A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
O Relento
Ricardo Lopes

O Relento, histórica marisqueira em Algés, fechou

Depois de sucessivos anúncios de reabertura, o restaurante na baixa de Algés, com mais de 50 anos, continua encerrado.

Escrito por
Joana Moreira
Publicidade

Após mais de 50 anos, o emblemático restaurante O Relento, em Algés, está de portas fechadas. A marisqueira, localizada na Av. Combatentes da Grande Guerra, desde Janeiro que indicava na porta sucessivas datas de reabertura – que nunca foram cumpridas. Hoje, as cartas acumulam-se à porta e no vidro lê-se apenas: fechado.

Conhecido não só pelo marisco fresco, mas também pelos croquetes, rissóis e chamuças, o restaurante era regularmente apontado como uma das melhores marisqueiras de Lisboa e arredores. À entrada destacava-se um enorme viveiro e expositor.  

Restaurante, O Relento, Marisqueira, Cervejaria
©Manuel MansoO Relento

“Para mim era a melhor”, diz Jorge, do outro lado do balcão do Café Central, junto ao Mercado de Algés, a poucos passos dali. Hoje com 65 anos, Jorge era cliente habitual d’O Relento e ainda se lembra da casa inicial, mais pequena e com outros homens no comando. O espaço, que abriu nos anos 1960, sofreu remodelações profundas há cerca de 30 anos, quando Carlos e Tomé, funcionários, compraram o estabelecimento e se tornaram sócios. Com a morte de Tomé, “há uns anos”, foi o filho, José Tomé, que passou a ser responsável pela marisqueira, ao lado de Carlos, que viria a morrer no início de 2021. 

Em vários grupos de Facebook de moradores da zona, como o "Desafiar Algés" ou "Algés Acontece", multiplicam-se publicações com questões sobre o estado actual d'O Relento.

A Time Out tentou contactar os responsáveis pelo estabelecimento para averiguar não só o futuro do espaço como as consequências para os trabalhadores, mas não obteve resposta.  

+ Mariscadas em Lisboa: quem não marisca, não petisca

+ A Nata do Bairro saiu do forno e chegou a Algés

Últimas notícias

    Publicidade