A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Cinderela: O musical dos seus sonhos
DRCinderela: O musical dos seus sonhos

Peças de teatro para levar os miúdos

Precisa de tirar os miúdos de casa? Então leve-os a ver uma destas peças de teatro para toda a família.

Raquel Dias da Silva
Escrito por
Raquel Dias da Silva
Publicidade

Há uma infinidade de coisas para fazer com os miúdos em Lisboa durante este mês. Incluindo ir ao teatro. Além de os ensinar a estar atentos e a tirar as suas próprias conclusões, e de lhes apresentar histórias novas, ajuda-os a sossegar (bem sabemos como é difícil convencê-los a estar quietos). Desde a adaptação de clássicos até aventuras novinhas em folha, estas são grandes ideias para gente pequena e decorrem em vários cenários espalhados pela cidade e arredores. Aproveite para tirar os gaiatos de casa antes que estas peças de teatro para toda a família saiam de cena.

Recomendado: Fim-de-semana perfeito em família

As melhores peças de teatro para levar os miúdos

  • Miúdos
  • Belém

Com direcção artística, criação e interpretação de Ana Jezabel, Dia-a-Dia convida-nos a parar, olhar à nossa volta (para as árvores, o céu, um bando de pássaros), ouvir o que nos rodeia, o que está dentro de nós e, ainda o silêncio. O que é que nos move? O que é o motor do nosso dia-a-dia? É a pergunta à qual este espectáculo, em cena no LU.CA, tenta ajudar a responder.

  • Miúdos
  • Belém

Em Sem Medo, Teresa Coutinho adapta Simão Sem Medo, o livro de Miguel Granja inspirado no clássico de José Gomes Ferreira, Aventuras de João Sem Medo. A protagonista Simone, uma menina corajosa, leva-nos numa viagem pelo seu universo onírico, ultrapassando todas as barreiras e contagiando os outros com a sua capacidade de acreditar.

Publicidade
  • Miúdos

Onde ficam os pólos da nossa Terra? Quem lá vive? Os pinguins moram no Pólo Norte ou no Pólo Sul? É o que Aurora, uma menina de sete anos, terá de descobrir. É que ela tem um trabalho sobre as regiões polares para apresentar na escola. Promovido pela Cativar Teatro e em cena na Fábrica Braço de Prata, Os pólos da nossa Terra promove a educação ambiental junto dos mais novos e a importância dos pequenos gestos que todos podemos fazer no nosso dia-a-dia.

  • Miúdos
  • Belém

No LU.CA – Teatro Luís de Camões, a partir da leitura encenada de Um ponto que dança, Sara Anjo pega nos movimentos corporais e trabalha-os – até os mais invísiveis, como o piscar de olhos ou o dobrar do dedo mindinho. E convida as crianças a partir dos três anos a fazer o mesmo e a descobrir como há pontos no nosso corpo que se unem quando queremos que se unam.

Publicidade
  • Miúdos
  • Lumiar

Em cena no Auditório da Biblioteca Orlando Ribeiro, esta produção do Palco de Chocolate reconta a história de A Pequena Sereia que, no fundo do mar, sonha em conhecer a misteriosa terra. Infelizmente, a tia Lapa, que sonha em ser uma grande cantora, vai tentar aproveitar-se da voz dela.

  • Miúdos
  • Marvila

Um dia, de repente, o reino “Dó Ré Mi” vê a confusão instalar-se. Quando os habitantes acordam, encontram tudo de pernas p’ró ar. Com a ajuda do público, as personagens vão ter de descobrir como trazer de novo a música ao reino de D. Flautino. Em cena na Fábrica Braço de Prata, trata-se de uma produção da Cativar pensada para crianças entre os dois e os oito anos.

Publicidade
  • Miúdos
  • Carnide/Colégio Militar

O Hino da Alegria é o hino das crianças – e na Casa do Coreto, em Carnide, a obra-prima de Beethoven nunca falha nos concertos para bebés. Uma alegria onde os mais novos não são apenas o público: também podem ser o maestro. É que, passados quase 200 anos da morte do compositor alemão, a sua obra ainda continua a ser sinónimo de liberdade. E liberdade é vida e alegria.

  • Miúdos
  • Belém

Em palco, no LU.CA – Teatro Luís de Camões, um actor e uma actriz contam a história de Shakespeare a crianças, guiando-as – ou distraindo-as – pela narrativa e propondo-lhes uma participação activa. A cada dia, com um público diferente, Hamlet sou eu apresenta uma nova versão da conhecida peça.

Publicidade
  • Miúdos
  • Carnide/Colégio Militar

Criada por Sandra José e interpretada pela própria e por Mafalda Rodrigues, esta peça de teatro para bebés, em cena na Casa do Coreto, promete embalar a audiência com recurso a andamentos, pulsações, compassos e árias mágicas.

  • Miúdos
  • Belém

Com texto e criação de Cláudia Jardim, Diogo Bento e Pedro Penim, Romeu e Julieta: uma Excelente e Lamentável Sobremesa adapta a tragédia originalmente escrita no Século XVI. Numa cozinha improvisada, em cena no LU.CA, os actores guiam os jovens espectadores pela história de um amor maldito, misturando-a com a confecção de um delicioso cheesecake que leva o nome das personagens shakespearianas.

Publicidade
  • Miúdos
  • Carnide/Colégio Militar

Criado por Sandra José, que subirá a palco com Mafalda Rodrigues, Jazzyababum é pensado para os mais pequeninos, dos seis meses aos três anos, e conta com uma grande componente musical. Entre vocalizos e jogos silábicos, os bebés têm oportunidade de desenvolver o seu primeiro contacto com a música jazz na Casa do Coreto.

  • Miúdos
  • Belém

Em Março, o LU.CA volta a receber o Teatro Praga, com um espectáculo inspirado na obra de William Shakespeare. Nesta versão completamente interactiva de Macbeth, em que o espectador é também jogador, o protagonista dá pelo nome de MacBad, um verdadeiro “bad guy” que vai tentar escapar às profecias das bruxas.

Publicidade
  • Miúdos
  • Belém

Há muito, muito tempo, corria o ano de 1697, um senhor francês chamado Charles Perrault escreveu a sua própria versão da história de A Bela Adormecida (que se viria a tornar a mais popular do conto até aparecer a dos Irmãos Grimm, em 1812). Centenas de anos depois, em 1999, Agustina Bessa-Luís reescreveu o texto, à luz dos tempos modernos e do seu sabido sarcasmo. Agora – a propósito das comemorações do centenário da autora portuguesa (1922-2022) –, Beatriz Brás, Martim Sousa Tavares e Francisco Lourenço revisitam essa pouco conhecida narrativa, que nos convida a reflectir sobre como, a dormir ou bem despertos, podemos (e devemos) experimentar ser quem quisermos.

  • Teatro
  • Infantil
  • Santa Maria Maior

A versão mais conhecida é a do escritor francês Charles Perrault, de 1697, que, por sua vez, é baseada num conto da tradição oral italiana, La Gata Cenerentola. Agora chegou a vez de Filipe La Féria realizar a sua Cinderela como o Musical dos Seus Sonhos. Após A Pequena Sereia, Rapunzel e Aladino, o Teatro Politeama realiza este ano uma produção inteiramente original deste clássico.

Publicidade
  • Miúdos
  • Belém

E se um dia os jardins fossem proibidos? E se fosse também proibido ter plantas em casa? Em cena no Espaço Fábrica das Artes do Centro Cultural de Belém, esta peça fala-nos de uma cidade onde facilmente se encontrava um jardim para brincar, descansar e sonhar, e havia tempo para tudo. Até ao dia em que os jardins foram substituídos por prédios, estradas e centros comerciais, uma vez que é nesses sítios que se fazem coisas úteis para a economia (dizem que é uma coisa que serve para termos uma vida melhor). E com tantas coisas úteis para fazer, o tempo passou a não ser suficiente para nada. A direcção, adaptação e coreografia é de Inês Tarouca, que também sobe ao palco, acompanhada por Diogo Tomaz. 

  • Miúdos
  • Eventos musicais
  • Carnide/Colégio Militar

Dorothy e os seus sapatinhos vermelhos estão de volta, desta vez a Carnide ao Teatro Armando Cortez, pelas mãos do Teatro Infantil de Lisboa. O Feiticeiro de Oz conta as aventuras de Dorothy, uma menina de uma zona rural dos Estados Unidos, que é levada por um furacão até uma terra desconhecida, cheia de cor, música e magia. Pelo caminho Dorothy vai fazendo amigos – é nessa jornada que ela e os seus novos amigos vão descobrir todas as suas virtudes: o amor, a inteligência e a coragem. Este teatro musical é um hino à amizade para ver em família.

Lisboa dos pequenitos

  • Miúdos

Com um ano novinho em folha pela frente, não há desculpa para deixar de aproveitar ao máximo os fins‑de-semana em família. Só tem de escolher como os entreter. Se ficar na dúvida, não nos pergunte a nós: pergunte-lhes a eles.

  • Compras

Sentar à mesa ou no tapete fofo da sala para uma noite de jogos em família, uma quantas vezes por mês, devia ser tradição mundial. Sabe melhor quando está frio lá fora e se ouve a chuva a cair, mas não temos dúvidas: é o programa perfeito para todas as estações.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade