Cinco músicos nomeados para os Óscares

Mary J. Blige é a mais recente música nomeada para um Óscar numa categoria de interpretação. Desculpa perfeita para lembrar outros músicos indicados para as estatuetas na categoria de representação.

©DR

Em Mudbound - As Lamas do MississípiMary J. Blige interpreta uma mãe de família que enfrenta o racismo e sofre os efeitos da Segunda Guerra Mundial num Mississippi rural. A lista que se segue dá-lhe outros exemplos de músicos com sucesso na hora de se vestirem de actores, de tal forma que que chegaram mesmo a uma nomeação para os Óscares. Não contamos aqui, claro está, todas as nomeações para canções originais e banda-sonora, quase sempre dominada e ganha por músicos.

Mary J. Blige – ‘Mudbound’ (2017)

Aos 47 anos, a diva da soul e do r&b chega a um ponto da vida com o qual, eventualmente, nunca sonhou: ser nomeada para um Óscar. E falamos de uma nomeação para a categoria de Melhor Actriz Secundária, pela sua brilhante interpretação de Florence Jackson, a mãe de uma família instalada no Mississipi rural durante a Segunda Guerra Mundial. 

Jared Leto – ‘O Clube de Dallas’ (2013)

O vocalista dos Thirty Seconds To Mars não foi só nomeado para a categoria de Melhor Actor Secundário com o seu papel em O Clube de Dallas, como o norte-americano venceu mesmo o Óscar. Tudo graças a uma contracenação maravilhosa com Matthew McConaughey. Vejamos se Mary J. Blige consegue repetir a façanha.  

Publicidade

Queen Latifah – ‘Chicago’ (2002)

A rapper e apresentadora de televisão foi nomeada para Melhor Actriz Secundária com o musical Chicago, de 2002, que acabou por levar seis estatuetas para casa, embora Latifah tenha perdido. Interpretava Mama Morton, a corrupta chefe de staff da prisão onde estão presas Velma (Catherine Zeta-Jones) e Roxie (Renée Zellweger), estrelas do burlesco da cidade presas por homicídio.

Diana Ross – ‘Lady Sings the Blues’ (1972)

Pode até considerar-se um trabalho fácil: Diana Ross a fazer de Billie Holiday. Uma diva a fazer de outra. Mas a verdade é que não foi só por cantar que Ross recebeu a nomeação para Melhor Actriz com Lady Sings the Blues, filme de Sidney J. Furie. A vida de Holiday não foi fácil de levar ao ecrã. E muito menos de interpretar. Não venceu, mas esteve lá, com os melhores actores do ano.

Publicidade

Bette Midler – ‘The Rose’ (1979)

Para Bette Midler, a história não foi muito diferente de Diana Ross. Interpreta uma estrela de rock auto-destrutiva, com fraca capacidade para gerir a fama e a sua carreira. É certo que Midler é uma cantora com uma história no cinema (em 1991 foi nomeada também para Melhor Actriz com For the Boys), mas é de mencionar que chegou à nomeação no seu primeiro papel enquanto protagonista.

Especial Óscares 2018

Conheça os nomeados na categoria de Melhor Filme

Vendo as nomeações de maneira aritmético-desportiva, A Forma da Água segue à frente e Três Cartazes à Beira da Estrada está na sua peugada. O que pode muito bem não querer dizer nada. Surpresas podem acontecer, pelo que nada é garantido. Excepto serem estas as nove películas nomeadas para Óscar de Melhor Filme.

Ler mais
Por Rui Monteiro

E o Melhor Filme Estrangeiro é…

Um Óscar é um Óscar, e mesmo para os que, na Europa, acham o de Melhor Filme Estrangeiro sinal de paternalismo de Hollywood, nunca é indiferente o vencedor, ou os perdedores. Entre dezenas de candidatos, caíram no goto do júri cinco nomeados de diferentes latitudes estéticas e geográficas. Cinco desafios em desfile já a seguir.

Ler mais
Por Rui Monteiro
Publicidade

Óscares: dez discursos polémicos

O escândalo rebentou, as denúncias multiplicaram-se e a onda de contestação e apoio assaltou Hollywood com a hashtag #metoo à cabeça. Nos Globos de Ouro já se ouviram discursos fortes, como o de Oprah, e a passadeira vermelha fez-se em tons de negro como forma de protesto. É por isso de esperar discursos controversos na cerimónia dos Óscares deste ano, que acontece a 4 de Março. O que, a bem dizer, até já começa a ser uma tradição. Se nas últimas edições tem sido vulgar, certo é a coisa ter começado há décadas, como vemos nestes dez exemplos.

Ler mais
Por Rui Monteiro

Comentários

0 comments