Festivais de Verão: Quatro artistas imperdíveis nas Plages Electroniques

A segunda edição do festival Les Plages Electroniques acontece de 2 a 4 de Junho na Praia da Sereia, na Costa da Caparica. Eis quatro artistas que não pode perder na temporada de festivais de Verão que aí vem
Moulinex
©Flord Moulinex
Por Miguel Branco |
Publicidade

Se há calor somos (quase) todos praia. Se há outra coisa em que nos temos tornado recentemente é em electrónica. O estilo musical, claro. Aumentam os festivais, aumentam os DJs de qualidade que passam pelo nosso país. Quando a praia se une à electrónica maravilha, negócio fechado. As Plages Electroniques são esse desejo cumprido. 

De 2 a 4 de Junho a Praia da Sereia, vulgarmente conhecida como Praia do Waikiki (pelo bar deste areal na Costa da Caparica), acolhe mais uma importação festivaleira. Nasceu em Cannes em 2006, na praia do Palácio dos Festivais e Congressos, e por lá já passaram alguns dos maiores nomes da electrónica mundial, de Laurent Garnier a Paul Ritch. Por cá, na primeira edição que tomou lugar na Praia do Rei, em Junho de 2016, Bondax, Jimmy Edgar e Danny Daze foram os cabeças de cartaz.

Para 2017 apenas se conhece uma parte do cartaz, mas que chega para garantir bons momentos na Praia da Sereia. Ora espreite aqui em baixo estes quatro. 

Quatro artistas imperdíveis nas Plages Electroniques

Camera

Moullinex

Luís Clara Gomes já é um clássico de qualquer festa que meta electrónica. Um clássico nem sempre é coisa pachorrenta, da qual já perdemos o interesse. Pelo contrário, Moullinex vem em modo DJ set (sim, porque podia antes trazer a sua banda), ou seja, garantia de uma abrangência sonora que quase se podia comparar ao areal da Praia da Sereia. É dançar, com boa disposição, até nos deixarem. 

Camera

Gramatik

Com 3 anos já ia ao quarto da irmã roubar cassetes de funk americano. Estava na cara que este rapaz natural de Portoroz, Eslovénia, ia acabar a viver nos Estados Unidos. Depois de se ter tornado artista, com actuações constantes no seu país natal, Gramatik mudou-se para Brooklyn. Tem uma valente queda por hip-hop, pelo menos a julgar pela quantidade de beat-tapes e discos exclusivamente com beats de rap que editou nos últimos anos. As suas remisturas também são de valor. Espera-se coisa boa. 

Publicidade
Camera

Étienne de Crécy

Falar de Étienne de Crécy é falar da idade da pedra. No que à electrónica diz respeito, obviamente. Em 1994, em conjunto com Philippe Zdar, editava Pansoul, disco que dava o pontapé de arranque na house francesa. Depois, como um inconformado que não está para remar para o mesmo lado que toda a gente, cansa-se da house, que ergueu e que enchia todos os clubes franceses e por esse mundo fora. Mudou-se para o electro. E por lá tem ficado. Sempre com um input francês. 

Camera

Matias Aguayo

O que lhe parece que dá uma fusão entre o Chile e a Alemanha? Dá Matias Aguayo, que nasceu no primeiro e cresceu no segundo. A sua linguagem mistura o techno e a deep house com um tempero tropical, que lhe corre nas veias. Tem visitado Portugal com recorrência nos últimos anos, sempre com a destreza de animar toda a pista por onde passe. Ainda que estejamos sobre areia, toca a dar aos pés, Aguayo não é fácil de apanhar.

Festivais de Verão para todos

Nos alive 2015
©Fernando Castelo
Música, Festivais de música

7 concertos imperdíveis no NOS Alive 2017

Todos os anos é a mesma coisa: em Março acabam-se os passes de três dias, acabam-se os bilhetes para um dos dias, acaba quase tudo do NOS Alive. O que não parece terminar é a vontade portuguesa de consumir bandas e música à grande e à francesa. Com um cartaz com nomes como Foo Fighters, Depeche Mode, The Weeknd, The xx, Alt-J, The Cult, The Kills, Spoon, Fleet Foxes, sugerimos-lhe sete que são imperdíveis. 

Super Bock Super Rock
©DR
Música, Festivais de música

8 concertos imperdíveis no Super Bock Super Rock 2017

O Super Bock Super Rock 2017 já anunciou alguns nomes do seu cartaz que vão tratar de invadir o Parque das Nações de 13 a 15 de Julho. Os Red Hot Chili Peppers foram os primeiros a ser confirmados. Mas seguiram-se boas novas: Tyler, the Creator, Deftones, Kevin Morby, London Grammar, Bruno Pernadas, Boogarins.

Publicidade
DVS1
Phtoograph: courtesy Dance.Here.Now.
Música

Cinco nomes a não perder no Lisboa Electronica

Promovido pela ourbookings, a Lisboa Electronica – Musiculture devolve à LX Factory a própria da electrónica. Outra vez? Ah pois é. Depois de em Março o Lisboa Dance Festival ocupar vários espaços da LX Factory, com dança para todos os gostos, agora voltamos ao local do crime para um festival com um conceito ligeiramente diferente. 

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com