O melhor que jogámos em Outubro

De 'Middle-earth: Shadow of War' a 'South Park: The Fractured But Whole', eis os melhores videojogos que testámos
south park: the fractures but whole
©DR
Por Luís Filipe Rodrigues |
Publicidade

Jogos, jogos e mais jogos. De todos os que passaram pela redacção e máquinas da Time Out, ao longo de Outubro, estes foram os melhores. A começar por Middle-earth: Shadow of War (PC, PS4 e Xbox One), passando por Fire Emblem Warriors (Nintendo Switch) e terminando em South Park: The Fractured But Whole (PC, PS4 e Xbox One).

O melhor que jogámos em Outubro

Camera
Notícias, Tecnologia

Middle-earth: Shadow of War

A maior parte das sequelas de videojogos de sucesso segue uma fórmula que se pode resumir a mais e melhor do mesmo. É o caso de Middle-earth: Shadow of War, inspirado na obra de J. R. R. Tolkien. Apesar de algumas alterações sistémicas e mecânicas, o novo título da Monolith é a continuação lógica de Middle-earth: Shadow of Mordor (2014).

Nada contra. Afinal, o melhor de Middle-earth: Shadow of War continua a ser o sistema Nemesis, introduzido no jogo anterior e até agora nunca replicado noutro contexto, que se traduz na evolução orgânica dos inimigos como consequência das acções do protagonista. E as histórias que nascem da interacção do jogador com os inimigos continuam a ser a componente mais interessante. 

Camera
Notícias, Tecnologia

Fire Emblem Warriors: jogos de guerra

A maior parte dos sucedâneos de Dynasty Warriors tem um alcance e interesse muito limitados. E há poucos pontos de contacto entre as realidades de um Zelda ou Dragon Quest (para referir apenas títulos lançados nas consolas da Nintendo) e os campos de batalha pejados de soldados descartáveis e generais indispensáveis dos jogos da Koei Tecmo. Fire Emblem Warriors é uma gloriosa excepção.

Disponível para Switch e New 3DS, não deixa de ser um jogo de nicho, mas o casamento entre o RPG táctico da Nintendo e o hack-and-slash estratégico da Koei Tecmo é harmonioso. O que até faz sentido: ambas as séries lidam com a guerra e dão uma importância exagerada às figuras heróicas. Pelo que cruzar as diferentes mecânicas e chegar a um jogo coerente não se revela difícil.

Publicidade
Camera
Notícias, Tecnologia

South Park: The Fractured But Whole

South Park: The Fractured But Whole, disponível para PC, PlayStation 4 e Xbox One, é a continuação do trabalho começado há três anos, em South Park: The Stick of Truth. E ainda bem, porque o jogo de 2014 foi a primeira adaptação interactiva de South Park que fez jus à série.

O novo jogo é uma paródia aos filmes (e não só) de super-heróis, mais uma vez com mecâncias de RPG. E uma sátira da cultura popular americana no geral. Também é basicamente uma temporada de South Park. (Pelo menos) 20 e tal de horas de humor sem limites, mas com consciência. Mesmo assim, há uns quantos gags questionáveis. 

O melhor que jogámos...

Coisas para fazer

Em Setembro

Jogos, jogos, jogos. De todos os que passaram pela redacção e máquinas da Time Out, em Setembro, estes foram os melhores. Desde aventuras narrativas como Life is Strange: Before the Storm (PC, PS4 e Xbox One) a jogos de luta como Pókken Tournament DX (Nintendo Switch), passando pela estratégia de Mario + Rabbids: Kingdom Battle (Nintendo Switch).

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com