Monte da Estrela: há estrelas no Grande Lago

Em plena reserva Dark Side, no Monte da Estrela brilham o ambiente familiar e acolhedor, o luxo da simplicidade e as estrelas – sempre as estrelas. Fomos até ao Alqueva olhar para o céu.

©DRMonte da Estrela

O pote estava lá. Estava lá, à espera que Brites Pires e a família o encontrassem. Ficaria na casa recuperada, para decoração, decidiram em conjunto em 2010, muito antes de saber que aquele terreno de 10 hectares seria mais do que um voltar às raízes. Hoje, o pote está no escurinho da adega do Monte da Estrela – e é lá dentro que se produzem  artesanalmente 600 litros de vinho por ano, o mesmo que os hóspedes podem experimentar nas provas (acompanhado de pão alentejano e azeite, linguiça da Safara, queijo fresco de cabra e conversas sem horas para acabar com os proprietários), nos jantares vínicos, ou no terraço das estrelas, construído propositadamente para observar o céu escuro. Afinal, este agroturismo de apenas sete quartos fica na reserva Dark Side Alqueva – a primeira do mundo com certificação Starlight Tourism Destination, atribuída pela UNESCO e pela Organização Mundial de Turismo.

Mas voltemos ao início, ao momento em que Brites Pires regressou de uma viagem à volta do mundo com o marido e os três filhos e decidiu voltar à terra-mãe. Na mala, trazia um gigantesco painel das Fiji. Algures entre Moura e Mourão encontrou este monte. “Estava a cair de velho, mas sentimos que tinha alma”, descreve. O painel está pendurado na sala desde 2016, ano em que finalmente abriram as portas.

No Inverno, as lareiras estão acesas todo o dia. A de traça antiga aquece a sala de refeições, onde o pequeno-almoço é servido até às 11.00 ao som de Chico Buarque e de outros ritmos brasileiros. Tem requintes tão simples como alfazemas frescas tiradas do jardim a aromatizar o guardanapo de pano, sumo das laranjas da casa, ovos feitos na hora (“Prefere mexidos, estrelados ou quentes?”) e bolo caseiro, ainda morno. Já a salamandra mais moderna, na sala de estar com sofás confortáveis e almofadões, faz companhia a quem foi buscar um livro à biblioteca da mezzanine. O chão de xisto nos quartos é aquecido, na sala de jogos há uma mesa de snooker e o pequeno spa está equipado com jacuzzi e banho turco, além de disponibilizar tratamentos e massagens de relaxamento perfeitos para ouvir a chuva lá fora.

Publicidade

Nos dias de Verão, todas as atenções se viram para a zona exterior. A piscina suplica por mergulhos, o terraço das estrelas é o anfiteatro para o espectáculo em que o céu se transforma durante a noite, e o terreno a perder de vista, cheio de oliveiras e amendoeiras – onde se poderá cruzar com Senhor Tobias e o Carvão (cães), a Estrelinha e a Guadalupe (cabras anãs), a Bianca e a Lola (gatas) ou o Capitão e a Dona Alice (galo e galinha) – permite passeios diferentes todos os dias. Dos pontos mais altos, vê-se o Grande Lago.

Monte da Estrela - Country House & Spa

Sejam quais forem as previsões meteorológicas, no fim-de-semana de 20 a 22 de Abril, o Monte da Estrela abre as portas a praticantes de yoga, com um programa que inclui ainda aulas teóricas e práticas de permacultura, um passeio na barragem do Alqueva, um piquenique, caminhadas e refeições (265€ por pessoa). Num dos intervalos, não deixe de passar pela adega, para ver o pote. E beber um copo de vinho com Brites e a família.

Ver preços Ler mais
Publicidade

Como chegar

Na A6, saia para Évora e apanhe a estrada nacional 256 em direcção a Monsaraz. Depois, fique atento às placas para Mourão.

Preços

Quarto duplo a partir de 120€

GPS

Para comer

Durante a época alta, os jantares no Monte da Estrela (no terraço com vista para a piscina e o olival) são mais comuns, mas no Inverno, quem não quer sair do agroturismo deve fazer reserva com antecedência (à 25€/pessoa).

Alternativas nas redondezas não faltam: na vila de Mourão, a clássica Adega Velha nunca desilude, com a sua colecção de rádios antigos, o seu cozido de grão, a encharcada e os cantares alentejanos que despontam sem ensaio entre copos de vinho da casa (266 586 443).

Na lista d’O Arcada, em Safara, brilham as migas de espargos com mista de porco preto e o ensopado de borrego à pastora (285 935 164).

Mais perto ainda, na Aldeia da Estrela, o Sabores da Estrela tem pratos regionais e vista sobre o Alqueva (285 915 000).

Para fazer

O senhor Humberto Nixon sabe tudo sobre o Grande Lago – e entre factos históricos, explicações geográficas e curiosidades, consegue arrancar gargalhadas a todos os que alinham nos passeios de barco da sua Alquevatours, quando fala, por exemplo, da pequena ilha da reconciliação, onde casamentos que parecem perdidos se resolvem num instante. Uma hora de vistas incríveis e bom humor por apenas 10€. O Monte da Estrela facilita a marcação, mas se preferir ir directo à fonte, basta ligar 285 254 099.

Publicidade

Planos de Fuga

Sublime Comporta: a perfeição pode ser isto

Dissemos a um amigo que íamos dormir ao Sublime Comporta. A resposta dele, que terá sido qualquer coisa como “mais um que o comum dos mortais não conhecerá”, deixou-nos a pensar. E tudo porque o comum dos mortais devia, pelo menos uma vez na vida, aqui ficar. Seja numa data especial ou apenas para fugir à rotina de sempre. Se é para cometer uma extravagância, que seja aqui.

Ler mais
Por Cláudia Lima Carvalho

Herdade da Matinha: lição de vida no gerúndio

Na melhor parte do dia, só se ouvem os pássaros. Quando se calarem os pássaros, hão-de ficar as cigarras. E se acaso também elas se calarem, o mais certo é que comece a ouvir o som da própria barba a crescer. Na Herdade da Matinha há uma promessa de sossego que nos recebe à chegada e se cumpre à medida que o vagar se instala em nós. Estamos um pouco além do Cercal do Alentejo, três quilómetros de terra batida campo adentro, num refúgio acoitado entre montes. Só se chega aqui de propósito, só se sai daqui contrariado.

Ler mais
Por João Pedro Oliveira
Publicidade

Belmond Reid's Palace: sinfonia atlântica

Quando as instruções do compositor são seguidas, a 8ª sinfonia de Mahler exige uma orquestra com cerca de 120 músicos, dois coros com um mínimo de 32 cantores cada, oito solistas vocais e um coro infantil. Chamam-lhe “sinfonia dos mil”. É mais ou menos o mesmo que sucede com o Belmond Reid’s Palace. No histórico hotel da Madeira, para que tudo corra em harmonia e a tempo, há centenas de pessoas que todos os dias seguem a mesma pauta. 

Ler mais
Por João Pedro Oliveira

Comentários

0 comments