Erros que ficaram para a história na entrega dos Óscares

O episódio do anúncio errado do vencedor do Óscar de Melhor Filme por Warren Beatty é sem dúvida o mais embaraçoso e lamentável de toda a história dos prémios, mas não foi o primeiro

John Travolta em 2014

Já foi baptizado de envelope gate e entra para a história da Academia como a maior gafe de sempre. Mas os Óscares não são estranhos a barracas. Recordamos cinco, entre trocas de nomes e homens nus. 

Erros que ficaram para a história na entrega dos Óscares

Frank. Qual Frank?

Em 1935, o apresentador dos Óscares, o actor Will Rogers, chamou o realizador vencedor do respectivo Óscar, dizendo: “Levanta-te e vem buscá-lo, Frankl!”. Só que quem se levantou e correu para o palco não foi Frank Capra, o vencedor por Aconteceu uma Noite, mas sim o seu colega Frank Lloyd, que julgou que tinha ganho Melhor Realizador com o seu filme Cavalgada.

Já cá canta!

Em 1947, a actriz Rosalind Russell, que já tinha perdido o Óscar de Melhor Actriz por duas vezes, estava tão certa de que o ia ganhar por Electra, que se levantou e começou a dirigir-se para o palco antes de a vencedora ser anunciada. Mas não foi ela a galardoada, foi Loretta Young, por A Filha do Lavrador, e Russell ficou por alguns segundos parada a meio caminho, voltando depois ao seu lugar envergonhadíssima.

Publicidade

Envelope, take 1

Em 1964, Sammy Davis Jr. enganou-se no vencedor do Óscar de Melhor Banda Sonora por lhe terem entregado o envelope errado e anunciou John Addison, por Tom Jones, que nem sequer estava entre os nomeados. O erro foi corrigido de imediato e a estatueta entregue ao vencedor certo, André Previn, por Irma la Douce.

Em pelota

Em 1974, David Niven ia chamar Elizabeth Taylor para ela apresentar o Óscar de Melhor Filme, quando um homem nu atravessou o palco brandindo um cartaz com um símbolo da paz. O famoso actor inglês engasgou-se e ficou em silêncio durante segundos enquanto o intruso, um artista conceptual e activista gay chamado Robert Opel, era detido pelos seguranças. Niven comentou então o sucedido com bom humor, mas quase que se esqueceu de chamar Elizabeth Taylor.

Publicidade

Idina ou Adele ou lá o que é

Em 2014, John Travolta protagonizou uma gaffe verbal. Encarregado de apresentar a actuação de Idina Menzel, que ia interpretar a canção “Let it Go”, do filme da Disney Frozen, Travolta, que depois confessou estar nervoso e pouco concentrado, chamou-lhe “Adele Dazeem”.

Óscares 2017

E o Óscar vai para La La Land. Ou então não

Os holofotes estavam todos virados para La La Land, mas a Academia não foi na conversa de Damien Chazelle – que é como quem diz nas cantorias de Emma Stone e Ryan Gosling – e entregou a principal estatueta da noite a Moonlight. 

Ler mais
Por Vera Moura

Jimmy Kimmel: mestre nas cerimónias

Donald Trump, Matt Damon, Meryl Streep, Denzel Washington e até um grupo de turistas, foram alvos do humor do apresentador. Quase tudo correu bem.     

Ler mais
Por Miguel Branco
Publicidade

Os 10 melhores vestidos dos Óscares 2017

Em contraste com o falhanço do final da cerimónia, não houve grandes desastres na passadeira vermelha. Mais mensagens políticas (os laços azuis da American Civil Liberties Union ou os pins a favor do planeamento familiar estiveram em lapelas de homens e mulheres) do que vestidos incríveis, mas ainda assim bonitos. 

Ler mais
Por Inês Garcia

Comentários

0 comments