Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right 12 séries de médicos e hospitais que fizeram história

12 séries de médicos e hospitais que fizeram história

As séries de médicos e hospitais são populares desde o aparecimento da televisão. Eis 12 que fizeram história

Anatomia de Grey
Anatomia de Grey
Por Eurico de Barros |
Publicidade

Dr. Kildare, M.A.S.H., Doutora Quinn, Serviço de Urgência, Dr. House ou Anatomia de Grey são algumas das séries de médicos, enfermeiros e demais profissionais de saúde, com dramas ambientados em hospitais ou clínicas, que entraram para a história da televisão. Dos anos 60 até aos nossos dias, a preto e branco e a cores, reunimos uma dúzia de propostas televisivas que vale a pena ver ou rever se é fã do género. O melhor é que pelo menos duas destas séries ainda estão em exibição; por isso, quando acabar pode ficar na expectativa dos próximos episódios.

Recomendado: As melhores séries do momento

Uma foto da Time Out Magazine

A Time In Portugal já está disponível

Pode ler a última edição no conforto do seu sofá

Ler a revista

12 séries de médicos e hospitais

1

‘Dr. Kildare’

A “mãe” de todas as séries de televisão sobre médicos, medicina e hospitais, Dr. Kildare, interpretada por Richard Chamberlain, surgiu numa altura (1961) em que o pequeno ecrã, nos EUA, era dominado por séries western, policiais e de comédia. Vinda do cinema e da rádio, onde surgiu pela primeira vez, Dr. Kildare estabeleceu o padrão para as séries deste género, criou a figura do médico-herói na televisão e transformou o jovem Chamberlain numa estrela. A série foi campeã de audiências, levou muita gente para o estudo da medicina por todo o mundo e durou até 1966.

2

‘Ben Casey’

Estreada em 1961, ao mesmo tempo que Dr. Kildare, só que na ABC (Kildare era da rival NBC), Ben Casey distinguiu-se desta pelo facto do médico que lhe dá o título, interpretado por Vince Edwards, ser brilhante, mas ter um feitio muito pouco afável, apresentando-se assim como um predecessor do Dr. House de Hugh Laurie. E também como o oposto do simpatiquíssimo clínico personificado por Richard Chamberlain. Em tudo o resto, as duas séries eram praticamente idênticas. Tal como Dr. Kildare, Ben Casey foi popularíssima e também terminou em 1966.
Publicidade
3

‘General Hospital’

Passada num hospital de uma cidade ficcional dos EUA, e envolvendo dezenas e dezenas de personagens ao longo dos anos, esta combinação de série dramática e de telenovela surgiu em 1963 e mantém-se no ar ainda hoje, tendo batido vários recordes de longevidade na televisão americana. Entre os actores e actrizes famosos que começaram as suas carreiras ou foram convidados especiais em General Hospital, contam-se Elizabeth Taylor, Demi Moore, Mark Hamill, Ricky Martin, Richard Dean Anderson, Roseanne Barr ou James Franco.
4

‘Marcus Welby’

Eis outra das séries de médicos que se tornou num título clássico do género, tendo começado a passar em 1969, três anos depois do fim de Dr. Kildare e Ben Casey. Robert Young interpreta o Dr. Marcus Welby do título, um experiente e paternal médico de clínica geral que exerceu na Marinha durante a guerra. Apesar dos seus cabelos brancos, Welby gosta de abordagens pouco ortodoxas e de analisar a psicologia dos seus pacientes, ao contrário do seu mais jovem e mais convencional assistente, o Dr. Steven Kiley (James Brolin). A série foi emitida até 1976.
Publicidade
5

‘M.A.S.H’

Baseada no filme homónimo que Robert Altman realizou em 1970, esta série passada numa unidade médica do exército dos EUA durante a Guerra da Coreia (que passa pela do Vietname), manteve o humor negro e o espírito crítico do militarismo e do belicismo que caracterizava aquele. Com um extenso elenco liderado por Alan Alda e Wayne Rogers, e repleta de personagens excêntricas e castiças. M.A.S.H. (iniciais de Mobile Army Surgical Hospital) ganhou muitas dezenas de prémios e transformou-se em série de culto. Durou entre 1972 e 1983.

6

‘S.O.S. Urgências’

Uma série de médicos que tem no elenco nomes como Denzel Washington, Mark Harmon, David Morse ou Ed Begley. Jr. não pode ser má. E S.O.S. Urgências era muito boa, tanto mais que conseguia ser cómica e dramática, gozona e comovente. E para fugir ao estereótipo de ser ambientada num grande e moderno hospital, real ou fictício, passava-se num hospital de Boston antigo e um tudo-nada decadente. Produzida pela MTM de Mary Tyler Moore, era o equivalente no seu género de A Balada de Hill Street. Durou entre 1982 e 1988.

Publicidade
7

‘Casualty’

Criada em 1986 pela BBC e ainda hoje em exibição, Casualty é a série ambientada num hospital mais antiga da televisão britânica, e a de maior longevidade do seu género exibida em horário nobre em todo o mundo. Marcada por um realismo muito caracteristicamente inglês, a série passa-se no Holby City Hospital, uma instituição hospitalar da cidade imaginária de Holby, centrando-se nas peripécias da vida profissional e privada do pessoal que lá trabalha. A sua popularidade originou uma série-irmã, Holby City, em 1999, que decorre no mesmo hospital.

8

‘Doutora Quinn’

Jane Seymour, a “Rainha da Televisão”, como era conhecida nos anos 70 e 80, faz a médica do título desta série que combinava o formato de western e o de doctor show. Michaela Quinn é uma clínica de Boston que, em meados do século XIX, após a morte do seu rico pai, decide mudar de ares e abrir consultório em Colorado Springs, no Colorado. Lá, e com a ajuda de alguns amigos, vai convencer os habitantes da região que uma mulher médica pode ter tanto valor e ser de tanta confiança como um homem. Esteve no ar entre 1993 e 1998.
Publicidade
9

‘Serviço de Urgência’

O falecido escritor Michael Crichton, ele próprio formado em Medicina, criou esta série, passada num hospital de Chicago. É considerada por muitos como a melhor do género já vista na televisão, pelo seu cuidado realismo, pela qualidade e consistência dramática dos enredos, pela variedade, actualidade e relevância dos temas abordados ao longo dos seus vários anos de existência (entre 1994 e 2009) e pelo excelente elenco. George Clooney lidera-o e deve a Serviço de Urgência o ter-se transfomado numa estrela de primeira grandeza.

10

‘Nurse Jackie’

Edie Falco tinha deixado para trás esse imenso e irrepetível sucesso que foi Os Sopranos quando, em 2009, arrebatou o papel principal desta série, o da enfermeira Jackie Peyton, sobrecarregada de trabalho nas urgências do hospital de Nova Iorque onde está colocada, e cheia de problemas pessoais. Não admira que seja viciada em fármacos, e que o seu frenético quotidiano possa ser cómico, dramático ou ambas as coisas ao mesmo tempo. Nurse Jackie é uma das poucas séries do género centrada numa enfermeira. Foi transmitida entre 2009 e 2015.
Publicidade
11

‘Dr. House’

Alguém definiu o Dr. House como sendo “Sherlock Holmes na pele de um médico”, e não ficou longe da verdade. Se bem que este clínico tem um temperamento tão anti-social, que faz a cerebral criação de Conan Doyle parecer um modelo de fofura emocional. House é brilhantemente interpretado por Hugh Laurie como uma pessoa que não quer, não se importa e faz quase tudo para que não gostem dela. Só que essa pessoa é um médico genial, que resolve os mais estranhos, intrigantes e desafiadores casos médicos que lhe chegam às mãos. Foi de 2004 a 2012.
12

‘Anatomia de Grey’

Já dura desde 2005, aguentou várias mudanças no elenco ao longo da sua existência (incluindo a saída do seu actor-vedeta, Patrick Dempsey) e continua a manter a característica inicial de puxar muito, e constantemente, pelas personagens femininas, um conjunto de médicas inteligentes, bonitas e determinadas – mesmo tendo em conta o peso do Dr. Derek “McDreamy” Shepherd de Dempsey. Aliás, o título da série está (também) ligado ao nome da personagem interpretada por Ellen Pompeo, a Dra. Meredith Grey, pivô de grande parte dos episódios.

Mais séries para ver

Filmes

Séries históricas inesquecíveis

A Inglaterra isabelina, Roma antiga, os EUA da Guerra Civil, a Rússia da invasão napoleónica ou a Índia colonial, são alguns dos cenários destas séries históricas inesquecíveis, que ficaram como referências televisivas deste género. Uma história que, neste caso, vai de Isabel, estreada em 1971 e uma das séries de referência da história da BBC, ao fenómeno mais recente que foi Downton Abbey, exibida entre 2010 e 2015 pela ITV.

Sul (série)
RTP
Filmes

Séries portuguesas para ver e recordar

Longe vão os tempos em que a ficção na televisão nacional se resumia sobretudo às telenovelas. Nos últimos anos, a produção nacional de séries cresceu e provou que o formato pode funcionar. Conta-me Como Foi, adaptação do original espanhol Cuéntame Cómo Pasó, marcou em 2007 o início da mudança. Não é só no estrangeiro que se faz boa televisão. Estas são as séries portuguesas que vale mesmo a pena ver.

Publicidade
Pan Am
Sony Pictures Television
Filmes

Séries novas para ver nos canais abertos

Há ainda muitas pessoas que não aderiram ao streaming nem subscrevem canais pagos, logo não têm acesso às séries que passam neles. Foi a pensar nelas que elaborámos esta selecção de séries. E há bastante coisa para ver, desde The Halcyon Hotel, passada num luxuoso hotel londrino durante a II Guerra Mundial, até ao enredo dramático e policial da espanhola Gigantes, ambientada nos meios do crime de Madrid.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade