Cinco nomes a não perder no Lisboa Electronica

Rødhåd, DVS1, Magazino, Alex FX e DJ Marfox. E se espreitar o cartaz vai encontrar muito mais opções. Nos dias 12 e 13 de Maio a LX Factory volta a acolher um sem fim de batidas
DVS1
Phtoograph: courtesy Dance.Here.Now. DVS1
Por Miguel Branco |
Publicidade

Promovido pela ourbookings, a Lisboa Electronica – Musiculture devolve à LX Factory a própria da electrónica. Outra vez? Ah pois é. Depois de em Março o Lisboa Dance Festival ocupar vários espaços da LX Factory, com dança para todos os gostos, agora voltamos ao local do crime para um festival com um conceito ligeiramente diferente. 

A coisa organiza-se por editoras. Das convidadas internacionais contam-se a Dystopian, Tresor, Blueprint, Perlon, Half Baked e Discobar. Nas cá das nossas vamos ter disto: Assemble Music, Bloop Records, Carpet & Snares Records, Con+ainer, Dead Motion Records, Extended Records, Frenzy, Groovement, Helena, Interzona 13, Labareda, Madluv Records, Ministerium Records, One Eyed Jacks, Ostra Discos, Paraíso, Piston Recordings, Príncipe Disco e TINK! Records. 

A isto juntam-se workshops, palestras, conferências, tudo por um estilo de música em franco crescimento. A falar – e a seguir a dançar – é que a gente se entende. 

Cinco nomes a não perder no Lisboa Electronica

Camera

Rødhåd

Cada vez que o alemão mete o pé em Portugal, lá vem o mundo, sedento de techno profundo, agreste e a certa altura da noite – no caso de a noite ser toda dele, o que não é o caso – quase bárbaro. Mas ninguém se magoa, atenção, é tudo amor, manifestado de uma forma curiosa. A sua label, Dystopian, é uma das convidadas deste festival. Consigo traz os enormes Vril e Drumcell.

Dia 12

Camera

DVS1

O mais árduo em DVS1 é dizer o seu nome. Mas tentemos: Zak Khutoretsky. Apesar da pinta de leste, DVS1 é norte-americano, ainda que passe grande parte da sua vida em Berlim, como residente do mítico Berghain. É mais um caso de uma linguagem electrónica que raramente dá descanso aos habitantes da pista. 

Dia 13

Publicidade
Camera

Magazino

Olha cá está ele, o nosso amigo Magazino, com quem já partilhámos noites a fio e com quem, claramente, não nos importamos de passar mais uma. A equipa da Bloop Recordings, responsável por algumas das melhores festas lisboetas, está cá em peso. Além de Magazino vem Kaesar e Cruz. A festa é nossa.

Actua dia 12

Camera

Alex FX

2016 assinalou o regresso de Alexandre Fernandes aos discos. Em 1997, quando editou Underdub: a soundtrack by Alex FX era seguramente um dos mais influentes nomes da electrónica nacional. Viria a dissipar-se, para um regresso que mata as saudades: Echomental1. O experimentalismo de FX casa bem com tudo. E vai casar com a LX Factory, certamente.

Dia 13

Publicidade
Camera

DJ Marfox

Ora se estamos perante um festival que quer saudar as editoras, a Príncipe Discos, uma das que mais agita esta Lisboa, tinha que estar presente. E fá-lo com o mais ilustre produtor: DJ Marfox. Igual a dizer que a batida, o kuduro, o tarraxo, tudo isso vai reinar. A Príncipe traz ainda DJ Nigga Fox. É favor abanar o esqueleto minha gente.

Dia 12

Vêm aí os Festivais de Verão

Nos alive 2015
©Fernando Castelo
Música, Festivais de música

7 concertos imperdíveis no NOS Alive 2017

Todos os anos é a mesma coisa: em Março acabam-se os passes de três dias, acabam-se os bilhetes para um dos dias, acaba quase tudo do NOS Alive. O que não parece terminar é a vontade portuguesa de consumir bandas e música à grande e à francesa. 

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com