A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Roma
©NetflixRoma de Alfonso Cuarón

Óscares 2019: o melhor filme estrangeiro

Já se sabe, não tarda nada e está aí a cerimónia de entrega dos Óscares. Mas antes de 24 de Fevereiro é preciso saber quem é quem

Escrito por
Rui Monteiro
Publicidade

O Melhor Filme Estrangeiro é o parente pobre na cerimónia de entrega de Óscares. Ainda assim, poucos são os países que não apresentam candidatos, e ainda menos os cineastas que não gostariam de uma estatueta na mão. Entre dezenas de candidatos, caíram no goto do júri cinco nomeados de diferentes latitudes estéticas e geográficas. Há um, no entanto, que se tem destacado: Roma, de Alfonso Cuarón. O filme da Netflix é um dos grandes favoritos aos Óscares deste ano. Além de nomeado para Melhor Filme Estrangeiro, Roma concorre ainda nos prémios principais (Melhor Filme e Realizador).

Recomendado: Os injustiçados das nomeações aos Óscares

Óscares 2019 – Melhor Filme Estrangeiro

Cafarnaum (Líbano)
©Filmcoopi

Cafarnaum (Líbano)

O filme dirigido pela escritora, actriz e realizadora Nadine Labaki, com Zain Al Rafeea, Yordanos Shiferaw e Boluwatife Treasure Bankole, candidato a Melhor Filme Estrangeiro (uma categoria criada para a Academia não parecer chauvinista), não constava das previsões dos peritos. Porém, a história de um rapaz 12 anos que processa os pais por o terem trazido ao mundo sem possuírem meios para o sustentar dignamente, na verdade uma metáfora sobre o que passam os que vivem sem a garantia dos direitos humanos básicos de educação, saúde e amor, cativou o júri.

Cold War – Guerra Fria (Polónia)
©Filmcoopi

Cold War – Guerra Fria (Polónia)

Aí pelos anos 50 do século XX, portanto em ambiente de Guerra Fria, passa-se este romance entre um maestro caído de amores por uma cantora por ele também sentimentalmente inclinada, rapariga de diferentes origens e quase contraditório temperamento, que tenta convencer a amada a fugir da Polónia para França. Criada pelo realizador e argumentista Pawel Pawlikowski, com Joanna Kulig, Tomasz Kot e Borys Szyc, além da nomeação para Melhor Filme Estrangeiro, ainda concorre às estatuetas destinadas ao Melhor Realizador e Melhor Fotografia (Lucasz Zal).

Publicidade
Nunca Deixes de Olhar (Alemanha)
©The Walt Disney Company

Nunca Deixes de Olhar (Alemanha)

Outro filme sobre insatisfeitos com o comunismo em fuga é este, escrito e dirigido por Florian Henckel von Donnersmarck, com Tom Schilling, Sebastian Koch e Paula Beer. Igualmente candidato ao Óscar de Melhor Fotografia, aqui, o artista plástico Kurt Barnert, depois de fugir da República Democrática Alemã para a Alemanha Ocidental, continua a atormentar-se, por um lado com as experiências que teve na infância e na juventude durante os anos do nazismo, por outro com a sua anterior vida já no regime comunista implantado após a II Guerra Mundial. Estamos nisto quando o protagonista conhece Ellie, uma estudante, convence-se que encontrou o amor da sua vida e desata a criar pinturas que são um espelho da sua esperança, mas também o reflexo dos traumas da sua geração.

Roma (México)
©Netflix

Roma (México)

De volta ao último filme de Alfonso Cuarón, que depois dos Globos de Ouro para Melhor Realizador e Melhor Filme Estrangeiro, depois da dezena de nomeações para os Óscares, entretanto arrebatou os BAFTA para Melhor Filme, Melhor Filme Estrangeiro, Melhor Fotografia e ainda, para Cuarón, o prémio David Lean para Realização. Nomeado também para o Óscar de Melhor Filme, Roma, que foi produzido pelo serviço de streaming Netflix (e só estreado em cinemas para efeitos de candidatura), é, sem dúvida, um dos grandes candidatos a acumular estatuetas com esta narrativa pessoal e quase íntima, dos anos de 1970, no bairro de Roma, na Cidade do México.

Publicidade
Shoplifters: Uma Família de Pequenos Ladrões (Japão)
©cineworx

Shoplifters: Uma Família de Pequenos Ladrões (Japão)

Há muito, desde a sua primeira longa-metragem, Maborosi, realizada em 1995, que a família e suas várias formatações e comportamentos é tema no cinema de Hirokazu Kore-eda. Com Shoplifters – Uma Família de Pequenos Ladrões, vencedor do Festival de Cannes este ano, o realizador japonês conta como os Shibata arredondam o salário que o pai ganha com os seus biscates na construção civil roubando tudo o que necessitam em lojas e mercados de bairro, e como, apesar da sua deficiente condição económica, quando vêem uma menina abandonada na rua, decidem levá-la para casa e dar-lhe comida e abrigo.

Caminho para os Óscares 2019

  • Filmes

Uma cantora, uma desconhecida, uma veterana, uma cara da comédia agora num papel dramático e uma actriz que depois de anos no meio conseguiu finalmente o seu grande protagonismo. São assim, em traços gerais, as nomeadas na categoria de melhor actriz para a edição dos Óscares deste ano. Olivia Colman, Lady Gaga, Melissa McCarthy, Glenn Close e Yalitza Aparício são as escolhidas da Academia. Conheça as cinco nomeadas aos Óscares na categoria de Melhor Actriz. A vencedora é anunciada a 24 de Fevereiro.

  • Filmes

É uma lista de pesos pesados, embora com duas estreias para Rami Malek e Willem Dafoe, já nomeado no passado na categoria secundária da representação, mas nunca na principal. Juntamente com Malek (Bohemian Rhapsody) e Dafoe (À Porta da Eternidade), estão na corrida Christian Bale, por Vice, Bradley Cooper, por Assim Nasce Uma Estrela e Viggo Mortensen, por Green Book – Um Guia para a Vida. Dos cinco, só Cooper dá vida a uma personagem fictícia, todos os outros são retratos reais de figuras tão conhecidas como Freddy Mercury, Vincent Van Gogh ou Dick Cheney.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade