Os 15 melhores filmes de 2018 (até agora)

Nunca é má altura para fazer balanços. Neste caso, dos melhores filmes vistos em Portugal nos primeiros meses de 2018
Publicidade

É bom fazer balanços. Olhar para trás e pensar no melhor e no pior seja do que for. Neste caso, do cinema. 2018 ainda vai a meio (mais mês, menos mês), mas como todos os anos, já nos deu filmes maus, assim-assim, bons, muito bons e uns quantos que merecem um lugar nos livros, como é o caso de The Incredibles 2 – Os Super-Heróis, a mais recente animação da Pixar, de Brad Bird, O Lamento, do sul-coreano Na Hong-jin, ou Linha Fantasma, de Paul Thomas Anderson.

Estes são por agora os melhores filmes que passaram pelos ecrãs portugueses este ano.

Recomendado: Os melhores filmes de 2017

Os 15 melhores filme de 2018 (até agora)

1
Phantom Thread
Filmes, Drama

Linha Fantasma

Um filme brilhante sobre perfeccionismo obsessivo, amor perseverante e luta pelo poder num microcosmo familiar, comercial e criativo (uma casa de moda de luxo na Londres dos anos 50), rodado por Paul Thomas Anderson com uma elegância, um rigor e um saber cinematográfico clássicos. Daniel Day-Lewis tem aqui o seu derradeiro papel, o excêntrico, mimado, exigente e genial costureiro Reynolds Woodcock, interpretado com a mesma fixação pela excelência no seu ofício que move a personagem que incarna. Vicky Krieps faz a sua nova e determinada amante, modelo e empregada, e Lesley Manville é Cyril, a austera irmã solteirona daquele.

A Time Out diz
2
15:17 to Paris
Filmes, Suspense

15:17 Destino Paris

Aos elaboradíssimos filmes de super-heróis, Clint Eastwood responde com um filme simplex até mais não, sobre heróis inesperados e arrancados ao quotidiano banal: os três amigos americanos, dois deles militares de licença, que estavam de férias na Europa e no dia 21 de Agosto de 2015 impediram um atentado terrorista no comboio Thalys de alta velocidade que ligava Amesterdão a ParisEastwood põe os três a interpretarem-se a eles próprios, reconstrói as suas vidas desde a infância, quando se conheceram na escola, e filma no limite do minimalismo eloquente e da síntese expressiva, dando uma lição de cinema à maneira dos clássicos.

A Time Out diz
Publicidade
3
the wailing
Filmes, Terror

O Lamento

Um grande, grande filme de terror sobrenatural do sul-coreano Na Hong-jin, e o primeiro dos três deste realizador a estrear-se em Portugal. O Lamento vai ficar para a posteridade como a resposta asiática a O Exorcista, de William Friedkin. É uma história de possessão demoníaca – não de uma pessoa, mas de vários habitantes de uma vila do interior da Coreia do Sul –, investigada por um polícia trapalhão cuja filha foi atingida, em que Hon-jin afeiçoa o horror às características culturais e religiosas da sociedade em que vive.

A Time Out diz
4
A Morte de Estaline
©Ascot Elite
Filmes, Comédia

A Morte de Estaline

Armando Iannucci, criador de séries de sátira política como The Tick of It e Veep, flagela de riso (muito, muito negro) o horror totalitário em A Morte de Estaline. Baseado numa BD francesa. Com Michael Palin, Steve Buscemi e Simon Russell Beale.

A Time Out diz
Publicidade
5
Los increíbles 2
Filmes, Animação

The Incredibles 2 – Os Super-Heróis

No segundo filme animado da super-família Parr, de novo realizado por Brad Bird, há novidades sobre os papéis domésticos do Sr. Incrível e da Mulher-Elástica, bem como sobre os superpoderes do bebé Jack-Jack, de que o realizador aproveita para tirar o máximo rendimento cómico. Em tudo o resto, e felizmente, Bird mantém as qualidades técnicas, estéticas, visuais, narrativas e humorísticas que fizeram do original (datado de 2004) uma das expressões mais altas da animação por computador da Pixar, evitando ainda a tentação de emular, ao seu nível e neste universo específico, os detestáveis filmes de super-heróis da Marvel e da DC. Que, e a propósito, The Incredibles 2: Os Super-Heróis batem em toda a linha.

A Time Out diz
6
Filmes, Documentários

Gatos

Gatos, gatos, gatos por toda a parte: nas ruas e nas varandas, nos muros e nas caixas de ar condicionado, nas esplanadas e nas lojas. Os gatos fazem parte da paisagem de Istambul, da sua identidade e da essência da cidade, como diz a turca Haroon Adalat no seu documentário Gatos, que se centra em sete das centenas de milhares de felinos que
ali vivem, ouvindo ainda
os seus donos, vizinhos ou quem cuida deles. O que falta em enquadramento histórico-cultural, sobra em esplendor felino.

A Time Out diz
Publicidade
7
Nelyubov / Sevgisiz
Filmes, Drama

Loveless - Sem Amor

Farto de ouvir os pais, que se vão divorciar, discutirem azedamente um com o outro, e de ser ignorado por eles, como se fosse invisível, Alyosha, de 12 anos, desaparece de casa. Andrei Zvyagintsev, autor de Elena Leviatã e opositor de Vladimir Putin, filma esta história de desamor, egoísmo, desintegração social e aridez emocional e moral como um óbvio correlativo da situação colectiva da Rússia dos nossos dias, e com uma frigidez visual que não deixa dúvidas sobre o pessimismo que o cineasta nutre sobre o estado do seu país

A Time Out diz
8
Olhares Lugares
©DR
Filmes, Documentários

Olhares Lugares

À beira de fazer 90 anos e a perder a vista, Agnès Varda juntou-se ao fotógrafo e artista plástico JR e foram cruzar a França na carrinha/estúdio fotográfico deste, fotografando pessoas a eito e colando os retratos em tamanho gigante nas paredes das suas vilas, casas, quintas ou locais de trabalho. Mas Olhares Lugares é um documentário todo ele de Varda: melancólico e bem-disposto, peripatético, poético e artesanal, partindo dela para os outros, sempre em busca de histórias curiosas, coincidências e insólitos, atraída pelas pessoas comuns e pelas suas histórias e relacionando tudo com o cinema: o seu, o dos outros, ou o da sua geração.

A Time Out diz
Publicidade
9
Cavernícola
Filmes, Animação

A Idade da Pedra

Nick Park, criador de Wallace e Gromit e um dos fundadores dos estúdios Aardman, revela, na primeira longa-metragem de animação de volumes que assina sozinho, que o futebol foi inventado na Idade da Pedra. Pondo em confronto no relvado uma equipa de trogloditas e outra da Idade do Bronze, A Idade da Pedra está povoado por uma vasta galeria de personagens hilariantes e é uma cornucópia de gags em jacto contínuo, onde o humor absurdo anda de braço dado com o slapstick clássico. A animação tem, aqui e ali, uma ajudinha do computador, mas no essencial, Park permanece fiel à tradição artesanal que faz a diferença e a fama da Aardman.

A Time Out diz
10
Filmes, Drama

Na Síria

O director de fotografia belga Philippe Van Leeuw filma um grupo de civis trancados num apartamento de Damasco enquanto os perigos da guerra rondam lá fora e ameaçam entrar. A ideia do realizador é dar o ponto de vista dos civis anónimos num conflito, e o filme é vago o suficiente para esta situação poder ser extrapolada para outras guerras noutros países e não se confinar à Síria. Por isso, longe de ser virtuosamente político, propagandista ou "engajado", Na Síria é um filme de terror de alta tensão claustrofóbica e de medo sempre à flor da pele, com a soberba Hiam Abass no papel da mãe de família que mantém o grupo preso em casa unido e protegido.

A Time Out diz
Publicidade
11
A Quiet Place
Filmes, Terror

Um Lugar Silencioso

A Terra é invadida e devastada por monstros alienígenas cegos mas hipersensíveis ao ruído, e para sobreviver, os humanos têm que se habituar a existir no mais absoluto silêncio, como a família liderada por John Krasinski (que também realiza), numa quinta no interior dos EUA. Partindo desta premissa, Krasinski e os seus co-argumentistas, Bryan Woods e Scott Beck, alinham uma série de situações de suspense esfrangalha-nervos, em que umsimples prego saliente numa escada ou uma inundação numa cave podem ser fatais. Com Emily Blunt, que é mulher de Krasinski, na mãe, e a óptima Millicent Simmonds, que é surda-muda, na filha com a mesma deficiência.

A Time Out diz
12
Frantz screening London Film Festival
Filmes, Drama

Frantz

Um dos melhores filmes de François Ozon, sobre um livro pacifista de Maurice Rostand depois levado ao palco e adaptado para o cinema em 1932 por Ernst Lubitsch (O Homem que Eu Matei). O realizador francês acrescenta uma segunda parte à história original,  alterando ainda o ponto de vista da personagem principal, um francês, para a alemã. Frantz é um drama sobre o perdão e a mentira, e sobre o peso da dor pelos mortos queridos, passado logo após a I Guerra Mundial, entre a Alemanha e a França. Nos papéis principais, Pierre Niney e Paula Beer são formidavelmente tocantes. Ozon mantém à distância qualquer manifestação melodramática e filma com parcimónia de intimidades, num preto e branco austero com assomos de cor para enfatizar picos emocionais do enredo.

A Time Out diz
Publicidade
13
El taller de escritura
Filmes, Drama

O Workshop

Vencedor do Festival de Cannes em 2008 com A Turma, sobre um professor e os seus alunos de um liceu “difícil” de Paris, o francês Laurent Cantet, a escrever de novo com Robin Campillo, volta a juntar aqui um adulto e jovens que estão a tactear o seu caminho no mundo (uma escritora de policiais que faz um workshop de escrita com adolescentes de La Ciotat, em Marselha), usando-os para expor as divisões, medos e tensões da França contemporânea. Um filme muito bem escrito, que finta simplificações de caracterização e situação, e foge a julgamentos apressados e moralismos reconfortantes.

A Time Out diz
14
Filmes, Drama

Western

Um grupo de operários alemães vai erguer uma central hidroeléctrica numa zona remota da Bulgária, que confina com a Grécia. Em vez de desenvolver um enredo à base de lugares-comuns sentimentais, de confrontação ou de estereotipação nacional e política, bem como de metáforas prontas-a-usar sobre a Europa de hoje, a realizadora Valeska Grisebach faz um filme sobre o esforço - nem sempre fácil, espontâneo ou correspondido - de entendimento, comunicação e convívio entre seres humanos. O elenco é quase todo composto por amadores, muitos deles recrutados no local em que Western foi rodado, com destaque para o ex-feirante Meinhard Neumann) no principal papel masculino.

A Time Out diz
Publicidade
15
Sicario 2: día del soldado
Filmes, Drama

Sicário – Guerra de Cartéis

O italiano Stefano Solima (SuburraGomorra) substituiu Denis Villeneuve a realizar esta continuação de Sicário-Infiltrado, e a personagem de Emily Blunt foi descartada. Mas tudo o resto continua no lugar, incluindo a visão desapiedada do argumentista Taylor Sheridan sobre a sangrenta e amoral guerra fronteiriça entre os cartéis da droga mexicanos, agora a traficar imigrantes clandestinos em vez de cocaína, e sobretudo as personagens de Josh Brolin e Benicio del Toro, os homens frios e duros das operações clandestinas, que desta vez revelam mais alguma humanidade e sentido de honra do que seria de esperar. 

A Time Out diz

Mais cinema

Filmes

Os piores e os melhores filmes da Disney

Será que os filmes da Disney são divertidos e visualmente interessantes – perfeitos para toda a família? Ou são uma lamechice que só serve para fazer lavagem cerebral às crianças? Todas a gente tem uma opinião sobre os mais de 50 filmes de animação que foram lançados ao longo dos anos pela empresa fundada por Walt Disney, a começar pela Branca de Neve, em 1937, até à galinha dos ovos de ouro que foi Frozen: O Reino do Gelo. Mas quais são afinal os que merecem um lugar de destaque na prateleira? E quais os que mais valia serem esquecidos? 

Filmes

Os melhores filmes para ver ao ar livre este Verão

À procura de um programa romântico a dois, sob as estrelas, ou de uma noite alternativa em família? O cinema ao ar livre anima, como já é habitual, o Verão alfacinha e há dezenas de filmes para ver. Desde clássicos do cinema a blockbusters recentes.  E nem os miúdos foram esquecidos e podem ver (ou rever) alguns dos seus filmes de animação preferidos, sempre ao ar livre. Destaque ainda para filmes premiados na última edição dos Óscares: se ainda não assistiu a A Forma da Água, Três Cartazes à Beira da Estrada ou Chama-me pelo Teu Nome, eis a sua oportunidade.

Publicidade
Filmes

Cabe muito cinema nos filmes de Verão de Hollywood

Quando pensamos em filmes de Verão pensamos em grandes sucessos de bilheteira, blockbusters ligeiros para refrescar dias de calor. Pensamos em The Rock (perdão, Dwayne Johnson) a saltar de um arranha-céus. E isso acontece no apropriadamente chamado Arranha-Céus, de Rawson Marshall Thurber. Mas há mais cinema para ver neste Verão. Desde sequelas de grandes êxitos como Ocean's 8, de Gary Ross, o filme de animação The Incredibles 2 – Os Super-Heróis, de Brad Bird, ou Mamma Mia! Here We Go Again, o musical de Ol Parker, a filmes com mais substância, como BlacKkKlansman, de Spike Lee.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com