A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Publicidade da BP, ilustração de Fernando Bento
Gabriell Vieira

Uma pérola da publicidade dos anos 60 resiste numa garagem lisboeta

Há um painel publicitário na Rua Rodrigues Sampaio que encanta quem por lá passa. Descobrimos que é uma ilustração do famoso autor de banda desenhada Fernando Bento.

Por Helena Galvão Soares
Publicidade

“Aquilo é uma chama que está ali. Quer dizer, chama a atenção. No Verão – este não, por causa disto –, mas no Verão há muita gente a tirar fotografias, turistas, franceses, ingleses. Toda a gente gosta muito daquilo”, diz Aníbal Lopes, da Auto Mini Clube, actual proprietária do painel publicitário que pode ser visto na garagem da Rua Rodrigues Sampaio.

Sem saber precisar mais, Aníbal Lopes assegura que o painel era de publicidade à BP e já existia há 50 anos, quando foi trabalhar para a J. J. Gonçalves, afamada representante da Austin em Portugal, desde, pelo menos, 1935. Nos calores do pós-25 de Abril, em 1977, a empresa passou para as mãos dos trabalhadores – "mas não foi nada daquelas confusões, a cedência de quotas foi negociada e chegámos a um justo acordo", apressa-se a esclarecer – e nasceu a Auto Mini Clube. E sobre o painel publicitário nada mais sabe.

Painel publicitário da BP, a partir de ilustração de Fernando Bento
Gabriell Vieira


Eis-nos num beco sem saída. Seria uma publicidade da BP inglesa? Ou de um ilustrador português? Para testar esta hipótese, só há um nome com quem falar – o designer Jorge Silva, imparável coleccionador e investigador sobre tudo o que diga respeito a ilustração em Portugal.

Enviadas umas fotografias toscas por e-mail, resta esperar por uma resposta. E ela surge rapidamente: “Conheço muito bem a peça, já a fotografei. O artista chama-se Fernando Bento e foi um grande ilustrador e banda-desenhista da chamada época dourada das revistas infanto-juvenis, nos anos 40 e 50. Esta composição é uma declinação gráfica de anúncios aos combustíveis da BP, dos anos 60, empresa de que ele era funcionário (um desses anúncios está no livro da Publicidade Ilustrada). Arrepia pensar que um dia desapareça de vez.”

O livro a que Jorge Silva se refere é uma das suas obras, O Sono Desliza Perfumado – Publicidade Ilustrada 1895-1972 (2017), uma preciosa selecção de anúncios restaurados digitalmente, com textos do próprio e de João Paulo Cotrim. O anúncio que deu origem ao painel ocupa as páginas 200-201 e foi digitalizado da Revista ACP, 9-10, de Setembro-Outubro de 1966. Ei-lo.

Anúncio Revista ACP, 9-10. Setembro-Outubro de 1966
DR


Fernando Bento não é sobretudo conhecido pelo seu trabalho em publicidade. Destaca-se, isso sim, por ter sido um precursor e prolífico autor da banda desenhada em Portugal, estreando-se, em 1938, aos 28 anos, no suplemento infantil do jornal República. Antes disso já desenhava cartazes, cenários e figurinos para teatro de revista.

Foi caricaturista, capista, ilustrador, mas ficou sobretudo conhecido como autor de banda desenhada entre os anos de 1941 e 1962, marcando presença nas duas principais revistas infanto-juvenis da época, a Diabrete e a Cavaleiro Andante.

Entre 1941 e 1951 aparece ligado à revista Diabrete, dirigida por Adolfo Simões Müller, onde publica algumas séries cómicas, mas também desenha adaptações de obras de Júlio Verne (A Ilha Misteriosa e Matias Sandorf, por exemplo) e Robert-Louis Stevenson (A Ilha do Tesouro). Publicou o seu primeiro álbum em 1948 com o título A Última História de Xerazade, uma adaptação de Adolfo Simões Müller do livro As Mil e Uma Noites.

Em 1952 começa a desenhar na revista Cavaleiro Andante, também dirigida por Müller, onde publica uma adaptação de Beau Geste, trabalho que viria ser publicado na Bélgica traduzido para flamengo. Sucedem-se adaptações de aventuras de Sherlock Holmes, obras de Walter Scott e clássicos juvenis do alemão Erich Kästner (Emílio e os Detectives). Com o fim da Cavaleiro Andante, em 1962, interrompe a publicação na banda desenhada, que recomeça em 1973, no vespertino A Capital, mantendo-se em actividade até nos abandonar, em 1996.

A lista da extensa obra de Fernando Bento pode ser consultada no site da Bedeteca, e embora se possam encontrar online obras suas, não há um site dedicado à sua obra gráfica. Pensamos de novo no painel publicitário e na frase de Jorge Silva: "Arrepia pensar que um dia desapareça de vez.” E pode. O prédio já foi comprado e a garagem vai ser demolida. Talvez não destruam a placa, talvez haja bom senso. Às vezes acontece.

+ Há um unicórnio em Arroios (mas tem um “córnio” muito pequenino)

+ Há um balão que dá horas na Ribeira das Naus – e é a hora legal

Últimas notícias

    Publicidade