A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Juliana Bezerra
DRJuliana Bezerra

Jóias para oferecer este Natal

Nem tudo o que luz é ouro, mas dourar este Natal com jóias portuguesas é sempre uma ideia brilhante.

Escrito por
Mauro Gonçalves
e
Francisca Dias Real
Publicidade

Nem sempre há orçamento para oferecer jóias de verdade, em ouro maciço e recheadas de pedras preciosas, mas nesta lista de sugestões de presentes para o Natal, onde predomina o dourado, os preços começam cá em baixo, onde todos podem ir. Podem ser peças simplesmente banhadas a ouro, mas que fazem um brilharete na hora de as tirar da caixinha. Mais excêntricas ou mais discretas, românticas, orgânicas ou geométricas, para enfeitar dedos, orelhas pulsos ou até a cabeça (entre as nossas escolhas, vai encontrar um gancho), eis algumas ideias 100% portuguesas para dourar este Natal. 

Recomendado: O melhor do Natal em Lisboa

Jóias para oferecer este Natal

Ninguém nesta cidade cruza melhor biologia e joalharia do que Carolina Curado. A aventura começou com as folhas de ginkgo biloba e zircões, mas hoje o trabalho da designer é uma autêntica dissecação da vida selvagem, só que banhada a ouro. O resultado é irresistível e pode ser comprado online ou numa visitinha à joalheira no ateliê em Campo de Ourique.

135€

Irreverência – se há palavra que define as criações de Beatriz Jardinha é essa mesmo. A designer desenha jóias que “aproximam técnicas antigas e rudimentares a conceitos etéreos”, pode ler-se no seu site. As peças são feitas à mão depois da encomenda, e os brincos não são excepção.

265€

Publicidade

Simplicidade e intemporalidade são palavras que caracterizam o ADN de Alice, uma marca para mulheres que gostam da comodidade do “simples, mas bonito”. Ganchos personalizados, correntes douradas, brincos com pérola natural trabalhada (como estes) ou colares de conchas são pequenas amostras do que pode comprar na Alice & Co.

50€ 

Se os meses de isolamento trouxeram uma coisa boa, foi a oportunidade de tirar da gaveta sonhos e projectos. Como os de Inês Morais, que trocou a vida de account pela das jóias. As peças, desenhadas pela própria, vêm de inspirações tão simples como as antiguidades de família, os objectos encontrados em momentos especiais, a arquitectura greco-romana e as formas ao mesmo tempo toscas e delicadas. Uma das novidades deste ano é o escapulário Argus.

85€

Publicidade

As bandoletes da Cata Vassalo fazem as maravilhas das mais vaidosas, é verdade, mas não há como fugir aos brincos da criadora portuguesa. Quase sempre a puxar para os dourados, sem grandes brilhos e com acabamento fosco, fazem com que qualquer orelhinha ofusque o resto. E assim é que é. Este Simza dava um belo presente natalício. 

57€

Ângela Lima não está para brincadeiras na hora de se sentar de volta das suas criações, sempre delicadas e mimosas, em dourados ou prateados. “Somos cores, sabores, formas e aromas. Somos um universo de sensações, sentimentos e emoções” – é assim que se apresentam no site, um autêntica mescla de joalharia. Estas folhas são de prata e feitas à mão. 

65€

Publicidade

H de Helena. L de Lopes. E C de Cardoso. A HLC é o projecto de Helena Lopes Cardoso, que estudou Economia, mas acabou por se dedicar à veia artística, tirando também um curso de joalharia. Na loja da Embaixada, tem peças em prata (banhadas a ouro amarelo, ouro rosa ou prata) que dão para todas as mulheres e todas as ocasiões. O anel Connection é uma peça em prata para quem aprecia, sobretudo, a versatilidade.

55€

Podem não ser as jóias que mais dão nas vistas, mas que Juliana Bezerra soube agarrar-se bem ao conceito que ela própria definiu para as suas peças, isso até os adeptos do bling bling conseguem reconhecer. A inspiração vem directamente da botânica. Sementes, folhas, cascas – a natureza está por todo o lado. Este pendente faz parte da mais recente colecção — Souvenir —, desenhada em colaboração com Miguel Marques da Costa.

40€

Publicidade

"Joalharia é a arte que desenha sentimentos", e quem o diz é a própria Maria João Bahia, que em cada criação vê um desafio de se superar sempre, colecção após colecção. Quase sempre assimétricas, ousadas, coloridas e muito tradicionais no que diz respeito ao processo (é o caso da filigrana). As jóias estão expostas na loja magnificente da Avenida da Liberdade – que também é Loja com História – ou no site da joalheira.

3.995€

Li Furtado e Miguel Pereira são uma dupla vencedora, tanto em casa como na Cinco, marca de joalharia em prata 925, com design e produção artesanal em Portugal. É possível que já tenha visto jóias da marca nalgumas das maiores influencers do mundo como Aimee Song ou Camila Coelho, mas a Cinco continua terra a terra e a agradar a todos, seja com brincos, anéis, pulseiras ou colares, como este Val.

85€

Publicidade

É ouro e prata, senhor, é ouro e prata. A Mel Jewel, nascida em 2016, tem peças sofisticadas daquelas para dar um brilhozinho ao dia-a-dia sem gritar que precisa de atenção. Exemplos? Estes brincos em ouro baptizados de Sophie.

700€

Aqui o brilho vira vidrado – a Sömmer é uma marca de joalharia de porcelana e ouro desenhada e feita à mão por Sofia Bártolo, que está sediada na Ericeira. A estética é minimalista e apela à simplicidade das formas delicadas e intemporais. Este gancho é só uma amostra.

90€

Publicidade

A marca de joalharia de Vila Nova de Gaia aposta forte em peças de joalharia fina e delicada, feita com diamantes e ouro de 19 quilates, mas tem outras peças que ficam mais em conta e fazem um brilharete na hora de dar um presente. Em prata dourada e madrepérola, a pulseira Celebrate é uma daquelas peças que abrilhanta o Natal.

74,90€

Esta marca portuguesa tem a sustentabilidade como principal valor. Rachael Wang, uma das maiores referências em styling inclusivo, ético e sustentável nos Estados Unidos, seleccionou peças da Wonther para um editorial da TeenVogue. Mesmo a tempo do Natal, a marca lançou a colecção Good Vibes, da qual faz parte este colar de prata dourada e malaquite.

199€

Publicidade

Muita gente não sabe, mas a Parfois – apesar de bem lançada na internacionalização – é portuguesa, nasceu no norte do país e continua forte por lá. É uma espécie de fast fashion das jóias, e porque não? 

29,99€

Orgulhosamente portuguesa, a Matilda é pensada e desenhada sempre com o foco nos pequenos detalhes. Não há grande alarido nas peças da marca, apenas a simplicidade de quem não sai de casa sem uns brincos ou um colar.

45€

Publicidade

É um dos nomes da joalharia lisboeta que dispensa apresentações. Inês Telles assinala em 2021 uma década de carreira e aproveitou este Natal para lançar uma colecção de pendentes que correm todo o abcedário. Escolha a letra do feliz contemplado e descanse — não há como desiludir.

60€

As formas orgânicas e ligeiramente imperfeitas fazem parte da linguagem criada por Raquel Poço. O sucesso desta joalheira (que deixou a carreira de fisioterapeuta para se dedicar inteiramente às jóias no final de 2019) é indiscutível. Já em 2021, juntou-se à marca de roupa BYOU e abriu uma loja a dois passos do Marquês de Pombal. Faça-lhe uma visita e escolha o presente de Natal perfeito (que pode muito bem ser Amaro).

90€

Publicidade

Nasceu no Verão, mesmo a tempo de nos encher os decotes com missangas coloridas, conchas, búzios e pérolas imperfeitas. Mas não ficou por aí. A The Isolette já fez a transição para a estação fria e privilegiou a prata dourada. As pérolas, essas, não têm estação e a prova é esta pulseira The Timeless.

170€

A marca da influenciadora Constança Firmino ainda agora chegou ao mercado e já jogou uns quantos trunfos na corrida aos presentes de Natal. Um deles é este colar de edição limitada SAM, em aço inoxidável.

40€

Publicidade

São jóias, mas algumas mais parecem fragmentos de natureza encontrados por aí. E não é por acaso. Tânia Gil é outra das tais joalheiras recolectoras, por isso, é pau, é pedra, é búzio, é concha, é o que aparecer pelo caminho. Esta artesã é pouco dada ao ouro. Fica-se pela prata e pelo bronze, uma combinação sombria, mas que resulta na perfeição nas mãos de Tânia.

80€

Esta marca portuguesa de joalharia foi seleccionada para integrar a coleção de jóias da loja do museu holandês The Hermitage a propósito da exposição “Jewels! Glittering of the Russian Court”. O mérito é da designer Andreia Quelhas Lima, que se inspira na natureza e nas estações do ano para criar pulseiras, brincos e colares. Este anel de serpente é só uma amostra.

86€

Publicidade

Ora geométrica, ora com um toque tribal, o estilo de Joana Mota Capitão é assim, versátil. Dos brincos que quase tocam nos ombros e dos anéis que pedem mais do que um dedo às pequenas peças para trazer bem junto à orelha. Pelo meio, a joalheira também produz peças personalizadas. Felizmente, estes brincos Mini Hoop estão ao alcance de todos.

85€

Veio do norte do país para conquistar a capital e já angariou uma legião de fãs considerável. Na origem do sucesso da Mesh estão as peças personalizáveis, como é o caso deste fio banhado a ouro onde é possível gravar palavras, ícones ou logotipos a gosto.

45€

Publicidade

É um daqueles nomes que dispensa apresentações e que se mantém fiel à joalharia mais clássica e intemporal. Quem procura uma peça especial pode sempre bater à porta de Luísa Rosas. Uma sugestão? A pulseira Station Be.

460€

Instalado na Lx Factory, o atelier da Bergue é o sítio onde tudo acontece. Pulseiras, anéis, colares e brincos multiplicam-se pelo número de desenhos e esboços que combinam diferentes geometrias. Estes Bubble são uma exemplo.

49€

Publicidade

É uma das novidades mais fresquinhas de 2021 e chega ao mercado com uma forte inspiração na art déco. A Jo Reid pensa a joalharia como forma de sobressair na multidão. A geometria e a cor dos brincos Domino for Helena só vêm confirmá-lo.

75€

Outras compras de Natal

  • Compras

Afinal, comprar sustentável já não é um bicho-de-sete-cabeças e para muitos é um verdadeiro estilo de vida. É a pensar no planeta e nos seres que o povoam que sugerimos alternativas de presentes de Natal amigos do ambiente: sustentáveis e fáceis de reutilizar ou reciclar. As propostas são para todos e para todas as carteiras, desde cestas artesanais a sapatos vegan, sem esquecer produtos feitos com plástico ou madeira reciclada.

  • Compras
  • Presentes e lembranças

Este ano temos de ser fortes e celebrar o Natal com o menor número possível de familiares e amigos, mas para aqueles que estão longe, está na altura de recuperar o envio de postais de Natal pelo correio. Claro que pode sempre entregar em mão ou colocar junto a um presente, mas o investimento de comprar um selo e colocar o postal no marco do correio, acrescenta-lhe amor.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade