O melhor de Agatha Christie no cinema

O remake de 'Um Crime no Expresso do Oriente' estreia-se esta semana e fomos investigar quais os melhores filmes adaptados de livros da "Rainha do Crime"

Um Crime no Expresso do Oriente (1974)

Billy Wilder, Sidney Lumet e Guy Hamilton encontram-se entre os realizadores que assinaram algumas das melhores versões cinematográficas de obras clássicas da autoria de Agatha Christie, entre as décadas de 50 e de 80.

O melhor de Agatha Christie no cinema

‘Testemunha de Acusação’, de Billy Wilder (1957)

Esta adaptação à tela da peça de teatro Witness for the Prosecution, por sua vez tirada do conto homónimo, beneficia muito da realização de Billy Wilder, que atenua o peso cénico do enredo, e das presenças de Charles Laughton, Tyrone Power e Marlene Dietrich nos papéis principais. Temos aqui um engenhoso e absorvente drama policial de tribunal, onde não faltam as reviravoltas e as surpresas características de Agatha Christie, que dizia ser este um dos seus filmes preferidos, entre os vários adaptados de obras que assinou.

‘O Estranho Caso da Velha Curiosa’, de George Pollock (1961)

Margaret Rutherford interpretou a idosa e arguta detective amadora Miss Marple em quatro filmes, sendo este o primeiro. A escritora não ficou particularmente impressionada com a fita, mas aprovou a escolha de Rutheford para o papel de Jane Marple, ao ponto de lhe dedicar um livro, O Espelho Quebrado, publicado no ano seguinte à estreia de O Estranho Caso da Velha Curiosa. Aqui, Miss Marple investiga o assassínio de uma mulher no comboio que se cruzou com aquele em que seguia, e que testemunhou.

Publicidade

‘And There There Were None’, de Peter Collinson (1974)

Terceira adaptação ao cinema (esta inédita em Portugal) de Convite para a Morte, após a de René Clair, de 1945, e a de George Pollock, de 1965. A acção é transferida de uma ilha em Inglaterra para o deserto do Irão, mantendo-se a ideia central das 10 pessoas convidadas para uma casa isolada por um estranho que nunca aparece, e que vão depois sendo assassinadas uma a uma. O elenco inclui Oliver Reed, Richard Attenborough, Charles Aznavour, Herbert Lom e Stéphane Audran. Houve uma quarta versão, em 1989.

‘Um Crime no Expresso do Oriente’, de Sidney Lumet (1974)

Albert Finney interpreta Hercule Poirot nesta excelente adaptação, servida por um elenco multinacional de topo de gama, de um dos títulos mais aclamados de Agatha Christie. A história é ambientada durante uma viagem no lendário comboio, que fica retido pela neve nos Balcãs após ter sido palco de um intrigante assassínio. O filme teve seis nomeações aos Óscares, tendo Ingrid Bergman ganho o de Melhor Actriz Secundária. Foi a única vez que Finney personificou Poirot (e não agradou a todos os fãs da escritora).

Publicidade

‘Morte no Nilo’, de John Guillermin (1978)

Peter Ustinov sucedeu a Albert Finney como Poirot nesta fita passada num barco de cruzeiro de luxo no rio Nilo. Ustinov haveria de interpretar o detective belga de Agatha Christie por mais duas vezes no cinema. Juntamente com Um Crime no Expresso do Oriente, Morte do Nilo é um dos melhores filmes baseados em livros da “Rainha do Crime”, beneficiando, tal como aquele, de um argumento sólido (do dramaturgo Anthony Shaffer), uma realização fluente, um suspense sem quebras e um elenco cheio de grandes nomes.

‘Espelho Quebrado’, de Guy Hamilton (1980)

Angela Lansbury é Miss Marple nesta fita assinada por um dos melhores realizadores da série 007, Guy Hamilton, e passada durante a rodagem de um filme de Hollywood em St. Mary Mead, a vilazinha onde aquela vive. Lansbury é uma Miss Marple imediata e totalmente convincente, e é pena que apenas a tenha interpretado neste filme, onde está acompanhada por nomes como Elizabeth Taylor, Kim Novak, Rock Hudson, Tony Curtis, Geraldine Chaplin ou Edward Fox, este no papel do seu sobrinho, o inspector Craddock.

Publicidade

‘Morte ao Sol’, de Guy Hamilton (1982)

O realizador de Espelho Quebrado e o argumentista de Morte no Nilo encontram-se neste segundo filme em que Peter Ustinov dá corpo a Hercule Poirot (o terceiro e último seria o sofrível Morte Entre as Ruínas, de Michael Winner, em 1988), que desta vez tem que resolver um crime numa exclusiva estância de férias no Adriático. Mais um bom exemplo de ua fitade qualidade industrial tirado de um livro clássico de Agatha Christie, contando ainda com Maggie Smith, Diana Rigg, James Mason, Roddy McDowall ou Jane Birkin.

Mais cinema

As principais estreias de cinema em Novembro

Sally Potter regressa a preto e branco. Hercule Poirot volta a investigar Um Crime no Expresso do Oriente. Zack Snyder reúne finalmente a Liga da Justiça. Elizabeth Moss brilha no vencedor da Palma de Ouro de Cannes 2017. Julie Delpy faz um viúvo alegre. Acontece tudo isto (e não só) nos filmes que se estreiam nos cinemas portugueses em Novembro. Não se pode pedir muito mais.

Ler mais
Por Rui Monteiro

Sete detectives da televisão pouco convencionais

Um padre católico, um detective fantasma, outro cego e lutador de artes marciais ou uma dona de casa com dons mediúnicos constam desta lista de investigadores policiais fora do comum, que protagonizaram séries de televisão de sucesso e de culto, entre os anos 60 e os nossos dias.

Ler mais
Por Eurico de Barros
Publicidade

Cinquenta dos melhores filmes clássicos de sempre

Comédias e westerns, policiais e melodramas, ficção científica e fantástico, sem esquecer o musical, fazem parte desta lista de melhores filmes clássicos. Nela encontramos obras de realizadores como Buster Keaton, Fritz Lang, Ingmar Bergman, John Ford, Howard Hawks, Fellini, Truffaut, Godard, Luchino Visconti ou Martin Scorsese, entre muitos, muitos outros.   

Ler mais
Por Eurico de Barros

Comentários

0 comments