Dez papéis memoráveis de Daniel Day-Lewis

O actor anglo-irlandês fez 60 anos e anunciou que se vai retirar da representação. No encerramento da carreira de Daniel Day-Lewis, recordamos uma dezena dos seus papéis mais significativos no cinema
Daniel Day Lewis
Por Eurico de Barros |
Publicidade

De A Minha Bela Lavandaria a Lincoln, passando por O Último dos Moicanos ou O Meu Pé Esquerdo, eis 10 das maiores interpretações do único actor da história a vencer três Óscares de Melhor Actor.

Dez papéis memoráveis de Daniel Day-Lewis

‘A Minha Bela Lavandaria’, de Stephen Frears (1985)

Daniel Day-Lewis fez-se notar pela primeira vez com este papel de um ex-skinhead gay e de origem social humilde que abre uma lavandaria self-service em Londres, juntamente com o seu namorado, um pequeno empresário paquistanês (Saeed Jaffrey). Este foi o primeiro filme britânico a mostrar abertamente um relacionamento homossexual.

2- ‘Quarto com Vista para a Cidade’, de James Ivory (1985)

Estreado no mesmo ano que A Minha Bela Lavandaria, este filme de James Ivory baseado no livro de E.M. Forster foi fundamental para a percepção crítica e pública do talento e da versatilidade de Daniel Day-Lewis, que aqui dá corpo a uma figura nos antípodas da do filme de Stephen Frears, o aristocrático, pedante e socialmente tacanho noivo da principal personagem feminina.  

Publicidade

3 - ‘O Meu Pé Esquerdo’, de Jim Sheridan (1989)

Primeiro Óscar de Melhor Actor para Daniel Day-Lewis pela sua interpretação do pintor e escritor irlandês Christy Brown, nascido com paralisia cerebral e tendo controlo apenas sobre o seu pé esquerdo. Day-Lewis não “adocica” o retrato do biografado, mostrando-o com todos os seus defeitos e recusando, tal como Jim Sheridan, fazer de O Meu Pé Esquerdo mais um filme “edificante” sobre abnegados deficientes.

4- ‘O Último dos Moicanos’, de Michael Mann (1992)

É pena que o grande cinema histórico e de aventuras já estivesse em declínio quando Daniel Day-Lewis chegou à representação. Senão, poderíamos tê-lo visto noutros memoráveis papéis de herói clássico como este Hawkeye, o caçador e pisteiro branco criado nos livros por James Fenimore Cooper. Um filme formidável, e um dos mais carismáticos papéis de Day-Lewis.

Publicidade

5 - ‘A Idade da Inocência’, de Martin Scorsese (1993)

Mais uma memorável interpretação de uma personagem pertencente a um estrato social superior para Daniel Day-Lewis, nesta adaptação do livro de Edith Wharton por Martin Scorsese. O seu Newland Archer, figura mais complexa e simpática do que a personagem aparentada que fez em Quarto com Vista para a Cidade, domina este sumptuoso filme, passado na Nova Iorque do século XIX.

 

6- ‘Em Nome do Pai’, de Jim Sheridan (1993)

Baseado num facto real, a condenação e encarceramento, na Inglaterra dos anos 70, de quatro irlandeses, incluindo um pai e um filho, acusados de envolvimento num atentado do IRA, esta fita dá a Daniel Day-Lewis, no papel de Gerry Conlon, a oportunidade de interpretar uma personagem que passa por uma evolução moral e de consciência e cuja transformação o actor nos transmite com todo o pormenor.

Publicidade

7 - ‘O Boxeur’, de Jim Sheridan (1997)

O terceiro filme do actor com o irlandês Jim Sheridan, um dos seus realizadores preferidos, passa-se em Belfast e é a história de Danny Flynn, um pugilista que depois de ter cumprido uma sentença na prisão pelo IRA, decide afastar-se do activismo e abrir um clube de boxe aberto a católicos e protestantes. Day-Lewis é soberbo de contenção num homem que decide renegar aquilo em que acreditou e arrisca a vida por isso.  

8 - ‘Gangs de Nova Iorque’, de Martin Scorsese (2003)

Embora a sua interpretação de Bill “The Butcher” Conlon, o temível mas colorido líder do submundo na Nova Iorque de meados do século XIX, tenha sido classificada como excessiva ou “exibicionista” por alguns críticos, é óbvia a maneira como Daniel Day-Lewis se deleita aqui no seu overacting. De tal forma que quase faz esquecer que Leonardo DiCaprio lhe dá réplica, e num papel mais positivo.

 

Publicidade

9 - ‘Haverá Sangue’, de Paul Thomas Anderson (2007)

Segundo Óscar para o actor nesta fita baseada num livro de Upton Sinclair, onde Daniel Day-Lewis dá corpo a uma das suas personagens mais cerradamente negativas, Daniel Plainview, um prospector que fica rico quando encontra petróleo e que se empenha em fazer a vida negra a todos os que o rodeiam para consolidar o seu poder. Incluindo, involuntariamente, ao filho adoptivo, uma das raras pessoas que estima.  

10 - ‘Lincoln’, de Steven Spielberg (2012)

O retrato dramático que Daniel Day-Lewis faz aqui do presidente Abraham Lincoln durante a Guerra Civil americana não foi consensual, tendo sido julgado por alguma crítica como sendo demasiado solene e artificioso. A verdade é que deu ao actor anglo-irlandês o seu terceiro Óscar. Durante as filmagens, Day-Lewis insistiu em ser sempre tratado por “Senhor Presidente” ou “Sr. Lincoln”.

Os melhores filmes de...

Kevin Spacey
Photograph: Tawni Bannister
Filmes

Kevin Spacey

De Os Suspeitos do Costume, Seven-Sete Pecados Mortais ou Beleza Americana no cinema, até House of Cards na televisão, eis uma dezena de momentos altos da carreira de Kevin Spacey, actor, realizador e também director do Old Vic em Londres.

Meryl Streep nos Globos de Ouro 2017
©Image Group LA/HFPA
Filmes

Meryl Streep

Faça lá as contas: 80 papéis, 19 nomeações aos Óscares, 3 vitórias. Se isto não merece um prémio de carreira, então não sabemos o que merece. A 74ª edição dos Globos de Ouro distinguiu Meryl Streep, de 67 anos, com o prémio Cecil B. DeMille. Enquanto o discurso da actriz norte-americana se tornou viral, nós fomos à procura dos seus 10 melhores filmes. 

Publicidade
Denzel Washington em Vendações
© MMXVI Paramount Pictures Corporation.
Filmes

Denzel Washington

 Quanto mais Denzel, melhor. É por isso que a lista que pode encontrar já aqui em baixo inclui os seus dez melhores filmes. Dez para não serem vinte. Seja em versão bandido, como em Gangster Americano (2007), seja como detective, em Dia de Treino (2001), este senhor tem o nosso carinho. Assim dita a história.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com