A Time Out na sua caixa de entrada

IndieLisboa vai mostrar mais de 250 filmes este ano

Por
Luis Filipe Rodrigues
Publicidade

O IndieLisboa regressa em Maio com "mais de duas centenas e meia de filmes". É um número tão grande que este plumitivo tentou contá-los todos e perdeu-se a meio. Resta-nos, portanto, acreditar na organização.

Destes filmes, mais de 50 são portugueses. A maior parte deles são curtas ou filmes na competição nacional de longas-metragens, como Alva, de Ico Costa, Campo, de Tiago Hespanha, Mar, de Margarida Gil, A Minha Avó Trelototó, de Catarina Ruivo, Tragam-me a Cabeça de Carmen M., de Felipe Bragança e Catarina Wallenstein, e Tristeza e Alegria na Vida das Girafas, de Tiago Guedes.

Mas não só. Também há matéria-prima nacional na secção IndieMusic, como Um Punk Chamado Ribas, de Paulo Miguel Antunes, Batida de Lisboa, de Rita Maia e Vasco Viana, ou Ela É Uma Música, de Francisca Marvão. E a exibição deste último documentário será acompanhada por um concerto, dia 10 de Maio, nas Carpintarias de São Lázaro, com artistas como Lena d’Água, Adelaide Ferreira, As Gaijas, The Dirty Coal Train, Anarchicks, Panelas Depressão, Clementine, Decibélicas, Matriarca Paralítica e Aurora Pinho.

Destaca-se também o cinema brasileiro contemporâneo que, além de se encontrar no programa "Brasil em transe" da secção Herói Independente, se desdobra pelo resto do festival. Ao todo serão exibidos mais de 30 filmes produzidos ou co-produzidos recentemente pelo país. E estarão vários realizadores em Lisboa para uma conversa sobre o presente e o futuro do cinema brasileiro e do Brasil nestes "tempos turbulentos".

O segundo Herói Independente desta edição é, na verdade, uma heroína: Anna Karina. A actriz (e escritora e realizadora) francesa foi um rosto fulcral da nouvelle vague e estará em Lisboa para acompanhar uma retrospectiva parcial do seu trabalho, co-organizada pela Cinemateca e o IndieLisboa.

Jonathan Vinel e Caroline Poggi são mais dois nomes a ter debaixo de olho. O trabalho da dupla francesa estará em foco na secção Silvestre, onde será exibida Jessica Forever, de 2018, a sua primeira longa-metragem, e mais nove curtas realizadas neste século.

Entre os filmes a não perder este ano contam-se ainda Peterloo, do britânico Mike Leigh. E, na abertura do festival, The Beach Bum, de Harmony Korine, com Matthew McConaughey à frente de um elenco onde surgem também Zac Efron e Snoop Dogg, entre outros. Ou Synonymes, de Nadav Lapid, premiado este ano com o Urso de Ouro do Festival de Berlim, na sessão de encerramento.

O IndieLisboa realiza-se entre 2 a 12 de Maio, na Culturgest, Cinema Ideal, São Jorge e Cinemateca.

+ Cinema alternativo em Lisboa esta semana

Últimas notícias

    Publicidade