apenas 11 registados.

Embora seja fundamental o envolvimento das grandes organizações mundiais no cumprimento deste novo modelo global, aprovado em 2015, Gabriel explica que a Agenda 2030, “insere pela primeira vez o cidadão como principal actor da mudança”, nesta que considera ser “uma das agendas mais importantes e universais do século XXI”. “Fizemos uma adaptação destas metas para a freguesia”, diz Gabriel que, depois de estudar o território, definiu 90 objectivos que se adaptam à realidade da Freguesia da Misericórdia, que inclui zonas como o Bairro Alto e a Bica.

Como desafios prioritários estabeleceu a redução da produção de resíduos sólidos; a promoção do turismo sustentável; o controle da perda de população; e a promoção da inovação e empreendedorismo social. Entre as metas escolhidas para a Misericórdia estão a eliminação do consumo de plástico nos edifícios públicos até 2025; a promoção de acções junto do comércio local, no sentido da adopção de práticas sustentáveis e de responsabilidade social; ou a criação de dois cursos e workshops por ano até 2021, ministrados por artistas e técnicos de qualidade da freguesia.

+ Lisboa “blinda-se” contra fenómenos atmosféricos “violentos e inesperados”

+ Uma manifestação de amor no fecho inevitável da histórica Casa Pereira

Últimas notícias

    Publicidade