0 Gostar
Guardar

Black Friday: manual de sobrevivência

Lisboa não passa ao lado da Black Friday. Da moda à tecnologia, siga os nossos conselhos, aproveite os melhores descontos e defina o plano de ataque

©DR
O ouro nunca foi tão barato. Este iPhone 6 vai estar a 519,49€, na Fnac

É aquele dia de saldos fora de época, aquela oportunidade de aviar mais de metade dos presentes de Natal, a tal importação norte-americana que gera um surto de febre consumista. Escudo e armadura? Para as compras de sexta-feira, talvez não seja preciso chegar a tanto. Convém ter método, isso sim, e seguir algumas das dicas (ou mesmo todas) que lhe deixamos para sobreviver à Black Friday.

A boa da lista

Torna tudo mais rápido e eficiente e evita distrações. Aproveite a véspera da Black Friday para fazer uma lista de tudo o que precisa de comprar (ou quer comprar, vá) e tente ser o mais específico possível. É que calças de ganga, há muitas, por isso, saber qual o modelo, de que marca são e quanto custam só vai ajudar.

Saber quais as lojas e quais os descontos

Nesta, damos uma ajudinha. Já sabemos onde é que toda a gente cai no primeiro dia dos saldos. Na Black Friday não há-de ser diferente. Não lhe vamos dizer para fazer fila à porta (deixe isso para os americanos, que aquilo lá é que vira tudo o Texas). A Zara já comprimiu tudo nos expositores, de uma maneira que ninguém diria que é só para uns singelos 20 por cento. A Oysho vai pelo mesmo caminho e ainda oferece o envio para quem preferir aproveitar os descontos no conforto do lar ou entre reuniões, no escritório. Na H&M, a Black Friday é, na verdade, um fim-de-semana negro. Os 20 por cento chegam na sexta-feira e ficam até domingo e só mesmo o que resta de Kenzo na loja online é que fica de fora. A Mango fica-se pela sexta-feira, também com 20 por cento. O El Corte Inglés também não quer cá prolongamentos e leva os descontos até aos 50 por cento em todas as secções.

Um roteiro, porque não?

A menos que tenha a sorte de ter todas as capelinhas no mesmo quarteirão, mais vale definir logo a casa partida e onde será a meta. A partir das três paragens, mais vale ter onde ir deixando as compras, não vá ficar entalado num corredor por excesso de bagagem. Se estiver a prever uma verdadeira maratona, seja precavido. Comece pela Sport Zone, aproveite os descontos até 50 por cento até segunda-feira e equipe-se a rigor.

Tecnologia, sempre

Mais do que as modas, são as engenhocas que valem a pena. A Fnac chega aos 50 por cento de desconto, em marcas como Apple, Samsung, Canon, Asus, Sony, GoPro e PlayStation. Quem tem o cartão da casa, não tem de esperar por sexta-feira. Para esses, o festim começa na véspera, a partir das 21.30. Não se esqueça de comparar preços com a Worten, que também alinha na brincadeira, e com a Media Markt, que começa já na quinta-feira e só põe fim à sexta-feira na segunda. A Radio Popular esquece que existe uma coisa chamada IVA e, durante o fim-de-semana, faz um desconto de 23 por cento em todos os produtos.

As horas fáceis

Escusado será dizer que pela fresca é que se anda bem às compras. Em podendo, programe a investida para as 10.00. Está tudo mais arrumado e os stocks ainda intactos.

Descontos sobre descontos

Quando o jetleg está forte (o que num centro comercial chamado Freeport até se entende) acontecem destas coisas. Confunde-se a quinta com a sexta-feira, tudo fica black, tudo fica crazy e black crazy e crazy black. No outlet de Alcochete, juntam-se os descontos todos e faz-se a festa da pechincha até domingo. Entre as marcas que aderiram estão a Converse, a Diesel, a Nike e a Vans e os descontos vão até aos 80 por cento.

Comprar online

Parte das dicas que lhe fomos dando até agora são bem escusadas se optar por ficar à secretária. Da tecnologia à moda, as promoções estendem-se às lojas online e, em alguns casos, ainda se escapa das despesas de envio. Além disso, tem sempre aquelas que só mesmo clicando. Espreite as melhores lojas online e aproveite as maiores pechinchas.

Quanto mais pequenas, melhor

Atenção, não são só as grandes multinacionais que alinham na Black Friday. Nuno Gama começa os descontos nos 20 e só pára nos 60 por cento. Na sexta e no sábado, a SAL Concept Store vai pelo mesmo caminho. A portuguesa Vertty vai estar com 50 por cento nas toalhas de praia (já ficam para o ano), 30 nos biquínis e 20 nas novas mochilas.

As melhores ideias para fazer compras

Os melhores sites para ir às compras

Gostamos de opinar sobre os seus programas fora de casa, mas desta vez queremos que fique sentado a olhar para o computador. Algumas das melhores compras estão à distância de um clique e temos 18 sugestões de lojas online para todas as necessidades, gostos e carteiras.

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

13 lojas para comprar discos em Lisboa

Nota prévia: o visionamento e audição dos momentos YouTube anexados não dispensam a compra do objecto físico. Da mesma forma que o número 13 não inquieta melómanos. Siga o roteiro rock, punk, pop, electrónico, e etc, correndo as principais discotecas de Lisboa. Se optar por outras sugestões, está tudo bem. Amigos como dantes.

Ler mais
Por Maria Ramos Silva

As melhores lojas da Avenida da Liberdade para todos os bolsos

O encanto da 10ª rua mais luxuosa do mundo está nas lojas que não têm vergonha na cara e enchem as belíssimas montras de peças de roupa, sapatos, jóias e relógios com preços com mais de quatro digitos. Junte-se aos turistas mais ricos para ver as modas, cumprimentar o segurança à porta e estoirar o ordenado. Não tem onde cair morto? Entre as melhores lojas da Avenida da Liberdade também se encontram espaços acessíveis e até pechinchas.

Ler mais
Por Vera Moura

Comentários

0 comments