A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Topo Martim Moniz
Francisco Romão Pereira

Para chegar ao TOPO é preciso renovar. E foi o que se fez no Martim Moniz

Comida de partilha, novos cocktails, a vista de sempre. O TOPO, no Martim Moniz, está de cara lavada.

Escrito por
Teresa David
Publicidade

Para aqui chegar é preciso subir até ao sexto piso do Centro Comercial do Martim Moniz. Lá, espera-nos uma vista sempre surpreendente para a praça, para a Mouraria, para a Graça e para o Castelo. É esta paisagem que sempre foi (e continua a ser) o grande chamariz do TOPO, mas não o único, especialmente agora que há novidades. A decoração está mais acolhedora, a carta das bebidas levou uma reviravolta, a das comidas também. A essência do rooftop, que acima de tudo é uma casa para convívios ao final da tarde, mantém-se.

“O TOPO mudou completamente, tanto cá dentro como lá fora, mas já foi há um ano, na altura da covid”, explica Joana Trindade, uma das responsáveis. E se lá fora as mudanças são singelas – retiraram-se os blocos de madeira para deixar respirar o espaço –, no interior são evidentes. Há máquinas arcade, o balcão central está agora mais encostado a uma das paredes e toda a estética está mais calorosa. “Começámos a achar que rentabilizávamos pouco o espaço interior e, ao mesmo tempo, gostávamos de um ambiente mais quente, mais confortável, até porque as pessoas começaram a procurar o interior e não só o terraço. Então escolhemos estes tons mais verdes, mais quentes, para ser mais confortável estar aqui”, acrescenta. 

Topo Martim Moniz
Francisco Romão PereiraTopo

As mudanças mais recentes estão, porém, nas cartas. “Duas vezes por ano sentimos necessidade de mudar”, garante Joana. Nas bebidas, a renovação deu-se nos cocktails de autor, “a imagem de marca do TOPO”. A apresentá-la no dia em que a Time Out visitou o espaço, estavam os especialistas João Rodrigues e Ricardo Servo, que deram aos presentes um workshop para preparar uma das novas adições: o life is peachy (10€), chamado assim em honra dos americanos Korn, com alperce, gengibre, soda, citrinos, chá e rum. "Quisemos ter um serviço mais rápido para o cliente, coisas mais preparadas. O nosso objectivo é ser rápidos e que o cocktail esteja bom”, diz o barman João. Além do refrescante life is peachy, os novos don’t worry be happy (14€), com cognac, banana, canela, vinho tinto e citrinos; ou o fizzical (10€), com gin, ameixa, pêssego, soju e vinho; são outras opções.  

Já a carta da comida desvia-se dos pratos completos para dar lugar à partilha. “Nós antes tínhamos partilha, mas também tínhamos pratos mais compostos, que obrigavam as pessoas a procurar uma mesa para comer. Nesta carta já não é assim. Já podem vir dois, três e estar de pé a beber um copo e a partilhar qualquer coisa do menu”, explica Francisco Marramaque, outro dos responsáveis. Na nova carta encontram-se então petiscos como as bombas de queijo com jalapeños (7€), as asas de frango (9€), as tortilla chips com queijo e pico de gallo (9€), e ainda hambúrgueres, como o surf and turf (23€), com camarão e molho chipotle, e o mexican (13€), com guacamole, jalapeños e pico de gallo. Tudo isto para desfrutar ao som de um DJ, que ao final da tarde actua no terraço e à noite no interior. 

Topo Martim Moniz
Francisco Romão Pereira

Esta é a nova vida do espaço, mas a marca TOPO, que recentemente perdeu a concessão da sua localização no Chiado, tem mais planos para o futuro. “Estamos sempre à procura de sítios para abrir outro”, revela Joana. Até lá, bebemos um cocktail no Martim Moniz. 

Centro Comercial Martim Moniz (Martim Moniz). Dom-Qua 12.30-01.00. ui-Sáb 12.30-02.00 

+ Durante um mês, a gastronomia funde-se com a arte na Avenida da Liberdade

+ O melhor da Estremadura à prova em Lisboa e no Estoril

Últimas notícias

    Publicidade