Vila Galé Ribeira: uma lição de História da Arte

O edifício mais alto da Invicta foi construído nos anos 90 para acolher o Vila Galé Porto. Agora, fomos conhecer o novo tripeiro, mais pequeno, mas mais charmoso.

©DR

Longe vão os tempos das pedras sujas e gastas da Ribeira até à Foz, um ambiente de um Porto mais cinzento tão bem descrito na declaração de amor de Carlos Tê à cidade, ali em meados dos anos 80. Hoje ninguém tropeça no passeio por falta de luz, principalmente quem se passeia junto ao bem iluminado Viaduto do Cais das Pedras, inaugurado sobre o rio Douro em 1997.

Vila Galé Ribeira

O Vila Galé Ribeira nasceu da recuperação de três edifícios devolutos virados para a extinta Praia dos Insurrectos. É um hotel de charme e uma espécie de tubo de ensaio do grupo hoteleiro que, apesar de apostar em unidades que convidam a estadias mais familiares, procura neste novo hotel conquistar um público um pouco diferente: maiores de 16 anos e casais. Os quartos são mais pequenos, não há berços, nem camas extra. Mas há espaço para 67 quartos, 14 deles com vista para o Douro.

Ao entrar encontrámos um espaço onde cabe a recepção e um amplo lounge – baptizado de Almada Negreiros e já vai perceber porquê – que se transforma em zona de refeições, do pequeno-almoço ao jantar. Um verdadeiro ponto de encontro decorado a doze pinturas a carvão do conterrâneo artista Hélder de Carvalho e onde estão representado doze pintores portugueses, como Amadeo de Souza-Cardoso, Júlio Pomar, Almada Negreiros, Vieira da Silva, Columbano Bordalo Pinheiro ou José Malhoa. E este é apenas o cartão de apresentação para o tema do Vila Galé Ribeira: a pintura.

Dormir neste hotel é descansar sim, mas também é aprender. Além dos quartos serem dedicados a vários pintores, dos renascentistas aos contemporâneos, os corredores apresentam as correntes artísticas através de imagens e textos resumidos sobre cada movimento, como se num museu estivéssemos. Se o Renascimento se caracterizou por uma “renovação estética, formal e técnica”, o Impressionismo “criou uma nova visão conceptual”. Do essencial, está lá tudo. Posto isto, dormimos no quarto Gauguin (um dos abençoados com varanda e com vista para o rio) e sonhámos com o Taiti. Só acordámos com o despertador que programámos no LCD de serviço para chegarmos a tempo do pequenoalmoço, servido entre as 07.30 e as 10.30, tempo mais do que suficiente para explorar um buffet bem recheado. 

Publicidade

Um restaurante farto

Também farto em (leves) opções é o jantar, onde experimentámos uma salada de camarão com abacate para começar, a que se seguiu um hambúrguer com cebola caramelizada e bacon e um wrap de salmão fumado. E tudo pode ser acompanhado com os vinhos alentejanos Santa Vitória, do Grupo Vila Galé, oriundos de uma herdade perto de Beja. Para terminar chegou à mesa um bolo caseiro à base de noz e a chamada Taça Porto, com baunilha e pedaços de manga. Tudo pode ser escolhido com a ajuda de um tablet, ou não fosse este um hotel que se apresenta como paper free.

Ver preços Ler mais

Como chegar
A1 em direcção ao Porto e na hora de escolher a travessia do Douro é seguir pela Ponte da Arrábida.

Preços
Quartos a partir dos 150€

Publicidade

GPS

Para comer

Localizado na Ribeira, cada vez mais apinhada de turistas, no restaurante Terreiro (Largo do Terreiro, 11-12) é atendido à Porto. Simpatia e utilização desenfreada de diminutivos (da sopinha ao cafezinho) acompanham uma carta onde o forte são os peixes e mariscos frescos, entre açorda e arroz de marisco, feijoada de polvo ou filetes de pescada com arroz de berbigão. Aqui também se servem francesinhas e cachorros especiais (os cachorros com molho de francesinha) e tudo pode ser degustado numa esplanada virada para o rio. 

Para fazer

Situando o leitor: o Cais das Pedras fica a precisamente a 1,5 km da Ribeira do Porto, um tirinho. Mas há pelo menos três actividades mais perto. Uma delas é um passeio num pequeno helicóptero com capacidade para três pessoas, uma aventura da Helitours que começa nos 150€ (por viagem) se escolher o Zona Histórica Tour, um emocionante voo de dez minutos sobre a zona histórica do Porto e praias mais próximas. Se não for fã de alturas, pode sempre embarcar no World of Discoveries (14€ o bilhete normal), um museu interactivo e parque temático na Rua de Miragaia que reconstrói as aventuras dos nossos navegadores e inclui uma viagem num bote que passa pelos principais portos das rotas marítimas portuguesas.

Publicidade

Planos de Fuga

Puralã Wool Valley & Spa: ninho de lã

“Covilhã, cidade neve, fiandeira, alegre e contente.” As palavras saíram, em tempos, da boca de Amália Rodrigues num fado que imortalizou a Covilhã com base nos seus artifícios mais puros. Hoje, ainda que noutros modos, passa-se o mesmo com o Puralã Wool Valley & Spa, o hotel que não quer deixar morrer o passado da cidade dos lanifícios e que quer ser mais do que uma porta de entrada para a Serra da Estrela.

Ler mais
Por Francisca Dias Real
Publicidade

Aqua Village Health Resort & SPA: luxo em família

A diferença está nos detalhes e depressa percebemos porque é que o Aqua Village Health Resort & SPA, a poucos quilómetros de Oliveira do Hospital, foi considerado este ano o melhor hotel de luxo para famílias pelos Luxury Travel Awards, entregues pelo guia de luxo britânico Luxury Travel Guide.

Ler mais
Por Cláudia Lima Carvalho

Comentários

0 comments