A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Quem Espera
Fotografia: Filipe FerreiraQuem Espera, de Luis Godinho

Peças de teatro para levar os miúdos

Precisa de tirar os miúdos de casa? Então leve-os a ver uma destas peças de teatro para toda a família.

Raquel Dias da Silva
Escrito por
Raquel Dias da Silva
Publicidade

Há uma infinidade de coisas para fazer com os miúdos em Lisboa durante este mês. Uma delas é ir ao teatro. E se não é um belíssimo programa!? Além de os ensinar a estar atentos, de lhes apresentar histórias novas e de aprenderem a tirar as suas próprias conclusões, ajuda-os a sossegar (bem sabemos como é difícil convencê-los a estar quietos). Desde a adaptação de clássicos até aventuras novinhas em folha, estas são grandes ideias para gente pequena e decorrem em vários cenários espalhados pela cidade e arredores. O que interessa é tirar os gaiatos de casa. Aproveite antes que saiam de cena. Mas, atenção, não se esqueça que, para acesso a eventos culturais com lugares marcados, é obrigatória a apresentação do certificado cigital de vacinação

Recomendado: Fim-de-semana perfeito em família

As melhores peças de teatro para levar os miúdos

  • Teatro
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

Num espectáculo cheio de cor, pincelado por muitas e animadas guitarradas, os espectadores são convidados a viajar até às ruelas de um bairro típico português e a todas as aventuras que lá se vivem. Sofia, uma mulher vinda de outro país, que agora mora sozinha num quarto alugado, e um casal de cães – Manjerico e Sardinha – vão formar o grupo de amigos mais divertido e improvável de sempre. No centro, uma história sobre o problema dos animais abandonados e a importância da inserção de quem pode ser diferente.

  • Teatro

Das histórias aos quadradinhos para o palco, a Cª do Teatro Bocage convida-o a assistir a um espectáculo inspirado nas histórias da banda desenhada História da Música em Banda Desenhada da Pré-história à Actualidade, da editora Moraes. Três amigos em palco e um narrador dão o mote a esta comédia musical, que envolve o público numa viagem por sons, notas e gargalhadas.

Publicidade
  • Teatro
  • Infantil
  • Belém

Na sequência dos espectáculos A Grande Corrida e Muita Tralha Pouca Tralha, Catarina Requeijo faz uma terceira incursão neste formato de monólogo “todo-o-terreno”, recorrendo às personagens já apresentadas: Manuela, a sobrinha automobilista, Odete, a tia orgulhosa, e Alfredo, o tio rezingão. Mas não se preocupe: apesar de fazer parte de uma trilogia, esta nova peça dispensa o visionamento dos anteriores.

  • Teatro
  • Belém

Publicado em 1945, A Quinta dos Animais, de George Orwell, é um texto político e satírico, mas também uma fábula sobre o modo como nos relacionamos com o outro. Em tempos de incerteza e de medo, e enquanto assistimos a exercícios de poder ferozes, nada mais actual e transversal do que provocar uma discussão sobre quem manda. Quem manda aqui? é a pergunta a que Tónan Quito tenta responder nesta que é a sua primeira criação para a infância.

Publicidade
  • Teatro
  • Infantil
  • Carnide/Colégio Militar

Não se sabe como nem porquê, mas em palco dar-se-á um encontro inesperado entre algumas personagens extraídas de outras histórias, que foram convidadas para uma festa de aniversário. Com texto de Fernando Gomes e música de Quim Tó, esta peça propõe um tempo de encanto e suspensão do tempo real, para lembrar a importância de valores, como a empatia, a amizade, a esperança e a alegria de viver, que a pandemia está a testar até ao limite.

  • Teatro
  • Infantil
  • Santa Maria Maior

Uff, estar aborrecido… Não há nada pior. Mas todos nós já nos aborrecemos pelo menos uma vez na vida. A culpa, dizem-nos duas amigas espevitadas, é da espera e de quem nos manda esperar, a começar pelos pais, que só sabem dizer “Agora esperas.” Ainda por cima eles são os primeiros a aborrecer-se por tudo e por nada. Se ao menos houvesse uma receita fácil para acabar com esse “grande mal” e fazer acontecer todas as coisas divertidas que estão à espera de acontecer enquanto esperamos. Com encenação de Luís Godinho e textos de Inês Fonseca Santos e Maria João Cruz, Quem espera retrata o aborrecimento, esse sentimento desagradável que a espera provoca em nós, e reflecte sobre as muitas maneiras através das quais o podemos fintar. Para ver no Salão Nobre Ageas do Teatro Nacional D. Maria II.

Lisboa dos pequenitos

  • Compras

Sentar à mesa ou no tapete fofo da sala para uma noite de jogos em família, uma quantas vezes por mês, devia ser tradição mundial. Sabe melhor quando está frio lá fora e se ouve a chuva a cair, mas não temos dúvidas: é o programa perfeito para todas as estações.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade