A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

Só voltaremos a ter Estação de Arroios no final de 2020 ou início de 2021

Por Raquel Dias da Silva
Publicidade

Metro de Lisboa rescindiu o contrato com construtora por incumprimento. Lançamento de novo concurso adia novamente a data de conclusão da obra para o final de 2020 ou início de 2021. Empreitada já se alonga há ano e meio.

As obras na estação do metro de Arroios iniciaram-se em Julho de 2017, com conclusão prevista inicialmente para Janeiro de 2019. O segundo prazo, estabelecido há um ano, já apontava para o segundo trimestre de 2019. Com a rescisão do contrato com o empreiteiro, as obras voltaram a derrapar. O gabinete do ministro do Ambiente, Matos Fernandes, avança agora com uma nova data para a reabertura da estação: final de 2020 ou início de 2021.

Há cerca de ano e meio que as obras de ampliação do cais, para permitir a circulação de comboios com seis carruagens, representam um transtorno. Por um lado, para os utentes da linha verde do metro, que têm de sair na estação da Alameda ou na dos Anjos, perdendo tempo de deslocação. Por outro, para os comerciantes locais, que denunciam perdas significativas nos seus negócios e continuam à espera que a proposta de isenção das taxas de publicidade e de ocupação da via pública, posta em cima da mesa em Abril de 2018, seja concretizada. 

As obras – que também incluem a instalação de elevadores no átrio norte para facilitar o acesso à Praça do Chile – estavam estimadas em 5,9 milhões de euros, mais 1,3 milhões do que o inicialmente previsto. A meio de Janeiro, o Ministério do Ambiente informou o Parlamento de que o Metro de Lisboa pretendia lançar até ao final do mês um novo “concurso público internacional, com prévia qualificação” mas só será possível conhecer o novo valor da obra depois da adjudicação do novo contrato.

Novo concurso para obras do Areeiro

A estação de metro do Areeiro, também da linha verde, está em trabalhos de requalificação há mais de quatro anos, sem elevadores ou escadas rolantes em funcionamento, impossibilitando o acesso a passageiros com mobilidade reduzida ou condicionada.

Em 2008, iniciaram-se obras para a ampliação do cais. No âmbito do respectivo projecto, o novo átrio sul entrou em funcionamento em 2013 e apenas nessa altura se iniciou a remodelação do átrio norte, com acesso para a Praça Francisco Sá Carneiro e para a Avenida Almirante Gago Coutinho, onde seriam instalados elevadores, renovadas as paredes, tectos e pavimentos, bem como actualizados os sistemas técnicos e reorganizados os espaços de apoio. Em 2014, a obra foi suspensa, também por incumprimento contratual do empreiteiro, e desde então que este acesso da estação está encerrado.

Em resposta ao Parlamento, o gabinete do ministro do Ambiente informou que, para “garantir a segurança de pessoas e bens em toda a rede, foi considerado necessário proceder a ajustamentos e à reprogramação dos trabalhos de reformulação do Átrio Norte da Estação Areeiro, da Linha verde, de modo a responder a novas intervenções ao nível do reforço estrutural da laje do cais junto ao topo da estação, do tratamento das infiltrações nos tímpanos do rebaixo do túnel rodoviário, bem como de infiltrações ao nível do pavimento do Átrio Sul”.

Apesar dos sucessivos anúncios de retomar as obras e de conclusão das mesmas, até agora nada se concretizou, motivando queixas por parte dos moradores e comerciantes ao longo dos anos. Deverá ser lançado outro concurso público para a conclusão da empreitada, orçada em 3,8 milhões de euros.

+ Metro de Lisboa bate recorde no número de passageiros

Últimas notícias

    Publicidade