Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Ljubomir Stanisic: Pesadelo na Cozinha está "cada vez melhor"
Notícias / Filme

Ljubomir Stanisic: Pesadelo na Cozinha está "cada vez melhor"

Ljubomir Stanisic
Fotografia: Arlindo Camacho

Ljubomir Stanisic está de volta para mais uma dezena de episódios de Pesadelo na Cozinha. Trocámos uns emails com o chef.

Ele bem diz que não quer ser estrela de televisão, mas desde o sucesso imediato de Pesadelo na Cozinha, em 2017, que Ljubomir Stanisic não se livra desse título. Dois anos depois, o programa está de volta para uma terceira temporada – mesmo depois de o chef jugoslavo ter dito que estava cansado e que o queria mesmo era estar na cozinha. E razões não lhe faltam: o seu novo 100 Maneiras abriu em Março no Bairro Alto e é por lá que Ljubomir se encontra mais vezes.

A verdade é só uma: “Ljubo”, como é tratado pelos amigos, não consegue estar parado. E no caso de Pesadelo da Cozinha até já havia um contrato assinado para esta terceira temporada. “Tenho que fazer mais uma série de dez episódios. Embora não me apeteça fazer, não o faria, mas tenho de o fazer”, disse em Junho à Prova Oral de Fernando Alvim. Agora, à Time Out, via email, não se compromete com o futuro. Vai ser mesmo o último Pesadelo na Cozinha? “Não sei… como dizia o João Pinto, prognósticos só no fim do jogo”, responde, garantindo que o entusiasmo pelo programa não morreu. “Tanto eu como a equipa que me acompanha, nomeadamente o Manuel Amaro da Costa, o realizador, estamos mais experientes, vamos aprendendo com os nossos erros.”

Com o tempo, a forma como encara o desafio tem vindo a mudar, mas mesmo assim não tem dúvidas de que “o resultado é cada vez melhor”.

Os novos episódios arrancam em Lisboa, num restaurante no Campo Pequeno, o Apple House, uma das mais antigas hamburguerias de Lisboa. Falta de higiene, ausência de ingredientes frescos e desorganização no staff são os grandes desafios do chef, que já está bem habituado a isto.

O maior pesadelo para Ljubomir são na verdade as “pessoas que não ouvem, que não têm paixão pelo que fazem, que não sabem nem querem aprender”. “E quando tentamos ajudar e as pessoas não sabem receber essa ajuda, também é muito frustrante”, acrescenta ainda. Em três anos, houve muito disso, como se viu em alguns momentos de tensão entre o chef e alguns dos proprietários que, apesar de terem pedido ajuda, recusaram aceitar as críticas ao seu trabalho. Mas também há aqueles que mudaram e a esses o chef volta várias vezes. “Mantenho o contacto com alguns proprietários das edições passadas”, conta.

Mais uma vez, o chef vai viajar pelo país, mas a TVI não quer revelar tudo de uma vez, até para evitar as romarias aos restaurantes intervencionados. Porque o segredo ainda é a surpresa da transformação.

TVI. Dom 21.15 (estreia T3)

Ljubomir Stanisic está sem manias e com toda a paixão no novo restaurante

Publicidade
Publicidade

Latest news