Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Indispensável a cinéfilos sonhadores: oito filmes sobre viagens no tempo

Indispensável a cinéfilos sonhadores: oito filmes sobre viagens no tempo

De “A Máquina do Tempo” a “A Fantástica Aventura de Bill e Ted”, eis um conjunto memorável de filmes sobre viagens no tempo.

Regresso ao Futuro
DR Regresso ao Futuro
Por Eurico de Barros |
Publicidade

Como viajar no tempo? Os oito filmes de ficção científica de referência desta selecção têm sugestões muito variadas. Elas vão desde a tradicional máquina do tempo do filme homónimo de George Pal, até ao DeLorean de Doc Brown e Marty McFly da trilogia Regresso ao Futuro, assinada por Robert Zemeckis. E há ainda, e muito simplsmente, a auto-hipnose, tal como é praticada pela personagem interpretada por Christopher Reeve em Algures no Tempo, de Jeannot Szwarc, adaptação do livro de Richard Matheson. Outros filmes desta selecção são realizados por nomes como Nicholas Meyer, Terry Gilliam e Stephen Herek.

Recomendado: Os 100 melhores filmes de ficção científica de sempre

Oito filmes sobre viagens no tempo

“A Máquina do Tempo”, de George Pal (1960)

O “avôzinho” de todos os filmes de ficção científica, baseado no livro clássico de H.G. Wells. O realizador George Pal recorreu a toda a sua experiência de autor de filmes animados para rodar esta soberba adaptação da obra de Wells, com Rod Taylor no papel do inventor que viaja no tempo, e no futuro encontra um mundo pós-apocalíptico povoado pelos pacíficos Elois e pelos canibais Morlocks. A Máquina do Tempo ganhou um mais do que merecido Óscar de Efeitos Especiais, pelas suas trucagens fotográficas. E a máquina do tempo propriamente dita é uma maravilha de concepção estética.

“Os Passageiros do Tempo”, de Nicholas Meyer (1979)

H.G. Wells (Malcom McDowell) é o herói deste filme de Nicholas Meyer, e construiu mesmo uma máquina do tempo, na Londres do final do século XIX. Esta é roubada por Jack, o Estripador (David Warner), que se transporta para a São Francisco do século XX, onde continua a cometer crimes horrendos. Wells vai atrás dele para o capturar, e além de descobrir que o futuro não é a utopia socialista com que sonhava (longe disso), acaba por se apaixonar pela jovem Amy Robbins (Mary Steenburgen).

Publicidade

“Algures no Tempo”, de Jeannot Szwarc (1980)

O grande escritor de ficção científica Richard Matheson adaptou aqui o seu livro Somewhere in Time, e tem até uma rápida participação no filme. Christopher Reeve interpreta um dramaturgo que, graças à auto-hipnose, viaja no tempo, para os EUA do início do século XX, instado por uma idosa actriz, Elise McKenna (Jane Seymour) para se apaixonar por ela quando era jovem e bela. Mas o agente dela (Christopher Plummer) não gosta e tenta separá-los. Um filme que combina romance e viagens no tempo de forma particularmente feliz.

“Os Ladrões do Tempo”, de Terry Gilliam (1981)

Uma fantasia aventurosa, cómica e nonsense assinada pelo Monty Python Terry Gilliam. Kevin (Craig Warnock), um rapazinho, acompanha um grupo de anões que viajam pelo tempo para fugir ao seu senhor, o Ser Supremo (Sir Ralph Richardson), e metem-se nas mais delirantes complicações. John Cleese aparece no papel de Robin dos Bosques, Sean Connery faz de rei Agamemnon e Ian Holm de Napoleão Bonaparte. Michael Palin, Shelley Duvall, David Warner também fazem parte do elenco. Filme de culto, como é óbvio.

Publicidade

“Regresso ao Futuro I, II e III”, de Robert Zemeckis (1985/89/90)

O DeLoren modificado do Dr. Emmett Brown, o inventor desgrenhado interpretado por Christopher Lloyd, e no qual este e o jovem Marty McFly (Michael J. Fox) viajam para a frente e para trás no tempo, nesta trilogia cómica de ficção científica, é uma das mais originais e estrambólicas máquinas de atravessar os séculos de toda a história do cinema. Robert Zemeckis, também autor dos argumentos dos três filmes, com Bob Gale, toca, ao longo da trilogia, numa série de temas clássicos das histórias de viagens no tempo, caso dos paradoxos temporais ou da alteração de todo o futuro pela modificação de um acontecimento do passado. E o terceiro e último filme é... um western!

“A Fantástica Aventura de Bill e Ted”, de Stephen Herek (1989)

Nesta comédia satírica de culto, Bill (Alex Winter) e Ted (Keanu Reeves) são dois adolescentes californianos que não primam pela inteligência e querem formar uma banda de rock. Mas primeiro têm que passar nos exames no liceu, nomeadamente no de História. São então visitados por um viajante do futuro, que lhes proporciona a oportunidade de viajarem pelo tempo, para que possam recolher informações para o exame. E Bill e Ted decidem que, ainda melhor do que informações, é recolher figuras históricas. Excellent, dude!

Mais ficção científica

Filmes

Sete filmes épicos de ficção científica

David Lynch, Roger Corman, Peter Yates e até Mel Brooks são alguns dos realizadores que rodaram estes filmes épicos de ficção científica nas décadas de 70 e de 80, alguns deles contendo também ingredientes de fantasia.

Publicidade
Publicidade