Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Descubra onde é isto e teste se é um verdadeiro lisboeta (parte 5)

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme sempre antes de sair de casa.

Miradouro da Senhora do Monte
Captada com Huawei P30 Pro teleobjectiva de 8 MP

Descubra onde é isto e teste se é um verdadeiro lisboeta (parte 5)

Conhece bem Lisboa vista de cima? Não basta saber onde se vende a melhor ginja, bifana, pastel de nata ou caracóis.

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

Considere isto um treino para não corar quando alguém de fora lhe fizer perguntas difíceis sobre a sua própria cidade. Este é o quinto teste que o pode validar como um verdadeiro alfacinha, o que só acontece se responder correctamente a pelo menos três dos cinco desafios propostos. As soluções estão a seguir à imagem n.º 5 (ou antes da imagem n.º 1, como lhe der mais jeito) e, apesar das imagens terem sido retiradas do Google Maps, não vale ir copiar ao Google. Aceita o nosso desafio?

Recomendado: Descubra onde é isto e teste se é um verdadeiro lisboeta (parte 4)

Imagem 1
Imagem 1

Imagem 1

O nome desta área no centro da imagem deve-se a um convento de freiras que aqui se instalou a partir de 1294 e no século XVI chegou a ser conhecido como Campo da Forca, adivinhará porquê. No meio tem um jardim com nome de um político republicano português, onde encontra um megalómano mural do artista André Saraiva, com 188 metros de comprimento, 1011 metros quadrados de área e 52.738 mil azulejos.

Imagem 2
Imagem 2
©Google Maps

Imagem 2

Está a ver o edifício com três claustros? É esse que tem de dizer o nome. A sua construção começou em finais do século XVIII, na sequência de um voto de D. Maria I no dia do seu casamento: se tivesse um filho varão com D. Pedro, construiria um convento dedicado ao Coração de Jesus, o primeiro do mundo com esta devoção. A rainha está aqui sepultada, sendo a única monarca da dinastia de Bragança cujo túmulo não se encontra na Igreja de São Vicente de Fora.

Publicidade
Imagem 3
Imagem 3
©Google Maps

Imagem 3

Vá lá, olhe bem, quase que não é preciso dizer nada. Mas aqui vai. É um jardim, desenhado pelos arquitectos paisagistas Gonçalo Ribeiro Telles e António Viana Barreto, concluído em 1969. Também é um museu e está em fase de expansão com um projecto do arquitecto japonês Kengo Kuma, que já assinou projectos como o Estádio Nacional de Tóquio, o Portland Japanese Garden Cultural Village, em Portland, ou o Besançon Art Center and Cité de la Musique, em França.

jardim cerca da graca
jardim cerca da graca
©Google Maps

Imagem 4

É o maior espaço verde de acesso público da zona histórica de Lisboa. O jardim tem três miradouros, uma zona com parque de merendas, um parque infantil, um pomar e muito espaço com relva para piqueniques em família (1,7 hectares).

Publicidade
Imagem 5
Imagem 5
©Google Maps

Imagem 5

Ora aqui está o que se chama de "traçado radioconcêntrico". Trata-se de um grande bairro de Casas Económicas composto por moradias geminadas unifamiliares com logradouro, um projecto do  arquiteto Luís Benavente (1902-1993), cuja primeira pedra foi lançada em 1939. Integrou, com outros bairros da cidade, o Plano Director de Urbanização de Lisboa de 1938, promovido pelo Estado Novo.

Soluções

1 - Campo de Santa Clara
2 - Basílica da Estrela
3 - Gulbenkian
4 - Jardim da Cerca da Graça
5 - Bairro Madredeus

TPC

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade