Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Bola de cristal arco-íris: o que esperar de 2021
Arraial Pride, Orgulho LGBT+
©DR Arraial Pride

Bola de cristal arco-íris: o que esperar de 2021

Puxe da agenda e anote bem o que vem a seguir.

Por Clara Silva
Publicidade

2021 ainda é incerto, mas não custa nada sonhar com o que está para vir. Do Arraial Pride no Terreiro do Paço, ao Pride Mundial em Copenhaga, sem esquecer os filmes queer para ver no cinema, novas tendências de moda e, até, os emojis inclusivos que nos vão chegar aos telemóveis. Tentámos ler o futuro e adivinhar o que o novo ano nos vai trazer. Puxe da agenda e anote bem o que vem a seguir.

Recomendado: Projectos que vão mudar a cidade em 2021

Marcha, LGBT+, Arraial Pride
Marcha, LGBT+, Arraial Pride
©Ricardo Lopes

Arraial Pride

Pela primeira vez desde 1997, Lisboa não teve direito a Arraial Pride em 2020. Ou melhor, houve celebrações, mas digitais, tal como no resto do mundo, num Global Pride que aconteceu em streaming. Se tudo correr bem, a 24.ª edição deverá voltar em 2021 ao Terreiro do Paço, para finalmente podermos celebrar ao vivo e com todas as cores do arco-íris em Junho. Com sorte, também a Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa, que ia pela primeira vez descer a Avenida da Liberdade, já terá condições para marchar no próximo Verão. Ainda não há confirmações nem datas oficiais, mas é estar atento aos updates na página da ILGA Portugal.

Marcha, Orgulho LGBT+, Copenhaga 2021
Marcha, Orgulho LGBT+, Copenhaga 2021
©DR

Copenhaga 2021

Em 2021, a cidade escolhida para o World Pride, a marcha do orgulho mundial, é Copenhaga (em 2019 foi Nova Iorque, a propósito dos 50 anos dos protestos de Stonewall), onde também irão acontecer os Euro Games, as olimpíadas inclusivas. São 10 dias de festejos, entre 12 e 22 de Agosto. A organização preparou não uma, mas sim duas marchas, uma delas na cidade de Malmö. Em Copenhaga, na marcha principal, são esperadas 500 mil pessoas. Vamos ver se os planos têm mesmo pernas para andar.

Publicidade
Televisão, Séries, Tiger King
Televisão, Séries, Tiger King
©DR

O regresso do corte mullet

De acordo com o The Guardian, o mullet, corte de cabelo dos anos 70, será a grande tendência para 2021, principalmente entre a comunidade LGBT. Joe Exotic, o protagonista da série documental da Netflix Tiger King já tinha trazido o corte de cabelo para a ribalta, mas agora é Tony Copeland, da British Master Barbers Alliance, a garantir que o estilo veio para ficar, entre homens e mulheres. Willa Paskin, apresentadora do podcast The History of the Mullet, diz que as pessoas ainda acham que o corte é “antiquado” e “hediondo” e é exactamente por isso que está a ser adoptado por subculturas como “miúdos electropunk” ou “pessoas queer”. 2021 promete.

Cinema, LGBT+, Queer Lisboa
Cinema, LGBT+, Queer Lisboa
©DR

25.ª edição do Queer Lisboa

Enquanto quase todos os eventos LGBT do país foram cancelados, o Queer fez questão de acontecer presencialmente em Lisboa e no Porto em Setembro e em Outubro de 2020. A maior parte dos festivais internacionais de cinema ainda não anunciou datas para 2021, mas o festival mais antigo da cidade de Lisboa já tem data marcada, para organizar a sua agenda com antecedência: a 25.ª edição do Queer Lisboa acontecerá de 17 a 25 de Setembro.

Publicidade
Música, Maestro, Leonard Bernstein
Música, Maestro, Leonard Bernstein
©DR

Maestro

Poderia ser em 2021 que a sequela de Call Me By Your Name, de Luca Guadagnino e com Thimotée Chalamet no papel principal, veria a luz do dia. Pelos vistos, a pandemia atrasou a produção e na lista dos filmes queer mais antecipados para 2021, Maestro, da Netflix, o filme biográfico sobre o maestro Leonard Bernstein, está à frente. O filme, realizado e protagonizado por Bradley Cooper, conta a história do maestro, conhecido por manter relações com homens e mulheres. Conta também com Carey Mulligan e Jeremy Strong.

Filme, Cinema, Benedetta (2021)
Filme, Cinema, Benedetta (2021)
©DR

Benedetta

Outros dos filmes interessantes previstos para 2021 é Benedetta, a nova longa-metragem de Paul Verhoeven (Ela, de 2016), com estreia prevista para Maio. O filme já deveria ter chegado aos cinemas, mas complicações depois de uma operação, a pandemia e o cancelamento do festival de Cannes levaram o realizador a adiá-lo. Protagonizado por Virgine Efira, conta a história de uma freira num convento italiano no século XVII e dos seus casos com outras mulheres. O filme deverá competir à Palma de Ouro de Cannes.

Publicidade
Emojis mais inclusivos
Emojis mais inclusivos
©DR

Emojis mais inclusivos

Segundo o site Them, em Janeiro o Unicode Consortium vai lançar 217 novos emojis mais inclusivos, entre eles o de pessoas sem género definido. Por exemplo, o de uma mulher de barba, um Pai Natal não-binário, uma mulher de smoking, um homem num vestido de noiva, um pai a alimentar um bebé e uma bandeira do orgulho trans. Em 2015, o Unicode Consortium lançou emojis de casais do mesmo sexo e o ano passado acrescentou emojis de casais gender-neutral.

Best of 2020

Publicidade
Publicidade
Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade