Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Lisboa é destino obrigatório para os amantes de vinho em 2019
Notícias / Vida urbana

Lisboa é destino obrigatório para os amantes de vinho em 2019

Gomes - Casa de Vinhos e Petiscos

Lisboa foi eleita um dos melhores destinos vínicos do ano no último número da prestigiada Wine Enthusiast, revista de referência internacional no sector vitivinícola. O artigo vem acompanhado de sugestões de passeios, dormidas ou restaurantes em toda a região.

A Região Vitivinícola de Lisboa – que inclui as denominações de origem controlada de Alenquer, Arruda, Bucelas, Carcavelos, Colares, Encostas d’Aire (Alcobaça e Medieval de Ourém), Lourinhã, Óbidos e Torres Vedras, além da indicação geográfica homónima – surge num top 10 ao lado de impérios vínicos como a região de Beaujolais, em França, ou os vales de Temecula, na Califórnia, e de Maipo, no Chile.

“A região vinícola costeira de Lisboa e as suas pequenas subpelações reflectem a diversidade vínica encontrada em todo o território nacional”, afirma a premiada crítica de vinhos Lauren Mowery, no artigo da Wine Enthusiast que justifica a escolha da capital portuguesa para a lista de destinos obrigatórios para enoturismo em 2019.

Entre elogios à intersecção entre a “preservação do património” e a “bem-vinda mudança”, a revista americana destaca “a posição de Lisboa ao longo do Atlântico”, que oferece “uma miríade de solos, microclimas e topografias”, destacando-se por exemplo as vinhas de Colares, com castas como Ramisco para “tintos saborosos” e Malvasia para “brancos salinos”. Sugere-se, por isso, uma visita à Adega Regional de Colares, que – fundada em 1931 – é a mais antiga adega cooperativa do país.

Para além de Óbidos, é ainda destaque a região de Alenquer, com “tintos robustos e encorpados de clássicos portugueses”, a partir da Touriga Nacional ou Tinta Roriz, sugerindo-se a prova de “vermelhos promissores” na Quinta do Pinto ou na Quinta do Monte d’Oiro.

“Como uma das regiões de exportação mais antigas de Portugal, as referências aos bens fermentados de Bucelas datam de séculos”, refere ainda a revista, que propõe “um mergulho profundo na uva Arinto”, por exemplo na “mansão em tons de salmão da Quinta da Romeira”, onde chegaram a repousar familiares do célebre Marquês de Pombal, famoso pelo apoio à vinha e ao incentivo à exportação.

Para além de destino obrigatório para enoturismo, Lisboa – “repleta de mercados, cafés e estrelas Michelin” – também é recomendada aos “amantes da gastronomia”. A par das melhores adegas e quintas para provar vinho, também o Time Out Market, referido como Mercado da Ribeira, surge como a primeira de mais de dez sugestões de sítios onde jantar na cidade.

+ O cinema também gosta (e muito) de vinho

Publicidade
Publicidade

Comentários

0 comments