Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Vinhos alternativos para brindes de Natal mais verdes
Vinhos, Brindes de natal mais verdes, Shopping Natal 2020
©DR

Vinhos alternativos para brindes de Natal mais verdes

Para oferecer ou para a mesa da consoada, estes vinhos são todos “alternativos”, por diferentes razões. O que têm em comum? O respeito pelo ambiente e pela terra de onde vêm.

Por Mariana Lopes
Publicidade

Aula teórica antes de encher o copo “Biológicos”, “naturais”, “sem sulfitos”, de vinificação “alternativa”. Estes conceitos de vinho são todos diferentes, apesar de se poderem tocar em alguns pontos.

Para poderem ter a palavra “biológico” no rótulo, os vinhos têm de ter uma certificação. A sua viticultura tem de obedecer a regras que promovem a sanidade do ambiente e a biodiversidade do local, permitindo a utilização de certos produtos fitoquímicos menos abrasivos (sobretudo o cobre e o enxofre), mas proibindo muitos outros.

Já o “natural” não é uma nomenclatura oficial nem existe certificação para tal. Simplificando, alguns produtores chamam “naturais” aos vinhos em que apenas se espera que o sumo da uva fermente até ser vinho, sem qualquer intervenção pelo meio ou adição de produtos, nem mesmo os sulfitos. Por vezes, para dar um ar mais “natural”, os produtores até deixam estes vinhos propositadamente turvos.

Os vinhos “sem sulfitos” são feitos como qualquer outro convencional, apenas não lhes são adicionados sulfitos, que são compostos que se encontram em muitíssimos alimentos e vão estabilizar e impedir a oxidação do vinho, prolongando a sua vida. Os sulfitos, sobretudo na quantidade baixa que hoje em dia é utilizada na maioria dos bons vinhos, não fazem mal a quase ninguém, podendo apenas causar desconforto a quem lhes tenha alergia.

Finalmente, uma vinificação “alternativa” pode ser apenas um vinho em que se usou uma técnica fora do comum na produção. Mas todos estes tipos de vinho vêm, normalmente, de produtores e enólogos que se preocupam com o impacto ambiental e/ou social do seu negócio. E se isto não é espírito natalício...

Recomendado: O melhor do Natal em Lisboa

Brindes de Natal mais verdes

Vinho, Esporão Reserva Branco 2019, Alentejo
Vinho, Esporão Reserva Branco 2019, Alentejo
©DR

Esporão Reserva Branco 2019, Alentejo

Este é o primeiro Esporão Reserva branco com certificação biológica, e é o resultado de um trabalho de dez anos de conversão das vinhas da Herdade do Esporão para produção bio. Além disso, é um grande vinho branco, das castas tradicionais Antão Vaz, Arinto e Roupeiro.

Fica bem com: o nosso bacalhau. E também com cozinha indiana e semelhantes.

Preço: 17€

Vinho, Beyra Biológico Branco 2019, Beira Interior
Vinho, Beyra Biológico Branco 2019, Beira Interior
©DR

Beyra Biológico Branco 2019, Beira Interior

Prouzido por Rui Roboredo Madeira, este vinho é feito com as castas Síria e Fonte Cal (típicas da Beira Interior), de vinhas em modo de produção biológico, que estão a uma altitude média de 700 metros, em solos de granito. Um branco superfresco e saboroso, que expressa totalmente o sítio de onde vem.

Fica bem com: queijos, aperitivos folhados, frutos secos, peixes delicados.

Preço: 7,50€

Publicidade
Vinho, Anselmo Mendes Curtimenta Branco 2017, Vinho Verde – Monção e Melgaço
Vinho, Anselmo Mendes Curtimenta Branco 2017, Vinho Verde – Monção e Melgaço
©DR

Anselmo Mendes Curtimenta Branco 2017, Vinho Verde – Monção e Melgaço

Este Alvarinho – casta rainha da sub-região Monção e Melgaço, região do Vinho Verde – é um branco com uma vinificação “alternativa”, feito à antiga, porque faz curtimenta, ou seja, fermenta com as películas das uvas (as peles), o que lhe dá muito carácter e sensualidade.

Fica bem com: Polvo, bacalhau e até cabrito (para mentes abertas).

Preço: 25€

Vinhos, Soalheiro Terramatter Branco 2019, Vinho Verde – Monção e Melgaço
Vinhos, Soalheiro Terramatter Branco 2019, Vinho Verde – Monção e Melgaço
©DR

Soalheiro Terramatter Branco 2019, Vinho Verde – Monção e Melgaço

Além de biológico, este Alvarinho é um dos melhores exemplares dos vinhos ditos “naturais”. O seu produtor e enólogo, Luís Cerdeira, pede que se agite a garrafa antes de beber para que fique turvo (não é filtrado) e liberte diferentes sabores e aromas, o que o torna numa experiência única.

Fica bem com: o peru, o galo e a galinha.

Preço: 16,50€

Publicidade
Vinhos, O Fugitivo Branco em Curtimenta 2017, Dão
Vinhos, O Fugitivo Branco em Curtimenta 2017, Dão
©DR

O Fugitivo Branco em Curtimenta 2017, Dão

Este branco da Casa da Passarella, localizada no sopé da Serra da Estrela, é também ele de curtimenta, com as películas das uvas e as grainhas a participar na fermentação. O resultado é um vinho com muita personalidade.

Fica bem com: os pratos mais fortes de peixe e carne, e queijos de pasta mole.

Preço: 22€

Vinho, Altano Biológico Tinto 2018, Douro
Vinho, Altano Biológico Tinto 2018, Douro
©DR

Altano Biológico Tinto 2018, Douro

Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Nacional e Tinto Cão. É muito fresco nas notas de fruta vermelha e especiarias, com uma enorme suavidade.

Fica bem com: cortes bovinos pouco condimentados, bolonhesas e legumes salteados.

Preço: 7,49€

Publicidade
Vinho, Monte Cascas Biológico SO2 Free Reserva Tinto 2018, Beira Interior
Vinho, Monte Cascas Biológico SO2 Free Reserva Tinto 2018, Beira Interior
©DR

Monte Cascas Biológico SO2 Free Reserva Tinto 2018, Beira Interior

«Touriga Franca, Tinta Roriz e Touriga Nacional compõem este tinto da Casca Wines, biológico e também “SO2 Free”, ou seja, sem sulfitos adicionados, que promete não causar dores de cabeça. A menos que se beba demais, mas isso é outra história...

Fica bem com: queijos, paio do lombo, risotos, pratos à base de cogumelos.

Preço: 13€

Vinho, José Piteira Vinho de Talha Tinto 2017, Alentejo
Vinho, José Piteira Vinho de Talha Tinto 2017, Alentejo
©DR

José Piteira Vinho de Talha Tinto 2017, Alentejo

Fazer vinho em talhas (ou ânforas) de barro é uma tradição milenar no Alentejo. Este tinto fantástico, da casta Moreto, é um perfeito exemplo desse costume, que hoje já tem uma certificação legal, com regras que têm de ser cumpridas. Mas só isso “dava outro almoço”...

Fica bem com: borrego, peru, cozido de grão.

Preço: 10€

Publicidade
Vinhos, Casa de Mouraz Tinto 2015, Dão
Vinhos, Casa de Mouraz Tinto 2015, Dão
©DR

Casa de Mouraz Tinto 2015, Dão

De várias parcelas biológicas de vinha, com muitas castas tradicionais do Dão, este tinto elegante e de perfil vegetal é de um dos produtores que mais exterioriza a defesa pela viticultura sustentável e pela produção biológica.

Fica bem com: pratos vegetarianos à base de soja ou tofu, mas também com peru, galo ou galinha (menos condimentados).

Preço: 10€

Vinho, Herdade do Rocim Amphora Tinto 2019, Alentejo
Vinho, Herdade do Rocim Amphora Tinto 2019, Alentejo
©DR

Herdade do Rocim Amphora Tinto 2019, Alentejo

Este vinho de talha, um óptimo tinto, foi feito com total respeito por esse método ancestral, sem qualquer correcção ou intervenção. Na verdade, se produzidos desta forma, os vinhos de talha acabam por ser, também eles, praticamente “naturais”...

Fica bem com: queijos duros mais curados, pratos de porco e de borrego, espargos com ovos.

Preço: 14,15€

Publicidade
Vinho, Quinta das Bágeiras Bruto Natural Super Reserva 2017, Bairrada
Vinho, Quinta das Bágeiras Bruto Natural Super Reserva 2017, Bairrada
©DR

Quinta das Bágeiras Bruto Natural Super Reserva 2017, Bairrada

Há várias classificações de espumante, consoante a quantidade de açúcar, numa escala que vai de Bruto Natural (menos de 3 gramas por litro) a Doce (mais de 50 gramas por litro), passando por vários patamares. Este Quinta das Bágeiras é um Bruto Natural e uma aposta mais do que certa para as festas.

Fica bem com: tudo! Da entrada à sobremesa, sendo o rei desta última. É a magia do espumante da Bairrada...

Preço: 12,30€

Natal à mesa é que é bom

Brunch Natal Sheraton
©DR

Os melhores restaurantes em Lisboa para o dia de Natal

Restaurantes

Este ano, o Natal será diferente, mas continua a ser sinónimo de paz e alegria, família e uma barrigada de boa comida caseira. Para muitos é também sinónimo de horas de roda dos tachos, a fazer uma série de doces em família, a demolhar o bacalhau, a tratar do cabrito ou do borrego. Isto sem falar da pré-preparação passada nos supermercados a escolher o melhor para esta quadra. Se quiser um ano de folga, se está sem tempo ou se quiser simplesmente uma consoada ou dia de Natal diferente, escolha um banquete especial fora de casa. Apesar de estarem a passar um período difícil, estes restaurantes estão de braços abertos para o receber nesses dias.

Bolo-Rei da Confeitaria Nacional
Fotografia: Melissa Vieira

Quinze sítios perfeitos para um lanche natalício em Lisboa

Restaurantes

Por esta altura em 2019, o mais certo era a agenda estar carregadinha de jantares de Natal. Em 2020 o mundo mudou mas devemos manter tradições, para o bem da nossa saudinha mental. Com mais cuidados, menos pessoas à volta da mesa, máscaras no rosto e o distanciamento social correcto, marque um lanche para fazer aquela troca de presentes com o amigo secreto (se precisar de ideias temos umas quantas aqui). Um chocolate quente e uma fatia de bolo-rei, um chá e um sonho ou um dónute e um café de especialidade quentinho fazem o repasto. Reunimos os sítios ideais para um lanche natalício em Lisboa, onde há pastelaria sem fim, fritos típicos da quadra (venham as rabanadas e as filhoses) e outros doces especiais, em restaurantes e pastelarias decoradas a rigor (com menos lugares para sentar e mesas mais espaçadas, mas as luzinhas a aquecerem a alma e levantar o astral). 

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade