Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Porto icon-chevron-right Prepare a barriga: A Porto Food Week começa hoje

Prepare a barriga: A Porto Food Week começa hoje

Uma semana gastronómica com mais de 20 chefs e uma dezena
 de restaurantes aderentes. A Porto Food Week já começou e nós contamos-lhe tudo o que precisa de saber.

Por Maria Monteiro e Rita Pereira |
Publicidade
Vasco Coelho Santos, Arnaldo Azevedo, Pedro Braga
©João Saramago Vasco Coelho Santos, Arnaldo Azevedo e Pedro Braga

É certo e sabido que o Porto está na moda e a sua gastronomia também anda nas bocas do mundo. Nos últimos anos, a cidade tem-se tornado um poiso para restaurantes de autor, espaços trendy e até cozinhas do mundo, que trazem os paladares de outros locais à Invicta. Mas a cozinha tradicional está viva e de boa saúde e as portas das tascas estão sempre abertas para quem se quiser debruçar ao balcão. A diversidade gastronómica da Invicta vai mostrar-se na Porto Food Week (PFW), que decorre entre esta quinta e sábado 30. Depois de passar por Lisboa nos últimos três anos, o evento apresenta-se agora pela primeira vez no Porto. Ao longo de mais de uma semana, chefs, cozinheiros, produtores, empresários e investigadores reúnem-se para um programa extenso que inclui almoços e jantares, palestras, conversas e uma rota das tascas.

Recomendado: Os 10 melhores restaurantes de carne no Porto 

Prepare a barriga: a Porto Food Week começa hoje

O Chanquinhas - Arroz de Cabidela
© Marco Duarte

Dia 21

Na primeira edição da Porto Food Week, a comida não é só comida. É também explorada como processo, experiência, arte e negócio nas múltiplas iniciativas dirigidas a profissionais e amantes da gastronomia. Há jantares dedicados a pratos típicos portugueses, conversas que cruzam a comida com disciplinas como as artes plásticas e a música, ou um fórum com vários nomes do sector para debater a estruturação da cozinha em Portugal.

O evento arranca com um jantar onde a cabidela é celebrada. Acontece esta noite às 20.00 no restaurante Oficina do chef Marco Gomes, o anfitrião que vai preparar uma versão com coelho e um twist. Em vez de usar o sangue para envolver a carne no arroz, o coelho será frito em alho crocante e servido com o mesmo.

Como convidados terá Helena Ventura, Ricardo Nogueira, Vítor Adão e Rui Martins, chefs que vão recriar o prato em diferentes versões, da tradicional galinha ao javali, passando pelo leitão e borrego. “A cabidela tem alta conexão à nossa tradição”, diz Paulo Amado, responsável pelo evento. A sobremesa fica a cargo da portuense Leonor Sousa Bastos.

A Ordem da Cabidela é a actividade que dá nome ao jantar de arranque e consistirá na ordenação de todos os participantes como cavaleiros.

Antiqvvm
©DR

Dia 22

No segundo dia, À Mesa do Porto por Hélio Loureiro é um jantar a quatro mãos com o chef portuense e a chef Adozinda Gonçalves, vencedora do Concurso Chefe Cozinheiro do Ano em 1993, e acontece às 20.00 no restaurante Soundwich.

Os dois chefs contam com um longo historial em cozinha portuguesa e vão preparar “um jantar de prazer pantagruélico, simples na confecção”, explica Hélio Loureiro.

 

Será feita uma escolha cuidada de produtos que, já no prato, darão corpo
 a “pequenas histórias de tantos anos de trabalho”, revelou. O jantar tem um custo de 40€ por pessoa e está sujeito a reserva – será melhor apressar-se para garantir lugar.

Neste dia, nem a gastronomia internacional fica de fora. Gôut de France é o jantar a cargo do chef Vítor Matos, membro do movimento mundial de celebração da gastronomia francesa, que acontece no Antiqvvm às 20.00. 

Publicidade
Casa Guedes
© João Saramago

Dia 23

A cultura gastronómica portuense sai à rua na quarta-feira com a iniciativa Tascas do Porto, que vai percorrer cinco casas de petiscos da Invicta. O tradicional e o contemporâneo encontram-se
 num passeio de três horas e meia, com início às 17.00, e paragem em espaços icónicos da cidade como a Cervejaria GazelaCasa Guedes e Conga. Também espaços mais recentes, como a Fábrica Nortada e o Xico Queijo, estão contemplados no percurso.

Realiza-se, ainda, um jantar que é também uma Residência Culinária. Os chefs Pedro Limão e Hugo Brito, do Boi Cavalo, em Lisboa, juntam-se para uma experiência de partilha e aprendizagem. Apesar de desenvolverem o seu trabalho em cidades diferentes, guiam-se por uma base comum em “restaurantes de pequeno porte e grande ideia”, de acordo com a organização, apresentando sempre propostas for a da caixa. O jantar promete surpreender e será servido no Restaurante Pedro Limão às 20.00.

Oficina
©Marco Duarte

Dia 24

O domingo começa com um Almoço de família, como
 é suposto. Onde? Também no Oficina, desta feita com cozido à portuguesa.

Depois da refeição, e já de 
barriga cheia, aproveite para
assistir às Conversas Culinárias “para imaginar as conjugações possíveis entre as artes e as comidas ou como ambas foram sendo o espelho natural da sociedade”, diz
 a organização. A mesa de debate, marcada para as 16.00 na Galeria Fernando Santos e moderada por Paulo Russel Pinto, conta com a artista Beatriz Albuquerque, o pintor e artista plástico Albuquerque Mendes, o chef Hugo Brito e o músico Rui Reininho.

Publicidade

Dia 25

Na próxima segunda-feira, chefs, empresários e investigadores reúnem-se no Palácio do Freixo para um evento exclusivo para profissionais. O Fórum Pensar Cozinha quer discutir a estruturação da cozinha em Portugal. Entre as 09.30 e as 17.30, vai falar-se de história, território, de produtores e produtos, receituário e muito mais. Participam nomes como Renato Cunha, Virgílio Nogueira Gomes, João Rodrigues, Nuno Diniz, entre outros. 

O dia termina com a entrega
 dos Prémios Flavors & Senses, organizada pelo blogue com o mesmo nome e marcada para as 18.30. A esse pretexto que será revelado o melhor da gastronomia do Norte de Portugal, resultado de uma votação de profissionais e amantes da gastronomia.

Euskalduna Studio
© Marco Duarte

Dia 26

Ainda na linha de elaboração, planificação e concretização de um conceito para a cozinha, vários agentes da restauração da cidade estarão na conversa Ter um restaurante no Porto, para falar sobre o ponto de situação e o futuro do sector na cidade. Vasco Mourão, do grupo Cafeína, Sérgio Cambas, d’O Paparico e Brasão, Ricardo Rodrigues,
 do Terminal 4450 e Esquina do Avesso, e Vasco Coelho Santos, do Euskalduna Studio e Semea, serão os convidados da sessão que tem lugar às 17.00 no Terminal 4450, em Leça da Palmeira.

Também na terça acontece um dos pontos altos da Porto Food Week: a homenagem
 a Maria de Lourdes Modesto, gastrónoma portuguesa que se notabilizou pelo programa de culinária que apresentava a seguir ao telejornal da RTP nos anos 60. Em 1987,
 foi inclusive apelidada de “Julia Child portuguesa” pelo The New York Times e é a autora de Cozinha Tradicional Portuguesa, um dos livros de culinária mais vendidos
em Portugal, uma bíblia que inspirou várias gerações de cozinheiros e aspirantes.

O trabalho que desenvolveu deixou marca nas cozinhas de todo o país e, naturalmente, influenciou o percurso de figuras como os chefs Vasco Coelho Santos, Arnaldo Azevedo, do Palácio Foz, que vai abrir em breve na Avenida Montevideu, e Pedro Braga, do Mito, que se reúnem num jantar de Elogio à Cozinha de Portugal, marcado para as 20.00 no restaurante Euskalduna Studio. 

Como é habitual acontecer, e de forma a manter o elemento surpresa bem conhecido pelos seus clientes, o menu pensado por Vasco Coelho Santos ficará no segredo dos deuses até à hora do jantar. 

O jantar terá 12 momentos e um custo de 140€ por pessoa. Se está a pensar fazer parte deste elogio ao que melhor se faz na cozinha portuguesa, envie um email para reservas@euskaldunastudio.pt e o resto fica a cargo da equipa.

Publicidade
Pestana Palácio do Freixo
©Pedro Sampayo Ribeiro

Dias 27 a 30

Não há prato que não conte uma história e que não resulte de um longo processo criativo, como acontece na música. É sobre A Música que a Cozinha Tem que se vai falar no dia 27, às 17.30, no Hard Rock Café Porto. Os músicos João Só e Tóli César Machado, dos GNR, vão estar à conversa na sala Elton John.

A festa da gastronomia continua à mesa d’O Paparico no dia 28 às 20.00. Situado à margem do circuito da restauração portuense, continua a ser um dos ícones da cidade. Por lá, a portugalidade é um ingrediente obrigatório em todos os pratos, ainda que trabalhada de forma polida e moderna. O objectivo deste jantar, limitado a 25 pessoas e com um custo de 100€, é unir e pensar as Cozinhas do Douro. Se estiver interessado em participar, corra para o site d’O Paparico.

Em paralelo, às 20.00, no restaurante Casario, na Ribeira, pode experimentar Os Clássicos de Miguel Castro e Silva, chef portuense que vai servir pratos emblemáticos como a terrina de foie gras com Porto, o robalo com laranja e funcho e o borrego com ensopado de grão e cogumelos
do campo. O menu custa 58€ por pessoa e pode ser acompanhado por uma selecção de cinco vinhos por mais 22€. Guarde barriga para
a sobremesa, pois há stilton e pêra em Porto ou, em alternativa, bolo de chocolate.

O vinho do porto é o protagonista do jantar do penúltimo dia. Elogio ao Vinho do Porto está agendado para as 19.30 no restaurante ODE Porto Wine House e custa 100€ por pessoa.

É em ambiente de festa que esta maratona de comes e bebes termina no dia 30. Começa às 18.00 no Palácio do Freixo e tem como anfitrião o chef Rui Martins, do Rib Beef & Wine e A Brasileira, num jantar onde o fogo, a brasa e o gado bovino de excelência são protagonistas, a Baca na Brasa. O convite está feito.

Mais restaurantes no Porto

Adega de São Nicolau
© Cláudia Paiva
Restaurantes

Os melhores restaurantes na Ribeira

Há quem fuja a sete pés dos restaurantes nas zonas mais turísticas das cidades e nós percebemos porquê. Porque, caro leitor, na maior parte das vezes, o preço que se paga por uma refeição não faz justiça à qualidade do que se come. Mas nesta zona da cidade há lugar para algumas excepções, claro, às quais nem turistas, nem locais, resistem. Pratos típicos portugueses, vários cortes de carne, ostras e bacalhau são alguns dos ingredientes que mais brilham nas cartas dos melhores restaurantes na Ribeira. Arme-se em turista e explore o que de melhor há para comer por estes lados. Recomendado: As maiores atracções no Porto

Cafeína
©Tiago Lessa
Restaurantes

Os melhores restaurantes na Foz

Ir à Foz é um programa por si só, um mundo de possibilidades. Banhada por rio e por mar, bons restaurantes, e com uma marginal (e eléctricos) que convidam a um passeio, não há como ficar aborrecido nesta bonita zona da cidade. A boa comida que se faz para estes lados atrai muito boa gente, turistas ou portuenses, miúdos ou graúdos. Pratos de peixe ou de carne, mais exóticos ou mais tradicionais, e de chefs mais ou menos conhecidos, nesta lista com os melhores restaurantes na Foz vai encontrar um pouco de tudo. Bom apetite. Recomendado: Os melhores restaurantes na Baixa

Publicidade
Casa de Chá da Boa Nova
© João Saramago
Restaurantes, Europeu contemporâneo

Restaurantes com estrela Michelin no Porto

Os restaurantes estrelados não abundam no Porto, é verdade, mas todos os que existem merecem uma visita. Tire umas horas do dia, arranje a melhor companhia e não pense no extracto bancário. Não é todos os dias que se faz uma refeição num restaurante com estrela Michelin.

Zizi - Arroz de Robalo
© Claudia Paiva
Restaurantes

Os melhores restaurantes em Gaia

Da comida tradicional portuguesa aos restaurantes de autor, do peixe fresco às especialidades regionais, não falta o que provar do outro lado da ponte, quase sempre enquanto aprecia uma vista difícil de esquecer, capaz de melhorar a disposição de qualquer um. Se não sabe onde se dirigir para uma boa refeição com um cenário deste calibre, guarde esta lista com os melhores restaurantes em Gaia sempre bem junto a si. De resto já sabe, temos de tudo e para todos os gostos e carteiras. O difícil vai ser escolher só um restaurante. Bom apetite. Recomendado: Os melhores restaurantes na Ribeira

Publicidade
Árvore do Mundo
© Marco Duarte
Restaurantes

Sete restaurantes vegan no Porto

Já lá vão os tempos em que as opções vegan não existiam na cidade e era preciso pedir uma salada para remediar. Hoje em dia, comer uma refeição livre de ingredientes de origem animal na Invicta é cada vez mais fácil. Basta ver, por exemplo, esta lista com sete restaurantes vegan no Porto. Nestes estabelecimentos não entram carne, peixe, ovos, leite ou derivados e tudo é confeccionado com ingredientes da terra, a pensar em quem segue esta filosofia de vida. Sob diferentes conceitos, desde bar a cat café ou loja de discos, todos têm um ponto em comum: o respeito pelos animais. Recomendado: 10 doces vegan que tem de provar no Porto

You may also like

    Publicidade