A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Gaia, de Jaco Bouwer no MOTELX
DR

O MOTELX em dez arrepios

Tivemos medo, muito medo, mas conseguimos seleccionar dez filmes a não perder no MOTELX.

Escrito por
Eurico de Barros
Publicidade

O lançamento do livro O Quarto Perdido do MOTELX – Os Filmes do Terror Português (1911-2006); uma homenagem a Paulo Branco na secção Quarto Perdido, enquanto “produtor do terror português”, com a exibição dos filmes O Convento, de Manoel de Oliveira, O Fascínio, de José Fonseca e Costa, e Coisa Ruim, de Tiago Guedes e Frederico Serra; e uma sessão especial do filme mudo Os Crimes de Diogo Alves, de João Tavares (1911), acompanhada por uma partitura original de Bernardo Sassetti, executada ao vivo pelo Combo da Escola Superior de Música de Lisboa, sob a orientação de Desidério Lázaro, e seguida por uma conversa sobre a composição para cinema mudo em Portugal, com aquele professor, Filipe Raposo e Tó Trips (São Luiz, 7 de Setembro, 20.00), estão entre os principais destaques da 16.ª edição do MOTELX – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, que decorre no Cinema São Jorge e na Cinemateca entre os dias 6 e 12 de Setembro, com as habituais secções e eventos paralelos. Seleccionámos dez sugestões, de entre os muitos filmes que serão exibidos no festival deste ano.

Recomendado: Os 100 melhores filmes de terror de sempre

O MOTELX em dez arrepios

'Óculos Escuros', de Dario Argento
DR

1. 'Óculos Escuros', de Dario Argento

O mestre italiano Dario Argento regressa ao giallo (e volta a dirigir a filha Asia), neste filme onde Diana (Ilenia Pastorelli), uma jovem acompanhante de luxo que perdeu a visão num acidente quando fugia de um assassino em série. E é ajudada a enfrentá-lo por um miúdo, Chin, que sobreviveu ao mesmo acidente.

2. 'Something in the Dirt', de Justin Benson e Aaron Moorhead

Dois vizinhos de um imóvel de Los Angeles começam a investigar um fenómeno paranormal que ali se manifesta, na esperança de ganharem dinheiro e ficarem famosos. Justin Benson e Aaron Moorhead, os autores do fabuloso O Interminável e de Sincrónico, assinam, realizam e interpretam o seu novo filme.

Publicidade
'Os Demónios do meu Avô', de Nuno Beato
DR

3. 'Os Demónios do meu Avô', de Nuno Beato

Um dos filmes portugueses do MOTELX 2022 é esta longa-metragem animada que combina o 2D e o stop motion, sendo a primeira deste género feita no nosso país. É a história de uma jovem inteiramente dedicada ao seu trabalho e cujo avô, um ceramista, morre, deixando-lhe uma colecção de demónios de barro que modelou, e que parecem ganhar vida.

'Huesera', de Michelle Garza Cervera
DR

4. 'Huesera', de Michelle Garza Cervera

Co-produção mexicano-peruana em que Valeria, uma rapariga que está grávida pela primeira vez, para sua alegria, do namorado e dos familiares, começa a ter visões horríveis, convence-se de que está a ser assombrada por uma entidade sobrenatural, a Huesera, ou Mulher-Osso, e recorre à ajuda de uma bruxa.

Publicidade

5. 'Coupez!', de Michel Hazanavicius

Uma equipa de filmagem que está a rodar uma série B de zombies num prédio abandonado, é atacada por um grupo dos mesmos. Michel Hazanavicius, realizador de O Artista e Godard, o Temível, assina aqui um remake do filme japonês One Cut of the Dead, de Shin’ichiro Ueda (2017). Com Romain Duris, Bérénice Bejo e Grégory Gadebois.

'A Banquet', de Ruth Paxton
DR

6. 'A Banquet', de Ruth Paxton

Uma mãe viúva, Holly (Sienna Guillory) e a filha adolescente, Betsey (Jessica Alexander), estão no centro da primeira longa-metragem da inglesa Ruth Paxton. A rapariga revela à sua progenitora que teve uma experiência sobrenatural e que o seu corpo está agora ao serviço de um poder maior, e Holly vai ter que perceber o que está a acontecer à filha.

Publicidade

7. 'Saloum', de Jean Luc Herbulot

Acção e terror sobrenatural étnico acotovelam-se nesta fita de produção franco-senegalesa, realizada pelo congolês Jean Luc Herbulot e passada no início deste século. Um trio de mercenários de elite ajuda um traficante de droga a fugir da Guiné-Bissau no meio de um golpe de Estado, e vão refugiar-se na região de Saloum, no Senegal, onde começam a viver estranhas experiências.

Mais filmes que metem medo

  • Filmes
  • Terror

A história do cinema de terror já vai longa. Desde o início do século XX que inúmeros realizadores expandem e redefinem os limites do género. Esta amplitude referencial e estética está bem patente na nossa lista dos 100 melhores filmes de terror de sempre. Já a oferta de filmes de terror na Netflix é muito limitada, mas encontram-se lá clássicos absolutos como A Semente do Diabo (1968, na foto), de Roman Polanski, ou Shining (1980), de Stanley Kubrick.

  • Filmes

O amor, às vezes, pode ser muito macabro. Por isso, em vez de escolherem um romance cómico ou dramático para ver de mãos dadas, escolham um destes oito filmes de terror para ver a dois. Desde películas mais obscuras, como The Sinful Dwarf (1976), do realizador dinamarquês Vidal Raski, a clássicos do género como A Mosca (1986), do mestre canadiano David Cronenberg, ou mesmo o mais recente e premiado Vai Seguir-te (2015), de David Robert Mitchell.

Publicidade
Os dez filmes da série ‘Halloween’ revisitados
  • Filmes

Quando em 1978 rodou Halloween – O Regresso do Mal e revolucionou o cinema de terror, John Carpenter decerto não pensaria que, 40 anos depois, estaria a produzir e a compôr a banda sonora do 11º filme da série, a continuação directa do original. E muito menos que Michael Myers, o assassino sobrenatural que é o fio condutor dos Halloween, se tornaria numa das grandes figuras monstruosas do género.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade