A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

Medeia Card fica mais barato com encerramento dos cinemas no Monumental

Por Beatriz Silva Pinto
Publicidade

Passar os dias nos cinemas Medeia vai ficar mais em conta. O motivo é o já conhecido encerramento das salas de Paulo Branco no Monumental. 

A mensalidade do cartão Medeia, que dá a possibilidade de ver um máximo de dois filmes por dia nas salas de cinema da Medeia vai descer de 17 para 12 euros. A redução no preço deve-se ao já divulgado encerramento do Monumental – o Centro Comercial Monumental vai entrar em obras neste ano e deixará de ser uma das principais casas do cinema de Lisboa, em que são exibidas produções anglo-saxónicas e europeias, de grandes estúdios ou independentes.

Sendo assim, a partir de 21 de Fevereiro, a programação do Monumental limitar-se-á, num período ainda indefinido, a uma programação especial da Sala 4, aos fins-de-semana, que terá fim no momento em que as obras de remodelação se iniciarem. “Essa programação, que se pretende singular, incluirá antestreias, sessões únicas de filmes não estreados e outros, ciclos, debates”, anuncia a Medeia Filmes em comunicado.

Para lá das sessões que terão lugar aos fins-de-semana no cinema Monumental, quem tem o cartão Medeia vai continuar a poder ver filmes no Medeia Nimas (Lisboa) e no Cine-teatro do Campo Alegre (Porto). De resto, as condições são as mesmas: entrada gratuita em todos os filmes (com a diferença de duas horas entre sessões) e direito a dois bilhetes de acompanhante a 4,50 euros.

“Os actuais detentores do cartão com assinaturas anuais que expirem para lá do dia 1 de Abril serão recompensados com a oferta de três meses extra em relação à data de validade (caso prefiram, poderão ser reembolsados, na proporção dos meses até ao termo do contrato)”, lê-se, ainda, no comunicado.

Mas, até lá, a Medeia tem um cartaz bem recheado para o início de 2019. A partir de quinta-feira, dia 3, é exibido em exclusivo o novo Lars von Trier, The House That Jack Built, que será acompanhado pelo ciclo “Uma História de Violência (no Cinema)”. Ainda por lá passarão O Amante Duplo, de François Ozon, Vox Lux, de Brady Corbet, Selvagens, de Dennis Berry, Correio de Droga, de Clint Eastwood, entre outros.

+ Cinema alternativo em Lisboa esta semana

Últimas notícias

    Publicidade