The Third Floor: o cowork onde o artesanato está debaixo de olho

Designers, arquitectos, artistas e artesãos juntam-se no novo espaço de cowork da cidade, o The Third Floor. Subimos ao 3.º andar e conversámos com Emmanuel Babled, responsável por tornar este projecto real.
The Third Floor
Fotografia: Manuel Manso
Por Francisca Dias Real |
Publicidade

Emmanuel Babled trocou Amesterdão por Lisboa há quase dois anos para se instalar num edifício pombalino no número 85 da Rua da Madalena. Foi no primeiro andar que montou o Babled Design, o seu estúdio, mas é dois andares acima, no terceiro piso, que agora nasce a novidade: o The Third Floor. É o novo espaço de cowork na cidade que serve de casa a designers, arquitectos, artistas e artesãos, onde o mote é combinar a tecnologia com a autenticidade e tradição do trabalho, tudo numa convergência entre o passado e o futuro promovendo a partilha de ideias e técnicas.

“Enquanto designer quero que este sítio seja orientado para o artesanato, para uma tradição de partilha. Não sou tradicionalista; acho que o design trata questões que não dizem apenas respeito ao mercado massificado, mas sim com a qualidade do que fazemos, e nessa arte os artesãos são exímios”, afirma Emmanuel. “Os artesãos são as pessoas mais serenas que conheço, ninguém lhes tira isso, e a massificação na produção rouba essa passividade e a qualidade.”

Dedicou a sua carreira ao vidro e ao fabrico de peças únicas – é mestre nessa arte como ninguém –, mas ao longo do tempo começou a ter outras preocupações, sobretudo no que diz respeito aos processos de produção de cada peça, aos quais junta uma aplicação sustentável e consciente porque “o design também tem de cuidar da sociedade e educá-la a orientar-se para a sustentabilidade.”

O designer defende que é preciso orientar a visão de todos para o mesmo lado, tanto os designers como os artesãos, para que se possa trabalhar numa sinergia que olha para o futuro e se reinventa para conseguir vingar no mercado. “A massificação é o negócio perfeito: tem uma funcionalidade e é barato, o que obviamente atrai muita gente”, diz, defendendo que as pessoas começam a ter a necessidade de consumir uma experiência, em vez de um mero produto. “É isso que os artesãos e nós, designers, queremos fazer: oferecer às pessoas uma experiência, e essa experiência vem acompanhada por uma história e é isso que gera o valor da peça, o storytelling.”

O The Third Floor tem cinco salas individuais de trabalho e outras duas salas comuns que vão ser palco de exposições, conversas e workshops, tudo aberto ao público. O espaço já conta com vários parceiros associados: a Sofalca, a Torart, a Vicarte e o projecto Passa ao Futuro. Todos eles seguem os princípios defendidos por Babled, e pode descobri-los melhor aqui na página ao lado e no site.

Quem são os parceiros?

Sofalca

Originária de Abrantes, a Sofalca foi fundada em 1966 e é um dos produtores líderes mundiais e exportadores de aglomerado de cortiça expandida. A empresa usa apenas a cortiça proveniente das podas dos sobreiros, que depois é usada  e na manufatura do granulado de cortiça que, após ser triturado e limpo, é posto numa autoclave recorrendo a um processo de transformação 100% natural. O objectivo é mostrar ao mercado internacional soluções naturais e ecológicas, de forma a promover a indústria do design a produzir de forma sustentável. Juntamente com o estúdio Babled Design, a Sofalca desenvolveu um primeiro protótipo em cortiça o que levou a Babled a considerar pela primeira vez a cortiça um material de design, tendo até desenvolvido uma das icónicas peças de Emmanuel — a Quark Table.

TorArt

Este estúdio italiano, que trabalha com Babled há mais de dez anos, combina o melhor de dois mundos: o artesanado e a tecnologia. A TorArt trabalha com mármore e utiliza robots e laser 3D para esculpir determinadas peças, ainda que conjuguem isso com a minúcia do trabalho de esculpir à mão. Esta combinação de técnicas permite assegurar a sustentabilidade e a precisão na reprodução das obras, quer para restauro de peças históricas quer para projectos mais contemporâneos.

Publicidade

Vicarte

O passado e o presente de mãos dadas pode definir a Vicarte na perfeição, que é fruto de uma parceria entre a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e a Faculdade de Belas Artes. Desenvolve práticas de produção tradicionais com novos materiais de vidro e cerâmica direccionados à arte contemporânea. A Vicarte e o estúdio Babled têm trabalhado juntos para tentar encontrar substitutos ao arsénio na produção de vidro branco opaco para o trabalho desenvolvido na veneziana Murano.

Passa ao Futuro

Esta associação faz a ponte entre os designers e os artesãos portugueses e o primeiro passo consiste em mapear os ofícios e artesãos nacionais que ainda trabalham de forma tradicional. No fundo, o projecto Passa ao Futuro quer criar uma base de dados de artesãos portugueses para os pôr em contacto com criativos e designers de forma a reavivar o sector. Fatima Durkee é a grande mente por detrás do projecto que quer manter o legado dos artesãos e experiência técnica que, em muitos casos, já estão perto da extinção. O objectivo é promover a criação de novos produtos, mais direccionados à sociedade contemporânea, encorajando a transmissão de um know how ancestral às gerações mais jovens.

Publicidade

Mycoocoon

Valeria Corcias e Dominique Kelly, fundadores da Pantone Universe, criaram o mycoocoon - um projecto sensorial que tem por base a cromoterapia, aromaterapia, design e iluminiação. É um projecto que quer equilibrar e energizar as pessoas através de um casulo sinestésico com estimulos naturais e de luzes. 

Na inauguração do The 3rd Floor, a mycoocoon apresentou em primeira mão mundialmente a Immersion Wall, uma experiência que oferecia às pessoas uma breve sessão de terapia da cor e desvendava qual era a cor correspondente às necessidades de cada participante.

Mais coworks na cidade

Notícias, Vida urbana

Heden: o novo espaço de co-work na Graça para mentes criativas

Lisboa há muito que fervilha de criatividade e prova disso são os espaços criados propositadamente para a indústria criativa. Chegou a vez de a Graça ganhar um espaço de co-work novinho em folha – o Heden, um pólo criativo que combina as mesas de trabalho partilhadas com ateliês para artistas ou criativos e zonas de exposição. 

DR
Notícias, Vida urbana

Abriu um cowork no Palácio Sotto Mayor

O IDEIAHub já tinha um espaço no Parque das Nações e agora abriu outro no Palácio Sotto Mayor. Não imaginava o banqueiro Cândido Sotto Mayor o que reservava o futuro para a sua querida casinha. No palácio construído no início do século XX já existe um ginásio e agora há um novo espaço de cowork. Chama-se IDEIAHub e aterrou em Lisboa. 

Publicidade
Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com