A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Braille Bricks
LEGO

Seis brinquedos inclusivos para uma infância mais feliz

Brincar é para todos. Mas esta lista dá-lhe ainda mais razões para promover o recreio, com brinquedos inclusivos.

Raquel Dias da Silva
Escrito por
Raquel Dias da Silva
Publicidade

Brincar é um assunto sério em qualquer idade: todos têm direito ao prazer da brincadeira, mas é preciso respeitar e honrar a individualidade de cada um. Para crianças com deficiência visual, por exemplo, é apropriado oferecer objectos que produzam sons ou revestir os brinquedos com texturas, para promover a descoberta sensorial. Mas é também importante apostar em propostas que as representem, como bonecos com a mesma cor de pele, traços ou cabelo. Para o ajudar a celebrar as diferenças, estimular a autonomia e fortalecer a auto-estima, recomendamos seis brinquedos inclusivos.

Recomendado: Brinquedos DIY – quando parte da brincadeira é construir o brinquedo

Brinquedos inclusivos para todos

Durante o Verão, a gigante Lego anunciou o lançamento de uma linha inclusiva, com blocos de construção criados a pensar em pessoas com deficiência visual, que vão ser distribuídos gratuitamente por instituições, escolas e outros serviços em vários países do mundo. Em Portugal, a chegada destas peças, que integram números e letras em braille, está prevista para o início de 2021. Para mais informações, basta contactar a ACAPO – Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal, que é parceira do projecto e será responsável por oferecer conjuntos de Braille Bricks a quem mais precisa.

Cansada da falta de representatividade no mercado português, Sílvia Plácido resolveu criar as Loretas (49,90€, cada) e acrescentar a oferta à sua loja Mrs. Ertha. Com traços africanos, as bonecas apresentam diferentes tons de pele e caracóis, muitos caracóis, mais ou menos encaracolados. A produção é artesanal e familiar, incluindo o conjunto de roupa interior, a fita de cabelo, o macacão e o par de sapatos feitos em tecido gauze (musselina) 100% algodão. Assentes nos princípios da representatividade e diversidade cultural, estão também disponíveis puzzles Loretas (24,90€), inspirados nas diferentes estações do ano e com vários níveis de dificuldade. A marca de roupa portuguesa Tic Tac Babies e o Quiosque das Bonecas, no Chiado, também têm opções de bebés de diferentes etnias para dar neste Natal.

Publicidade

Nesta linha de brinquedos da Mattel, não há Barbies nem Kens. O ponto de partida é precisamente a ausência de género, com bonecos personalizáveis em nome da inclusão. Desenvolvida em colaboração com um conjunto de especialistas, pais, psicólogos, pedagogos e – claro – crianças, a colecção Creatable World está disponível em starter packs e kits com diversas perucas e opções de roupa, para que os miúdos possam dar asas à imaginação. Em Portugal, é possível comprá-la através da plataforma Frugoo, a partir de 18,95€.

Neste jogo matemático (14,99€) da ambarscience, marca portuguesa de brinquedos científicos e pedagógicos, as peças – verdes, amarelas e vermelhas, vale a pena referir – estão codificadas, para que crianças e adultos daltónicos possam jogar. O mérito é sobretudo de Miguel Neiva, o designer responsável pelo premiado ColorAdd, desenvolvido com base nas três cores primárias, representadas através de símbolos gráficos.

Publicidade

Este é um “brinquedo” caro (199,95€), mas a tecnologia e a marca justificam-no. Chama-se Skoog, foi criado pela Apple e é um instrumento musical táctil, pensado para pessoas com algum grau de incapacidade, que não têm a destreza necessária para tocar um instrumento mais tradicional, como crianças com dificuldades de aprendizagem, síndrome de Down, paralisia cerebral, autismo ou distúrbios sensoriais. Com um design universal, permite criar música de forma acessível e expressiva num espaço de minutos após ser retirado da caixa. E mais: não é meramente sensível à força com que é tocado, mas também onde e como é tocado.

Tudo começou em 2015, depois de a escritora e jornalista Rebecca Atkinson reparar na falta de representatividade para crianças com deficiência na indústria dos brinquedos. Acabou por lançar, com dois amigos, uma campanha inclusiva, com a hashtag #ToysLikeMe, através de fotografias de bonecos com cães-guia ou implantes cocleares. O objectivo era chamar a atenção das grandes empresas do sector e incentivá-las a criar mais diversidade. O movimento virou ONG e continua a promover a discussão, assim como a compra de brinquedos inclusivos, como o primeiro set da Lego City com uma cadeira de rodas (79,99€), todos disponíveis na Amazon, com entregas em Portugal (a maior parte com taxa de entrega grátis).

Brincar é um assunto sério

Lojas de brinquedos em Lisboa: a brincar é que a gente se entende
  • Miúdos

Se quer fugir das grandes superfícies e comprar um presente verdadeiramente original, tem de conhecer estas lojas de brinquedos em Lisboa, autênticos mundos encantados para crianças – e não só. Do espaço 100% dedicado ao Tintim à livraria que tem livros que não são só para ler ou para adormecer, vai descobrir lojas de brinquedos para todos.

  • Miúdos

Agora, mais do que nunca, é tempo de apostar no que de melhor se faz por cá. De madeira, cortiça, papel reciclado e até tecido, estes brinquedos são feitos dos mais variados materiais, predominantemente amigos do ambiente e, claro, tão educativos quanto divertidos. Porque a brincar a brincar aprende-se a sério.

Publicidade
  • Compras

Desde uma revolucionária massa modelar, que dá dez a zero a todas as plasticinas do mundo, até brinquedos de madeira para amigos do ambiente, sem esquecer os bonecos de outros tempos ou a magia do papel, o que não falta são propostas para todos os gostos, carteiras e idades. Estas são as lojas de brinquedos online a ter debaixo de olho.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade