A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
DOWNTON ABBEY
Jaap BuitendijkDownton Abbey

Séries para quem gosta de “Downton Abbey”

Na semana em que se estreia o filme “Downton Abbey”, seleccionámos dez séries semelhantes ou aparentadas a esta produção inglesa.

Escrito por
Eurico de Barros
Publicidade

Estreia-se nos cinemas portugueses na quinta-feira Downton Abbey, o filme feito a partir da popular série criada por Julian Fellowes e passada numa grande casa senhorial inglesa, nas primeiras décadas do século XX. Entre as séries da mesma família narrativa que seleccionámos, feitas entre os anos 70 e os nossos dias, encontram-se títulos que marcaram a história da televisão, como é o caso de A Família Forsyte, A Família Bellamy, Reviver o Passado em Brideshead ou ainda a versão dos anos 90 de Orgulho e Preconceito. Todas elas mostram a excelência da produção televisiva britânica.

Recomendado: 11 séries históricas inesquecíveis

Séries para quem gosta de “Downton Abbey”

“A Família Forsyte” (1967)

Esta adaptação para televisão dos livros de John Galsworthy The Forsyte Saga, foi a primeira série inglesa a ser exibida na antiga URSS. É a história de uma família da classe média alta nas primeiras décadas do século XX, baseada na própria família do autor, vencedor do Prémio Nobel da Literatura em 1932. Interpretada por nomes como Eric Porter, Kenneth Moore, Michael York ou Susan Hampshire A Família Forsyte foi ainda a última grande produção da BBC a ser rodada a preto e branco. Passou em Portugal na RTP, com enorme sucesso.

“A Família Bellamy” (1971)

Originalmente intitulada Upstairs, Downstairs, mas chamada em Portugal A Família Bellamy devido à grande popularidade de A Família Forsyte, esta série centra-se na vida quotidiana de uma família aristocrática de Londres, mas também na dos seus vários serviçais, entre 1903 e 1930, tendo no mordomo escocês Hudson (Gordon Jackson), uma das personagens mais características e populares. Nomes como Jean Marsh, Anthony Andrews, David Langton ou Lesley-Anne Down também constam do vasto elenco.

Publicidade

“South Riding” (1974)

A região fictícia de South Riding, no Yorkshire, dá o título a esta adaptação do livro autobiográfico de Winifred Holtby, publicado postumamente em 1936. As personagens principais pertencem a várias famílias locais, das mais variadas proveniências sociais, desde aristocratas a camponeses e classe média, e a acção passa-se na década de 30, reflectindo as várias tensões e mudanças da sociedade inglesa de então, especialmente ao nível rural. Nigel Davenport, Dorothy Tutin e Judi Bowker estão entre os muitos intérpretes.

“Amor num Clima Frio” (1980)

É no seio de uma família muito semelhante à célebre e extravagante família inglesa Mitford, que decorre esta série baseada em dois dos livros de um dos seus membros mais ilustres, a escritora e jornalista Nancy Mitford. Ela recria aqui, com alguma ficção pelo meio, muitas das peripécias, experiências, romances e dramas vividos por si, pelas irmãs e pelos seus aristocráticos e peculiares parentes, amigos, namorados e conhecidos, entre as duas guerras mundiais. Judi Dench lidera o elenco de Amor num Clima Frio.

Publicidade

“Reviver o Passado em Brideshead” (1981)

A carreira de Jeremy Irons foi lançada pelo seu papel de Charles Ryder, o melhor amigo do rico e excêntrico Sebastian Flyte (Anthony Andrews), nesta sumptuosa e muito fiel adaptação do romance de Evelyn Waugh sobre a amizade daquele com os Flyte, uma riquíssima família católica, proprietária da casa senhorial que dá nome à série, desde os anos 20 até ao final da década de 40. Sir Laurence Olivier, Sir John Gielgud, Claire Bloom, Simon Jones, Diana Quick e Stéphane Audran também estão no luxuoso rol de actores.

“Orgulho e Preconceito” (1995)

Esta é a mais famosa das várias adaptações para televisão do romance homónimo de Jane Austen (a primeira das quais data de 1958), contando com Colin Firth no papel de Mr. Darcy (que protagoniza uma cena num lago que ficou para a posteridade, e no imaginário colectivo das telespectadoras), que o projectou para a fama, e Jennifer Ehle no de Elizabeth Bennet. Ela é a heroína da história, que traça um retrato amplo e pormenorizado da Inglaterra do início do século XVIII, dos seus costumes e da situação das mulheres da burguesia rural.

Publicidade

“A Dance to the Music of Time” (1997)

A Inglaterra de entre os anos 20 e 70, com os acontecimentos que a marcaram, as alterações nos costumes e as modificações sociais, económicas e políticas, constituem a matéria dos 12 livros do ciclo que Anthony Powell escreveu sob este título, inspirado num quadro de Poussin. A respectiva série mantém o narrador omnisciente desta saga, Nick Jenkins, que serve de voz ao autor, e apresenta uma miríade de personagens, muitas das quais ligadas ao meio literário, artístico universitário e político que Powell frequentou e conhecia por dentro.

“O Fim de Uma Época” (2012)

Ford Madox Ford escreveu, entre 1924 e 1928, a tetralogia que deu origem a esta série passada nos anos que antecederam a I Guerra Mundial, e durante o conflito. O enredo acompanha um aristocrata inglês insatisfeito com a sua vida, Christopher (Benedict Cumberbatch), Sylvia (Rebecca Hall), a sua frívola e calculista mulher, e Valentine (Adelaide Clemens), uma sufragista e pacifista, dividida entre as suas causas e a atracção por Christopher, bem como várias personagens secundárias que circulam em redor deste trio.

Publicidade

“Poldark” (2015)

Já antes filmada para a televisão por duas vezes, nas décadas de 70 e 90, Poldark assenta na série de livros da autoria de Winston Graham. A personagem principal, Ross Poldark (Aidan Turner), é um militar inglês que combateu na Guerra Americana da Independência e regressa à Cornualha natal, para descobrir que o pai morreu, a sua propriedade está desleixada e a casa em ruínas, e a namorada está noiva de um primo seu. Contrata então uma rapariga da vila, Demelza (Eleanor Tomlinson), como sua criada, acabando por casar com ela.

“Dr. Thorne” (2016)

Julian Fellowes, o criador de Downton Abbey, assina o argumento desta versão para televisão do romance de Anthony Trollope, passado na Inglaterra de meados do século XIX. Mary Thorne (Stefanie Martini) é uma rapariga sem meios de fortuna e de pais desconhecidos, que é criada pelo seu tutor, o Dr. Thorne (Tom Hollander), e passa grande parte do tempo junto da família Gresham, na propriedade destes. A chegada da idade adulta coincide, para Mary, com o começo dos problemas financeiros dos Gresham, e das quezílias entre estes, ela e o seu tutor.

Mais séries históricas

12 séries de médicos e hospitais
  • Filmes

Dr. Kildare, M.A.S.H., Doutora Quinn, Serviço de Urgência, Dr. House, Anatomia de Grey ou Enfermeira Jackie são apenas algumas das séries de médicas que entraram para a história da televisão, dos anos 60 até aos nossos dias. 

  • Filmes

Entre 'Sim, Senhor Ministro', ambientado nos corredores do poder de Inglaterra, e 'The Veep', passado na Casa Branca, sem esquecer uma raridade portuguesa, 'A Mulher do Senhor Ministro', eis seis séries para rirmos do mundo da política e dos seus actores.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade