A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
A Loja Azul
Mariana Valle Lima

Nesta loja, cabe Portugal e o Mediterrâneo inteiro

As cerâmicas e têxteis portugueses são o que mais brilha dentro d’A Loja Azul. Um conceito importado de França onde cabem peças de todo o Mediterrâneo.

Escrito por
Mauro Gonçalves
Publicidade

O azul profundo é, de facto, o primeiro cartão-de-visita desta pequena loja na Mouraria. Lá dentro, saltam à vista as cerâmicas, praticamente todas feitas em Portugal, mas também os tapetes felpudos, a joalharia e a ilustração. Nem tudo é português — esta loja é dedicada a marcas e artesãos do Mediterrâneo. Uma ideia que nasceu além-fronteiras, como conta Julie Ferré, há mais de três anos a morar em Lisboa.

A Loja Azul
Mariana Valle Lima

O primeiro espaço com o nome A Loja Azul abriu em Marselha, mais ou menos na altura em que trocou Paris pela capital portuguesa. Mas o caminho de Julie voltaria a cruzar-se com o dos três amigos com quem trabalhou na ideia inicial. "Não estava previsto, foi um acaso. Eles ligaram-me a dizer que havia um espaço perfeito para abrir a loja em Lisboa e a perguntar-me se não queria ser eu a pegar nisso", conta.

Sem grandes hesitações, disse sim. Mais pequena do que a loja em solo francês (que tem dois andares e até um pequeno restaurante), o espaço de Lisboa exibe sobretudo peças portuguesas. Dos copos e jarros feitos em São Pedro do Corval, o epicentro da olaria alentejana, aos vasos decorados com fisionomias humanas — a cerâmica é o forte do catálogo. Feitos no Norte do país a partir de desperdício têxtil, os tapetes dão nas vistas. Há ainda espaço para as ilustrações de Teresa Rego, mas também para os brincos da Sol Studio ou para os sacos e t-shirts da tunisina Lyoum.

A Loja Azul
Mariana Valle Lima

Julie rejeita a ideia de "uma loja de produtos turísticos", embora os estrangeiros de visita a Lisboa representem a maior fatia dos clientes. A verdade é que a porta número sete da Rua de São Cristóvão está cheia de objectos a serem descobertos pelos próprios locais e há certamente uma lista de coisas que podiam muito bem ir morar lá para casa. E muitas delas também estão presentes na loja de Marselha.

A procura de novos ofícios e artesãos não acaba, portugueses e não só. Mais do que a geografia é o estilo de vida próprio do Sul da Europa e nas margens do Mediterrâneo a inspirar a curadoria d'A Loja Azul. O melhor é mesmo ir mantendo esta casa debaixo de olho — se não for numa visita à Mouraria (o horário está prestes a alargar), pelo menos através do Instagram.

Rua de São Cristóvão, 7. 218 864 128. Seg e Qui-Sáb 10.30-14.00 e 15.00-19.00, Qua 14.00-19.00 e Dom 10.30-18.30.

+ Design e sustentabilidade: a nova vida de uma antiga padaria lisboeta

+ Wheat & Rose: uma história de avós e netas, agora em Campo de Ourique

Últimas notícias

    Publicidade