A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
The Insólito
Gabriell Vieira

The Decadente e The Insólito: na toca do coelho quer servir-se boa comida portuguesa

Novo chef, nova carta, nova decoração e um bar com vista para Lisboa. O Decadente e o Insólito, no Miradouro São Pedro de Alcântara, voltam a estar de portas abertas.

Escrito por
Teresa David
Publicidade

Há uma decadência nas coisas insólitas. Até nas renovadas. Depois de muito abre e fecha, culpa da pandemia, já não há mesas de jantar na esplanada do The Insólito, que reabre em Outubro como uma espécie de bar descontraído. O The Decadente já está aberto e pronto a servir comida portuguesa. Os espaços, que moram num palacete em frente ao Miradouro de São Pedro de Alcântara, no Príncipe Real, e que pertencem ao grupo The Independente Collective, têm agora novos conceitos e novo chef. A partir de agora a comida está a cargo do chef David Vieira, que antes era sous-chef de Bruno Rocha e Nuno Mendes no Bairro Alto Hotel. 

Chef David Vieira
Gabriell Vieira

A receber-nos no The Insólito está um veado vestido a rigor. Foi ver a ópera no São Carlos e passou por lá para beber um copo. Por baixo dele, na lareira, uma boneca fixa-nos com um olhar penetrante e o resto da decoração da sala de jantar, ou toca do coelho, leva Alice ao País das Maravilhas. Há espelhos e portas que não abrem e que simulam realidades paralelas, quadros virados ao contrário e objectos que já só se encontram em casa dos nossos avós. Até aqui tudo estranho, porque normal é uma palavra feia e aborrecida. 

The Insólito
Gabriell Vieira

Mas a grande novidade no The Insólito é a parte exterior. Mantendo a cidade e o Tejo como pano de fundo, já não há mesas para jantar. Agora é uma espécie de bar. Segundo os irmãos Bernardo e Duarte d'Eça Leal, do The Independente Collective, a ideia é que este seja um espaço descontraído, em que as pessoas chegam entre o final da tarde e o final da noite para beber um copo, sem a pressão de um jantar formal. No chão de madeira há tapetes coloridos e os sofás, almofadas e candeeiros de ferro que imitam troncos de árvores enfatizam o ambiente sereno e despreocupado. Para comer, o chef David Vieira prepara finger food, mas quem desejar pode sentar-se à mesa no interior do restaurante ou seguir para o The Decadente, até porque o The Insólito só reabre em meados de Outubro. 

The Insólito
Gabriell Vieira

Já o The Decadente funciona a todo o gás. O restaurante regressa com cozinha portuguesa e pequenos produtores e a grelha vive lado a lado com um bar cru.rei é o produto. A carta não distingue entradas e pratos principais. O objectivo é que se peçam vários pratos para se poder provar de tudo um pouco. Destaque para a gamba do Algarve com pele de frango e algas (7€), o frango frito Decadente com coentros e piri-piri (12€), a cavala braseada com morangos e tomate (9€) ou a couve coração grelhada com molho de amêndoas e citrinos (8€). Há ainda sobremesas, sodas caseiras e cocktails de autor. A lista de vinhos tem uma vasta opção orgânica e bio-dinâmica. 

Em ambos os espaços, todas as quintas-feiras e sábados, há música ou DJ ao vivo, com curadoria de Ana Vulcão. 

The Decadente
Gabriell Vieira

Mas a renovação acaba de começar. Bernardo e Duarte d'Eça Leal revelam que planeiam abrir um espaço para street food, uma loja de vinhos, uma gelataria, e muito mais – tudo no mesmo palacete.

Rua de São Pedro de Alcântara, 81 e 83. Vários horários. 

+ Thank You Mama, pelo pequeno-almoço familiar fora de casa

+ Dentro do maat, nasceu um restaurante virado para o Tejo e para o Mediterrâneo

Últimas notícias

    Publicidade