Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Olá, futuro: três escolas de tecnologia à distância de um clique

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme sempre antes de sair de casa.

Tecnologia e robótica
DR

Olá, futuro: três escolas de tecnologia à distância de um clique

Se está convencido que tem aí em casa o próximo Bill Gates, Steve Jobs ou Mark Zuckerberg, as aulas de programação, tecnologia e robótica estão agora à distância de um clique.

Por Vera Moura
Publicidade

As crianças parece que já nascem a saber dominar computadores, telefones, tablets, drones e outros gadgets, mas para os preparar para o futuro como deve de ser, nada como apostar em escolas de tecnologia, com aulas de programação, robótica, apps ou Youtube. A quarentena obrigou famílias inteiras a ficar em casa, mas isso não é impedimento para os miúdos continuarem a aprender – e o que não falta são escolas que se reinventam e dão aulas online. Caso destas três, com diferentes propostas para entreter e formar em tempo de confinamento. 

Recomendado: Coisas para fazer com os miúdos dentro de casa

Três escolas de tecnologia à distância de um clique

1. Happy Code

Não vale sair de casa, mas sair da caixa é permitido – e até aconselhável. É essa a sugestão da escola de programação Happy Code, que não perde a alegria nem em tempo de pandemia. Fecharam-se as portas dos espaços físicos de Campo de Ourique, Parque das Nações, Lumiar, Oeiras e Cascais, a sul, Porto e Maia, a norte, abriram-se as janelas do computador, como a que tem um conjunto de actividades para praticar off-line e gratuitamente. Basta ir ao site da Happy Code e descarregar o jogo da memória, um jogo das damas com poderes especiais ou exercícios de matemática relacionados com algoritmos e binários.

O programa Sai da Caixa não foi a única forma de a escola de tecnologia se reinventar: os Bootcamps Lectivos Online arrancaram depois da Páscoa e incluem aulas de Minecraft (o jogo perfeito para as crianças se iniciarem na programação enquanto criam os seus mundos), programação de apps, drones, jogos em 2D ou a criação de um canal de Youtube. Com formadores a acompanhar do outro lado do ecrã, as sessões semanais para miúdos a partir dos 7 anos têm a duração de três horas. “As crianças estão sedentas de aprender uma nova linguagem”, diz Paula Cruz, da Happy Code. “Usando as ferramentas que tão bem conhecem, o sucesso é garantido e os pais podem descansar sabendo que os seus filhos estão ligados à tecnologia para desenvolverem novas competências que os vão ajudar no futuro."

2. Teckies

A start-up portuguesa Teckies também não quer deixar os pequenos informáticos de mãos a abanar nestes dias de reclusão e decidiu lançar aulas online de programação. O objectivo é incentivar a aprendizagem de código como ferramenta para o futuro. “Este lançamento estava previsto para os próximos meses e direccionado para as escolas, mas antecipámo-lo porque não podíamos ficar indiferentes à situação desafiante que as famílias estão a viver”, explica Patrick Götz, fundador da Teckies, em comunicado. Miúdos do primeiro ao 12.º ano podem usar a plataforma RoboGarden, da Google, para aprender de forma divertida e ao ritmo de cada um, em aulas sem professor mas com desafios que vão ficando mais complexos conforme o aluno for subindo de nível. “Quisemos dar-lhes uma solução educativa, mas também de entretenimento. Com o RoboGarden, conseguimos manter os miúdos intelectualmente activos e diverti-los, já que a plataforma tem uma forte componente de gaming e diversão, ensinando de forma simples e lúdica”, descreve Götz.

As formações podem ser adquiridas através do site da Teckies e permitem o acesso exclusivo a aulas virtuais durante um ano. A plataforma RoboGarden tem um custo de 12€ e a inscrição nas aulas online tem o valor simbólico de 1€ por mês.

Publicidade

3. Assembly

"O mundo está a mudar e seja qual for a profissão do futuro, a tecnologia é a chave para te integrares": garantia da escola Assembly, que depois da Páscoa lançou uma campanha para a quarentena ser mais fácil para pais, crianças – e finanças! Até ao dia 30 de Abril, as aulas custam apenas 1 euro e só se começa a pagar a mensalidade do terceiro periodo em Maio. Não interessa a idade: bastam algumas horas por semana de robótica, programação, design ou criação de jogos e Apps.

As aulas teóricas acontecem em direto e são emitidas do estúdio da Future Classroom Lab, com um professor a dar a matéria e a interagir com os alunos. A parte prática é efectuada através da plataforma online da Assembly, que tem todos os projetos para desenvolver em casa. Os tutores estão disponíveis para tirar dúvidas e ajudar no avanço da aprendizagem. Há ainda actividades online recreativas, além de treinos e campeonatos de eSports no canal Twitch da escola.

O terceiro período tem o valor de 101€+iva por mês.

#TimeIn

Publicidade
Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade