Cinco coisas que não sabe sobre o Palácio do Ramalhete

Uns citam o Correio da Manhã, outros a revista feminina Mariana. Seja como for, Madonna volta a invadir as notícias e parece que agora vai trocar o Pestana Palace pelo Palácio do Ramalhete
palacio ramalhete
©DR
Por Renata Lima Lobo |
Publicidade

1 - Pode ser a próxima casa da Madonna e já não aceita reservas. Se ligar para lá dizem-lhe que vão fazer obras de remodelação em Janeiro.

2 - Esta unidade de alojamento local (e não um hotel) assume-se como a casa do Ramalhete imaginada por Eça de Queirós. Pelo menos no nome de alguns quartos (há um Ramalhete, um Eça de Queirós e outro chamado Os Maias), mas há quem defenda que a verdadeira inspiração para a casa de Carlos da Maia seria o Palácio Sabugosa em Alcântara.

3 - Ramalhete: ramo ou conjunto de flores reunidas pelos pés, pequeno ramo. Nós estamos convencidos que este é que é o Ramalhete do Carlos da Maia. É que aqui existe mesmo um ramalhete de girassóis num painel de azulejos. Além disso, na obra, o palácio ficava na Rua de São Francisco de Paula, actual Rua Presidente Arriaga que no Jardim 9 de Abril se transforma na Rua das Janelas Verdes, onde mora hoje este Palácio do Ramalhete.

4 - Foi construído no século XVII e era uma casa de família (abastada, claro) que deitou a língua de fora ao terramoto de 1755 e manteve-se de pé. E foi mantido o espírito da casa, mesmo na velha cozinha transformada em suite e onde existe uma lareira antiga de cobre convertida em sala de estar.

5 - Duques de Windsor, Augusta Vitória Hohenzollern, Rei Manuel II, Pedro de Sousa Holstein, Conde Guilherme de Schaumburg-Lippe, Rei Luís I de Saxe-Coburgo-Gota. São estes alguns dos hóspedes que, segundo o actual Palácio do Ramalhete, por aqui passaram ao longo dos séculos. Uma lista de gente nobre à qual possivelmente se irá juntar uma rainha, mas da música pop.

Mais coisas que não sabe

Publicidade
Vista do Tejo e da Ponte 25 de Abril
Fotografia: Arlindo Camacho
Notícias, Transporte e viagens

Cinco coisas que não sabe sobre... a Ponte 25 de Abril

Após o 25 de Abril de 1974, a Ponte Salazar deixou de o ser. E se hoje é mais fácil construir pontes de diálogo, em Dia da Liberdade recordamos algumas curiosidades da ponte que revolucionou a ligação à margem sul do Tejo. 

Publicidade