A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
The Terminal List
Amazon Prime Video

Na tropa da ficção televisiva, ‘The Terminal List’ chumba na recruta

Chris Pratt não tem estofo de “duro” ou de operacional para protagonizar esta série da Amazon Prime Video em registo Rambo.

Escrito por
Eurico de Barros
Publicidade

★☆☆☆☆

Espero que Jack Carr, autor do livro em que se baseia a série The Terminal List (Amazon Prime Video) tenha sido um bom membro dos SEAL, o corpo de elite da Marinha dos EUA. É que como escritor, e a julgar pela amostra, é perfeitamente indistinto de muitos outros que se dedicam a este tipo de thrillers de acção com forte componente militar. Chris Pratt, também um dos produtores, faz de James Reece, o oficial dos SEAL que é o herói dos cinco volumes que Carr escreveu até agora. Neste, o primeiro da série, Reece vê o seu pelotão ser dizimado durante uma missão secreta na Síria, só sobrevivendo ele e outro militar. De volta aos EUA, este suicida-se. Mas Reece desconfia das explicações oficiais e percebe que paira uma ameaça sinistra sobre ele e a família. The Terminal List é uma história de vingança implacável de juntar por números e de violência em registo Rambo, composta por personagens-tipo, situações feitas, clichés fatigados e inconsistências em fila indiana, e dominada por um negativismo também ele já estereotipado: além dos políticos, também já não podemos confiar nos superiores, só nos camaradas de armas. E Chris Pratt é um actor agradável, mas não tem estofo de “duro” ou de operacional. Na tropa da ficção televisiva, The Terminal List chumba na recruta.

Mais críticas de televisão

Publicidade
Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade