Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right A road trip perfeita até ao MEO Marés Vivas

A road trip perfeita até ao MEO Marés Vivas

Em 300km muita coisa pode acontecer. Siga as nossas sugestões para uma road trip a caminho do festival MEO Marés Vivas.

dornes
©Noticiasdozezere
Por Time Out em associação com MEO |
Publicidade

De Lisboa a Vila Nova de Gaia é um tirinho. Mas porque não saborear a viagem? Vá mais cedo, explore tudo num dia só em jeito de maratona e descubra Portugal pelo caminho, enquanto vai decorando as letras ou recordando as músicas de Kodaline, Keane, Ornatos Violeta, Mando Diao, HMB ou Sting, os cabeças de cartaz de mais uma edição MEO Marés Vivas (19 a 21 de Julho) para animar a viagem. Sugerimos 10 paragens de sul a norte (ou de norte a sul, como preferir), numa aventura do asfalto que inclui animais gigantes de cerâmica, grutas calcárias, ruínas romanas, tripas de ovos moles, chapéus de chuva coloridos ou um mercado medieval.

Recomendado: As melhores canções para ouvir a caminho do MEO Marés Vivas

1
bisonte europeu

Parque Biológico de Gaia

Mas antes de se dirigir à foz do Douro de Vila Nova de Gaia, o campo. O Parque Biológico de Gaia é uma mistura de jardim zoológico, jardim botânico e reserva natural. Criado a partir de um conjunto de antigas quintas, tem uma área de 35 hectares onde vivem centenas de plantas e animais em estado selvagem ou cativeiro. Entre eles o bisonte, uma espécie actualmente a ser reintroduzida no meio natural, ou um bicho chamado saca-rabos, pequeno carnívoro trazido para Portugal pelos árabes e outrora venerado no antigo Egipto. 

2
umbrella sky project
©António da Silva Martins

Águeda

Até 28 de Julho está em marcha mais uma edição do AgitÁgueda, o festival municipal de artes mundialmente famoso pelo seu "Umbrella Sky Project", uma iniciativa de arte urbana nascida em 2012 que espalha intervenções artísticas pela cidade, de bancos de jardim a escadarias, com especial destaque para o colorido céu de chapéus-de-chuva da Rua Luís de Camões.

Publicidade
3
Costa Nova
©DR

Costa Nova

Está na altura de regressar à costa portuguesa. E esta é uma gema cada vez menos escondida nos guias turísticos. Numa língua de terra entre a Ria de Aveiro e o Oceano Atlântico, fica esta vila de pescadores do concelho de Ílhavo, famosa pelas casas de madeira às riscas azuis, vermelhas, amarelas ou verdes, antigos palheiros que guardavam materiais associados à pesca. Hoje são o postal da Costa Nova, mas há mais para fazer do que tirar a fotografia da praxe. Aqui comem-se tripas, mas doces. Uma massa de bolacha semi-crua que pode ser servida simples ou recheada de ovos moles, chocolate (os sabores originais), framboesa, avelã e outras gulodices. Chama-se Tripas de Aveiro, mas a receita nasceu na costa nova pelas mãos de Zé da Tripa há cerca de 70 anos. A barraquinha está na avenida principal à sua espera.

4
Mata do Buçaco
©Duca696

Mata Nacional do Bussaco

Na Serra do Bussaco encontra-se esta área protegida, uma zona verde plantada pela Ordem dos Carmelitas Descalços que aqui tinham o seu retiro conventual. A ordem importou árvores de todo o mundo, sendo o ex-libris da Mata Nacional do Bussaco o Cedro-do-Bussaco, espécie exótica originária da América Central, cuja plantação do exemplar mais antigo remonta ao século XVII. O património cultural da mata também merece atenção. Inclui uma Via Sacra, ermidas de habitação destinadas aos religiosos que quisessem uma morda temporária fora do mosteiro ou duas bulas papais gravadas em pedra: uma a interditar a entrada de mulheres e outra a sentenciar excomunhão a quem destruísse árvores ou apanhasse madeira. A entrada é livre a pé, mas para entrar de carro tem de deixar 2€ à porta.

Publicidade
5
lagoa da vela

Figueira da Foz

Tem os binóculos consigo para ver melhor para o palco? Óptimo. Ponha-os a render nas lagoas de Quiaios, locais de eleição para a observação de outro tipo de aves raras. Pelo menos para quem não domina a ciência da ornitologia. Com uma zona de piqueniques encontra-se à disposição, um dos melhores locais para a observação é a Lagoa da Vela, a maior desta área protegida, que é visitada por espécies como o Galeirão-comum ou a Pega-rabuda. Siga as indicações na EN109 para lá chegar.

6
conimbriga
©Carole Raddato

Conímbriga

Não são apenas um clássico da história, como um clássico do turismo nacional. As Ruínas de Conímbriga abriram ao público em 1930, há quase um século, e são bem mais visitáveis do que muitos sítios arqueológicos famosos em todo o mundo. Este que é o maior conjunto de ruínas romanas em Portugal, consegue tirar fotografias sem cabeças de outros turistas a entrar no plano e imaginar uma próspera cidade romana onde ainda são visíveis materiais decorativos como mosaicos, esculturas e pinturas murais. E vestígios de estruturas como um templo, basílica, cúria, lojas, termas, aqueduto ou habitações como a Casa dos Repuxos e a Casa Cantaber. A porta está aberta todos os dias entre as 10.00 e as 19.00, o bilhete custa 4,5€ e inclui entrada no Museu Monográfico de Conímbriga.

Publicidade
7
dornes
©Noticiasdozezere

Ferreira do Zêzere

Também a aldeia de Dornes (nome muito Guerra dos Tronos), no concelho de Ferreira do Zêzere, figura numa lista de topo, mas a das 7 Maravilhas de Portugal - Aldeias. Terra de bonitas paisagens sobre o rio, a chamada “Península Encantada”, é um dos locais de eleição para a prática de actividades aquáticas, da canoagem ao wakeboard. Mas pode ficar só por um passeio de barco e relaxar. Não se esqueça que tem de se poupar para outras marés.

8
grutas de mira daire
©Lara Maia

Grutas de Mira de Aire

Localizadas no Parque Natural da Serra dos Candeeiros e D’Aire, são as maiores grutas turísticas do país e uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal. Com 11km de extensão, chegam a alcançar os 180km de profundidade, quase tanta como a que vai sentir com o "Ouvi Dizer" dos Ornatos Violeta que sobem ao palco no sábado. O bilhete (6,90€)dá acesso a cerca de menos de 1km de gruta, o suficiente para perceber a dimensão e apreciar a singularidade do local, com muitas salas, lagos e escadas pelo caminho. As grutas estão abertas todos os dias (entre as 09.30 e as 19.00, de Junho a Setembro) e as visitas são acompanhadas por um guia ao longo do trajecto visitável.

Publicidade
9
gato assanhado de bordallo pinheiro
©DR

Caldas da Rainha/ Óbidos

Foi Bordalo Pinheiro que pôs as Caldas da Rainha na rota da cerâmica mundial, com a fundação da antiga Fábrica de Faianças das Caldas da Rainha. Pode inteirar-se do assunto na Casa Museu San Raphael, aberta na antiga casa da família Bordalo, com a ajuda de peças originais, desenhos, documentos ou mais de mil moldes em gesso, ou desatar a encher o Instagram com imagens de peças de loiça gigantes. Em 2015 foi criada a Rota Bordaliana, com a instalação de réplicas gigantes de algumas das figuras mais icónicas do mestre, como o Zé Povinho, o Gato Assanhado ou uma rã sobre nenúfares na fonte junto à estação de comboios. Se preferir um festival à moda antiga, começa quinta-feira o Mercado Medieval de Óbidos, por onde se passeiam nobres e burgueses, trabalham artesãos, entretêm malabaristas, manipulares de fogo e jograis, entre torneios a cavalo e combates a pé.

10
Marisqueira Mar à Vista
Fotografia: Manuel Manso

Ericeira/ Mafra

Na “terra dos ouriços” – uma das versões para o baptismo da vila piscatória — cheira quase sempre a férias. E é talvez o melhor ponto de partida para entrar no espírito da viagem. É o sítio ideal para uma boa barrigada de peixe e marisco nos restaurantes locais, como a Marisqueira Mar à Vista, na Praia dos Pescadores, mas que tal ir à Ericeira provar um pastel de nata? O da pastelaria O Pãozinho das Marias (1,20€) venceu primeiro prémio no concurso Peixe em Lisboa em 2017. Já que está no concelho de Mafra, aproveite para conhecer um novo Património Mundial da UNESCO, mas antiga estrela da casa: o Palácio Nacional de Mafra.

Tudo o que precisa para o MEO Marés Vivas

Sting
© DR
Música

MEO Marés Vivas 2019: seis concertos a não perder

O MEO Marés Vivas está de regresso à Antiga Seca do Bacalhau, em Vila Nova de Gaia, de 19 a 21 de Julho, e traz nomes de peso que marcaram gerações. O cartaz ecléctico contempla grandes nomes da música intemporal, do pop ao soul e ao rap. Keane, Sting, Morcheeba e Ornatos Violeta são alguns dos artistas que irão subir ao palco principal, com vista para o rio e para o mar. Há música para todos os gostos, é certo, e nós reunimos-lhe aqui seis grandes concertos que não pode perder na 13ª. edição do festival. Recomendado: Os melhores festivais de Verão do norte do país

Keane
© DR
Música

As melhores canções para ouvir a caminho do MEO Marés Vivas

Visitar o norte do país é sempre bom. Muito bom. E o MEO Marés Vivas, que regressa à Antiga Seca do Bacalhau, em Vila Nova de Gaia, entre os dias 19 e 21 de Julho, é uma desculpa tão válida como outra qualquer para nos fazermos à estrada. A poucos dias do início do festival, escolhemos a banda sonora perfeita para a viagem, com clássicos de estrada, como "Born To Run", de Bruce Springsteen, e canções de alguns dos artistas confirmados para esta edição, dos Keane aos Morcheeba, passando por Sting e os Ornatos Violeta. Recomendado: MEO Marés Vivas 2019: seis concertos a não perder

Publicidade