Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right The Walking Dead: o que desvendaram Reedus, Morgan e Nicotero em Lisboa

The Walking Dead: o que desvendaram Reedus, Morgan e Nicotero em Lisboa

Falámos com as três estrelas de Walking Dead e cozinhámos 15 aperitivos para ir digerindo até ao próximo episódio, na segunda-feira

Por Renata Lima Lobo |
Publicidade
walking dead
©Fox Network Portugal

Ontem foi um dia em cheio para os fãs da série que assentaram arraiais à porta do Tivoli (e de outras portas, rua abaixo). A quatro episódios do final da temporada, a tensão acumula-se e os fãs temem pela vida dos personagens favoritos. Antes que fosse tarde demais, estivémos com os actores Jeffrey Dean Morgan (Negan) e Norman Reedus (Daryl) e ainda com o incontornável maquilhador Greg Nicotero, que na série vai emprestando o seu talento também como realizador de alguns episódios.

The Walking Dead: o que desvendaram Reedus, Morgan e Nicotero em Lisboa

1

Daryl esteve a passar uns tempos numa das celas de Negan. Norman Reedus acredita que o personagem se sentiu culpado pelas mortes de Glenn ou Abraham. Personagens que, entre outras, o salvaram de ser um mini-Merle, o seu irmão mais velho.

2

Se o apocalipse não tivesse acontecido, Daryl nunca seria um dos bons rapazes. Seria um vilão, embora relutante.

Publicidade
3

No início da série, o argumento incluía uma cena com Daryl a consumir drogas. Norman Reedus lutou para que isso não acontecesse, porque achava que havia uma luz em Daryl que nunca teve a oportunidade de brilhar.

4

Ninguém está salvo. Nem Daryl e nem mesmo Rick. Nenhum dos actores sente que tem uma personagem indestrutível.

Publicidade
5

Se Reedus fosse um personagem da série escolheria a furtiva Carol. Jeffrey optou por Daryl e Nicotero por Hershell. Mas com cabeça.

6

No último episódio da sexta temporada, "Last Day On Earth", é introduzida a infame personagem Negan. O presente de boas vindas do actor Jeffrey Dean foi um monólogo com doze páginas. A cena em que Negan prepara o grupo de Rick para o pesado sacrifício que traumatizou muitos fãs no início da actual temporada.

Publicidade
7

Antes do apocalipse, podemos imaginar Negan como um assassino profissional ou um talhante ao estilo de Sweeney Todd. Mas era um homem casado com uma mulher chamada Lucille (agora o nome do seu bastão de baseball). Tinha um caso extra-conjugal e nessa altura foi diagnosticado um cancro a Lucille.

8

Negan era professor de educação física, especializado em ténis de mesa, com um fraquinho por palavras profanas. Um indivíduo comum, portanto.

Publicidade
9

Negan obteve o bastão de baseball de um grupo de sobreviventes que estava a tentar proteger. Mas ninguém lhe deu ouvidos e continuaram a morrer. Foi aí que começou a criar as suas próprias regras, refinando-as com o tempo. Tácticas brutas que, apesar de tudo, mantêm pessoas vivas. E outras mortas.

10

Morgan entra em personagem assim que veste o casaco de cabedal e pega no bastão. E tirando os adereços volta a ser ele próprio. O maior desafio para o actor é mesmo decorar o guião. Negan fala pelos cotovelos.

Mostrar mais

Maluquinhos das séries

Filmes, Comédia

As 25 melhores séries de comédia

As listas, como quase tudo nesta vida, são relativas. Mas depois de enchermos uma espécie de conselho de administração com loucos de séries televisivas e outros consultores da redacção da Time Out, chegámos a estas 25. Portanto, se vai começar a disparar insultos e a pedir justificações para as suas séries de comédia preferidas não estarem aqui avisamos já que não vai ter sucesso. Podiam ser outras, mas são estas. E pedimos desculpa às que ficaram de fora. Mais um alerta à tripulação: estas séries de comédia estão ordenadas apenas por ordem alfabética, que não queremos alimentar ainda mais a polémica. Ria-se connosco.

Sul (série)
RTP
Filmes

O que é nacional é bom: nove séries portuguesas para ver e recordar

Longe vão os tempos em que a ficção na televisão nacional se resumia sobretudo às telenovelas. Nos últimos anos, a produção nacional de séries cresceu e provou que o formato pode funcionar. Conta-me Como Foi, adaptação do original espanhol Cuéntame Cómo Pasó, marcou em 2007 o início da mudança. Nos anos que se seguiram, a RTP trouxe ao público apostas bem sucedidas como Último a Sair, Mistérios de Lisboa ou As Linhas de Torres. Sara, de Bruno Nogueira, ou Sul, de Ivo M. Ferreira, confirmaram que o panorama nacional mudou de vez. Mas também vale a pena voltar aos anos 1980 e recordar Duarte e Companhia – que está de volta ao epqueno ecrã, na RTP Memória, e a nossa única fuga ao século XXI.

Publicidade